Como tratar o cobreiro

Autor: 
Editores do Consumer Guide

Uma vez que você pega o vírus da varicela, ele nunca vai embora. Ele permanece secretamente nas células nervosas do seu corpo anos depois de você ter tido catapora na infância. Se ela foi leve, pode ser que você nem se lembre de ter tido essa doença.

Mas quando o vírus do herpes-zóster, como é chamado, reaparece na vida adulta, é conhecido como cobreiro (ou zoster). O nome origina-se do latim e do francês e está relacionada à cinta ou cinturão devido à forma como as bolhas se espalham no corpo.

É somente após a cicatrização das bolhas que a verdadeira agonia do cobreiro pode aparecer: é chamada de neuralgia pós-herpética pela comunidade médica e consiste de uma dor aguda e penetrante na área afetada, que pode persistir anos depois da cura das bolhas. Quanto mais velho, mais chance você tem de sentir essa dor prolongada. Todavia, somente cerca de 10% dos pacientes com cobreiro sentirão esse efeito subseqüente.

Vamos dar início observando os princípios básicos dessa doença.
Definição

Cobreiro, ou herpes-zóster, é uma infecção viral dolorida de um ou mais nervos. A infecção cria uma erupção cheia de bolhas, gerando coceira e dor na região do nervo afetado.

As bolhas do cobreiro parecem idênticas às da varicela, o que não deve ser surpresa nenhuma, já que o cobreiro e a varicela são causados pelo mesmo vírus, o vírus da varicela-zóster.

A incidência do cobreiro aumenta com a idade. Mais de 50% das pessoas que têm cobreiro têm mais de 45 anos.

Causas


O cobreiro geralmente ocorre em pessoas que tiveram varicela. Alguns cientistas acreditam que, após a ocorrência de um caso de varicela, o vírus varicela-zóster permanece inativo no corpo, mas pode ser reativado por lesão na área afetada, problemas físicos ou emocionais.

Outros acham que a quantidade e a força dos anticorpos produzidos pelo corpo para combater o vírus varicela-zóster diminuem com o tempo, tornando a pessoa suscetível a outro ataque do vírus; como alguns anticorpos resistem, a pessoa, em vez de ter novamente varicela, acaba tendo cobreiro. Se um adulto que não teve varicela for exposto ao vírus, ele terá essa doença, não cobreiro.

Ninguém sabe ao certo porque o vírus repentinamente decide atacar de novo. Alguns médicos acham que isso acontece quando o sistema imunológico está temporariamente enfraquecido. O cobreiro é mais comum em pessoas com mais de 50 anos, e os idosos tendem a ter uma resposta imunológica menor.

Lesão ou estresse podem ser os responsáveis. E as pessoas que são "imunossuprimidas" - como as que fizeram transplante de um órgão ou que têm câncer ou Aids - têm uma chance maior de desenvolver o cobreiro.

Sintomas

O cobreiro começa com formigamento ou alterações da sensibilidade na pele sobre o nervo afetado. Um outro sintoma inicial é uma dor em pontada ou queimação na mesma região. Em questão de dois a quatro dias, aparece uma bolha com pontinhos vermelhos sobre a parte afetada do corpo. À medida que os pontos aumentam, eles formam bolhas e, às vezes, misturam-se. No fim, ficam cheios de pus, estouram e formam uma casca, muito semelhante às erupções que surgem em decorrência da varicela.

As bolhas do cobreiro coçam muito. A dor aumenta à medida que a área sob a bolha fica mais vermelha e inflamada. O cobreiro ataca com mais freqüência os nervos do peito, costas, pescoço, braços e pernas; entretanto, os nervos faciais normalmente são envolvidos. As bolhas aparecem em uma faixa seguindo a distribuição do nervo, geralmente, em um lado só do corpo. Elas persistem por duas a três semanas antes de desaparecerem; a dor geralmente permanece por cerca de três ou quatro semanas.

A maioria das pessoas tem cobreiro apenas uma vez, condição médica que muitos só conhecem quando o desenvolvem. Nesse artigo, discutiremos as causas, sintomas e complicações do cobreiro. Veremos o tratamento médico tradicional, assim como o que você pode fazer em casa para aliviar a coceira das bolhas. Vamos dar início observando os princípios básicos dessa doença.

