Diagnóstico da tuberculose

Autor: 
Isabela Benseñor

O método mais fácil de diagnosticar a tuberculose é a baciloscopia, ou seja, colocar o escarro do paciente com suspeita da doença sobre uma lâmina e corar esse escarro com a coloração de Ziehl-Nielsen. Os bacilos ficam da cor rosa choque e são identificados ao se olhar a lâmina em um microscópio. Outro jeito é por meio de radiografia de tórax. Entretanto, uma lesão no pulmão à radiografia de tórax não significa doença ativa. Pode ser uma tuberculose que se curou sozinha mas deixou uma cicatriz, que é o que vemos na radiografia. A certeza de doença ativa com a baciloscopia positiva.

Existe um teste - a prova tuberculínica, conhecida como PPD - que indica contato com o bacilo. Após 2 a 10 semanas de contaminação, a injeção do antígeno tuberculínico na pele do antebraço provoca uma reação porque os linfócitos da pessoa contaminada cercam o antígeno. O PPD positivo significa contato com o bacilo da tuberculose, mas não necessariamente a presença de doença ativa.

Ao se fazer o diagnóstico de tuberculose, é importante solicitar ao paciente autorização para um exame de HIV, já que a imunodeficiência adquirida passou a ser uma das causas mais importantes da tuberculose.