Quais as causas mais freqüentes de tosse?

Autor: 
Isabela Benseñor

A causa mais freqüente de tosse aguda são os resfriados. A tosse é um sintoma que se instala por volta do segundo dia de resfriado quando 85% das pessoas resfriadas apresentam tosse. Os sintomas do resfriado podem durar até 3 semanas. Por volta do final da segunda semana de resfriado em torno de 25% das pessoas ainda podem se queixar de tosse (Quadro 1). A tosse pode persistir mesmo após a resolução completa da infecção quando resta somente processo inflamatório. Essa tosse pós-infecciosa é uma causa comum de tosse crônica.

Na sinusite e na rinite alérgica, o mecanismo da tosse é um pouco diferente. Nessas duas doenças, escorre secreção proveniente do nariz para a garganta. Essa secreção desencadeia um processo irritativo e surge a tosse. A tosse da sinusite piora quando a pessoa deita. Na posição deitada é mais fácil a drenagem da secreção do nariz para a garganta e a tosse se intensifica com a pessoa deitada.

Quadro 1 - Causas de tosse aguda em adultos

 Mais freqüentes

 Menos freqüentes

Resfriado  Asma (bronquite)
Rinite alérgica  Pneumonia
Sinusite  Insuficiência cardíaca congestiva
Bronquite crônica  Tromboembolismo pulmonar
Enfisema  Aspiração
Inalação de irritantes (poeira, sílica, etc)  Abcesso pulmonar

As causas de tosse crônica são diferentes das causas de tosse aguda. O quadro 2 lista as principais causas de tosse crônica em adultos. As causas de tosse crônica em fumantes são diferentes das causas de tosse crônica em não fumantes. Nos fumantes, o próprio fumo costuma ser a causa da tosse. Nos não fumantes, três causas se destacam: o gotejamento pós-nasal (secreção que escorre do nariz para a garganta) como acontece na sinusite crônica e na rinite alérgica, broncoespasmo leve (asma, chiadeira ou bronquite) e o refluxo gastroesofágico (quando volta comida mais a secreção ácida do estômago para o esôfago).

Quadro 2 - Causas de tosse crônica em adultos

 Mais freqüentes

 Menos freqüentes

Fumo Tumores do trato respiratório
Fumaça de cigarro (pessoas que convivem com fumantes) Insuficiência cardíaca congestiva
Irritação da faringe (sinusite, rinite alérgica) Tuberculose
Asma Inalação crônica de irritantes (local de trabalho)
Refluxo gastroesofágico Infecções oportunistas
Efeito colateral de alguns medicamentos como: inibidores da enzima de conversão como o captopril, enalapril e betabloqueadores como o propranolol  
Pós-infecção  

Alguns medicamentos apresentam a tosse como um dos efeitos colaterais mais freqüentes. Os inibidores da enzima de conversão como o captopril e o enalapril são medicamentos usados no controle da hipertensão arterial. Em torno de 30% das pessoas que tomam esse medicamento apresentam tosse como efeito colateral. A tosse na maior parte das vezes é incontrolável levando à substituição do medicamento. Outro grupo de medicamentos anti-hipertensivos, os betabloqueadores, também podem causar tosse, mas por outro mecanismo. Os betabloqueadores com efeito colateral podem causar broncoespasmo (crises de asma com chiadeira). A tosse crônica pode ser uma manifestação do broncoespasmo leve.