O cobreiro caracteriza-se pela formação de bolhas doloridas.
2006 Publications International, Ltda.
O cobreiro caracteriza-se pela formação de bolhas doloridas,
localizadas com mais freqüência no tronco, nádegas ou rosto

Entretanto, em pessoas com mais de 60 anos, a dor pode persistir por meses ou anos após o desaparecimento de uma bolha; essa condição é chamada de neuralgia pós-herpética. Ela é difícil de tratar. Medicamentos antivirais específicos (aciclovir, fanciclovir e outros), assim como outras intervenções, incluindo analgésicos, foram úteis na diminuição da dor e dos efeitos a longo prazo.

Se suspeitar que está com cobreiro, não entre em pânico, mas procure um médico o mais rápido possível, especialmente se tiver uma certa idade, apresentar alguma doença de base, ou ter o cobreiro no rosto (especialmente próximo dos olhos, já que pode levar a problemas de visão), perna, mão ou região genital.

Complicações

­Proteja seus olhos

­Se as bolhas aparecerem perto dos olhos ou na ponta ou lateral do nariz, procure um médico imediatamente. O cobreiro pode acabar provocando ­problemas de visão se envolver nervos ao redor do olho.

Ocasionalmente, as bolhas do cobreiro espalham-se por todo o corpo. Isso ocorre com mais freqüência em pessoas que têm alguma doença subjacente, como doença de Hodgkin (câncer no sistema linfático) ou leucemia (câncer no sangue). Quando essas doenças graves já existem, o cobreiro pode levar à morte. Um sinal de que pode haver outra doença é a recorrência do cobreiro, já que a condição raramente ocorre mais de uma vez.

A complicação mais comum do cobreiro é a infecção bacteriana das bolhas. As complicações menos comuns podem seguir um cobreiro nos nervos faciais. Pode ocorrer alterações nos olhos e paralisia de Bell (uma doença que paralisa temporariamente um lado do rosto). O cobreiro em outras partes do corpo pode provocar paralisia temporária semelhante da área sobre o nervo afetado.

Tratamento

Como não há uma cura conhecida para o cobreiro, o tratamento se concentra na diminuição da dor. Um analgésico pode aliviar a sensação de queimação. O aciclovir e outros antivirais semelhantes administrados oralmente provaram diminuir o progresso e a gravidade da doença em muitos casos, além de reduzir a probabilidade de neuralgia pós-herpética.

Alguns médicos receitam medicamentos esteróides para diminuir a inflamação do nervo. Para serem eficazes, os esteróides devem ser tomados logo após o início do cobreiro. O tratamento à base de esteróides geralmente não é recomendado para as pessoas com doença subjacente, pois os esteróides podem interferir na resistência à infecção.

A prevenção da infecção também é importante. Banhos em água morna (não quente) ajudam a aliviar e limpar a pele. Se a coceira for grave, os pacientes devem cortar as unhas e usar luvas enquanto estiverem dormindo para que não cocem inconscientemente.

Procurar atendimento imediato pode diminuir a chance de você sofrer de dor contínua após o surto do cobreiro. E se isso serve de consolo, a maioria das pessoas só têm cobreiro uma vez.

Embora os especialistas enfatizem a importância da ajuda médica imediata, existem algumas coisas adicionais que você pode fazer para ajudar a aliviar a dor e a coceira durante a fase inicial do cobreiro, quando há bolhas, além de lidar com qualquer desconforto prolongado que ocorra após essas bolhas terem desaparecido. Veja a próxima seção para obter sugestões.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.

Os nomes comerciais dos produtos mencionados nesta publicação são marcas registradas ou marcas de serviços de suas respectivas empresas. A menção a quaisquer produtos nesta publicação não constitui uma aprovação dos respectivos proprietários da Publications International, Ltd. ou da HowStuffWorks.com e nem significa uma afirmação advinda de qualquer uma dessas empresas de que seus produtos deveriam ser usados da maneira descrita nesta publicação.