Outras maneiras naturais de reduzir a pressão arterial

Autor: 
Betsy A. Hornick and Eric Yarnell

Para auxiliar na redução da pressão arterial, é preciso fazer mais que simplesmente seguir as orientações da dieta DASH e cortar o sal de sua dieta. A seguir, daremos algumas dicas:

Acumule potássio: algumas pessoas que têm hipertensão tomam diuréticos tiazídicos que causam a perda de potássio e, por isso, recebem recomendações de comer uma banana por dia para repor esse potássio. Os pesquisadores acham que potássio extra pode ser uma boa idéia para todos. Como se já não fosse ruim ingerirmos tanto sódio, nós ainda ingerimos muito pouco potássio. É o equilíbrio entre o sódio e o potássio que eles acreditam ser importante para a manutenção da pressão arterial dentro dos limites considerados normais.

Mas não é necessário comprar suplementos de potássio. Isso pode ser perigoso. Potássio demais e de menos podem lesar o coração. Por questão de segurança, prefira os alimentos ricos em potássio, como bananas, laranjas, batatas, tomates e leite.

Um aviso: se você teve pressão alta diagnosticada e está tomando um diurético que elimina potássio ou se tiver doença renal, pergunte a seu médico se precisa de potássio extra antes de iniciar o tratamento.

Armazene cálcio: seu coração precisa de cálcio para manter o ritmo correto e seus rins para regular o equilíbrio sódio/água de seu corpo. No entanto, pesquisas mostraram que pessoas com pressão alta geralmente não ingerem cálcio suficiente. Outros estudos confirmam que uma dose extra de cálcio pode até reduzir a pressão arterial, mas esse efeito nem sempre é percebido com suplementos de cálcio. Em vez disso, consuma alimentos ricos em cálcio.

Alho também é bom: vários pesquisadores afirmam que o uso do alho reduz a pressão arterial. Além de também ser um ótimo substituto para o sabor do sal (lembre-se de que estamos cortando o sal).

O mundo é das frutas e vegetais: os vegetarianos têm uma incidência muito menor de pressão alta. Você também pode se beneficiar disso sem se tornar vegetariano. Aumente suas porções diárias gradativamente, encaixando uma ou duas porções extras em cada refeição. Provavelmente, você vai comer menos gordura e sal, e mais fibras e potássio (além de poder perder peso). Essas mudanças vão ajudar a reduzir sua pressão arterial.

Contenha os maus hábitos: a bebida e o fumo estão associados à pressão alta. Quem bebe com freqüência dobra seu risco de ter pressão alta. O NHLBI recomenda não mais que dois drinques  por dia para os homens e não mais que um para as mulheres. Um drinque é igual a 30 mililitros de álcool, quantidade encontrada em 350 ml de cerveja, 140 ml de vinho ou 40 ml de um uísque com 40% de álcool.

A cafeína, por outro lado, não parece estar associada à hipertensão. Embora ela possa aumentar sua pressão temporariamente, seu corpo se adapta à cafeína se você costuma beber uma certa quantidade de café, chá ou bebidas à base de cola todos os dias. É graças a essa adaptação que sua pressão arterial deixa de ser afetada por essa quantidade.

A pressão alta é um problema que pode ser tratado. Com a dieta correta e os exercícios como parte de um tratamento alternativo, sua pressão tem grandes possibilidades de ser controlada.

A função dos medicamentos nas mudanças de estilo de vida

Os medicamentos têm uma função muito importante quando a pressão arterial atinge as áreas de perigo do estágio 1 e do estágio 2 de pressão alta. Ainda assim, os remédios não substituem as mudanças de estilo de vida. Um estudo com pessoas que apresentam hipertensão leve descobriu que a combinação de remédios e mudanças de vida (dieta e exercícios) é mais eficaz do que qualquer uma das duas separadamente na prevenção de infartos e derrames. Para pessoas com casos mais graves de pressão alta, as mudanças e a medicação, em conjunto, podem resultar em doses menores das drogas, cortando tanto o custo quanto o risco de efeitos colaterais.

Publications International, Ltd.

Esses dados são apenas informativos e NÃO DEVEM SER CONSIDERADOS COMO CONSELHOS MÉDICOS. Os editores do Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., o autor ou a editora não assumem responsabilidade por quaisquer conseqüências decorrentes de qualquer tratamento, procedimento, exercícios, alterações de dieta, ação ou aplicação de medicamentos utilizados após ler ou seguir as informações contidas neste artigo. A publicação destas informações não constitui a prática de medicina, elas não substituem o conselho de seu médico ou outro profissional da saúde. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar o aconselhamento de seu médico ou outro profissional da saúde responsável.