Causas e transmissão da tuberculose

Autor: 
Isabela Benseñor

Causas da tuberculose

Somente na segunda metade do século 19 foi possível conhecer o causador da doença, o Mycobacterium tuberculosis, que foi isolado pelo pesquisador alemão Robert Koch, em 1882. Por isso, o bacilo da tuberculose ficou conhecido como bacilo de Koch, ou na forma abreviada utilizada até hoje como BK. O bacilo da tuberculose pode ser identificado no escarro de pessoas com tuberculose.

Faz-se uma lâmina do escarro e usa-se a coloração de Ziehl-Nielsen. Os bacilos assumem uma coloração rosa-choque que permite sua identificação. A pesquisa do BK no escarro é utilizada até hoje como o modo mais fácil de fazer o diagnóstico da tuberculose nos quadros pulmonares com tosse e expectoração.

Bacilo de Koch
Imagem cedida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
O Mycobacterium tuberculosis, que causa a tuberculose (também conhecido como bacilo de Koch)

Bacilo de Koch
Imagem cedida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Foto: Fiocruz 
Bacilos de Koch à microscopia eletrônica. No centro da imagem, os bastonetes roxos são bacilos de Koch


Transmissão da doença

A pessoa que tem tuberculose pode contaminar outras pela eliminação do bacilo junto com o escarro. O bacilo pode ficar horas suspenso no ar em gotículas de escarro até serem inaladas por outras pessoas.

Vários fatores influenciam na transmissão do bacilo: o número de bacilos expelidos no ar, a concentração dos bacilos dentro de um espaço, o tempo que uma pessoa sem a doença respira em uma ambiente com bacilos, a imunidade da pessoa e a gravidade da doença na pessoa que eliminou o bacilo (quanto mais grave a doença, maior o número de bacilos expelidos com a tosse).

Uma pessoa com tuberculose contamina pelo menos outras 15 pessoas, espalhando a doença.


Todas as pessoas que entram em contato com doentes tuberculosos podem ser contagiadas?

Na maior parte das vezes isso não acontece. Mas, às vezes, embora a pessoa não adoeça na hora, ela continua com o bacilo no pulmão, e quando houver uma baixa na sua resistência imunológica, a doença pode aparecer.

Algumas doenças concomitantes como Aids, câncer ou diabetes podem predispor à reativação de uma tuberculose. Os idosos têm também mais possibilidades de adoecer logo após estarem em contato com alguém doente. Além dos idosos e das pessoas com outras doenças, as crianças apresentam um risco aumentado de desenvolver a tuberculose.

Todos os pacientes com tuberculose podem transmitir a doença?

Apenas os pacientes bacilíferos, ou seja, que eliminam o bacilo junto com a tosse e o escarro, é que transmitem a doença. A forma mais comum da doença é a pulmonar e, geralmente, seus portadores são bacilíferos. Quem tem tuberculose em outras partes do corpo não transmite a doença a ninguém porque não elimina o bacilo de Koch através das vias aéreas pela tosse.

Os doentes com tuberculose que já estão se tratando também não oferecem perigo de contágio porque, a partir do início do tratamento, o risco vai diminuindo dia após dia. Quinze dias depois de iniciado o tratamento, é provável que o paciente já não elimine os bacilos de Koch.