Como funciona a síndrome de Tourette

Autor: 
Melissa Jeffries

Você pode achar que conhece a síndrome de Tourette. Para muitas pessoas, essa é uma doença rara na qual uma pessoa apresenta tiques nervosos constantes e tem surtos vocais repletos de obscenidades. Esses conceitos errôneos não são necessariamente nossa culpa (provavelmente a maioria de nós obteve informações sobre a síndrome de fontes não tão confiáveis como novelas ou filmes de TV). Portanto, para começar, desconsidere o que você acha que sabe.

Jen Zwilling tourette
Imagem cedida por Joe Santa
Jen Zwilling, portadora da síndrome de Tourette, ganhou o Brick Award em 2007 por seu trabalho de educação sobre a síndrome com crianças

Primeiro, a síndrome de Tourette não é tão rara quanto se pensa. Estima-se que uma pessoa em cada grupo de 100 sofra de uma forma moderada da síndrome e que cerca de 200 mil americanos tenham a forma mais grave. Segundo, os portadores da síndrome de Tourette não apresentam tiques nervosos constantemente. De fato, os espasmos, conhecidos como tiques motores, geralmente ocorrem em ataques intermitentes. Alguns pacientes têm esses espasmos diariamente, outros, com menos freqüência. Os tiques podem incluir ações como piscar os olhos, chutar e fazer caretas.

Provavelmente o maior mal-entendido sobre a síndrome de Tourette é o que afirma que os portadores dessa condição freqüentemente dizem obscenidades em voz alta, um sintoma conhecido como coprolalia. Na realidade, esse sintoma ocorre em menos de 15% dos portadores de Tourette. A síndrome de Tourette pode ser definida como uma desordem espasmódica na qual o paciente sofre de vários tiques motores e de pelo menos um tique vocal. Ambos os tiques se iniciam na infância ou na adolescência.

Agora que esclarecemos isso, vamos descobrir o que é realmente a síndrome de Tourette.