Hipertireoidismo: sintomas, diagnóstico e tratamento

Autor: 
Isabela Benseñor

O hipertireoidismo também é uma doença auto-imune, só que o anticorpo contra a tireóide estimula a glândula a produzir mais hormônio, no caso a tiroxina livre (T4). A glândula geralmente fica muito aumentada. É uma doença também mais comum nas mulheres do que nos homens.

Como a quantidade de tiroxina circulante no hipertireoidismo é muito grande, a hipófise diminui a produção de TSH, que fica muito baixo.

Sinais e sintomas de hipertireoidismo

Os sintomas do hipertireoidismo são o contrário dos do hipotireoidismo. A pessoa com hipertireoidismo é magra, agitada, parecendo ansiosa. A pele é quente e sedosa. O coração bate mais rápido (aumento da freqüência cardíaca). Os olhos do hipertireóideo parecem saltados por uma inflamação da musculatura e do tecido conjuntivo em volta dos olhos. Isso e o aumento da tireóide no pescoço tornam fácil reconhecer o paciente com hipertireoidismo.

O paciente com hipertireoidismo é agitado, não dorme e pode ter diarréia. A pressão arterial é elevada. A ação das quantidades de hormônio aumentadas sobre o coração pode levar a vários tipos de arritmias.

Diagnóstico

O diagnóstico novamente é realizado com a dosagem dos hormônios TSH e tiroxina (T4). No hipertireoidismo o TSH está muito baixo, sendo às vezes impossível de medir. Por outro lado, a tiroxina livre está muito elevada. Alguns anticorpos que aumentam no hipertireoidismo também podem ser dosados e estão aumentados.

Tratamento

O tratamento do hipertireoidismo pode ser feito por meio de medicamentos, radioiodo ou cirurgia. Os remédios podem ser tentados por um período de um ano. Caso não haja melhora, as opções são usar o iodo radioativo para “queimar” a glândula. O iodo faz parte dos hormônios da tireóide sendo captado pela glândula. Para queimar a glândula, é injetado iodo radioativo que vai ser captado pela glândula. Como é iodo radioativo ele acaba “queimando” a glândula fazendo com que ela pare de funcionar. A tendência é que com o tempo, o paciente evolua para um hipotireoidismo porque a glândula “queimada” pára de funcionar. Embora possa assustar por ser iodo-radioativo, os efeitos colaterais são muito pequenos e a única recomendação é que se o paciente for mulher, não engravide nos próximos seis meses.

Quando a tireóide está muito grande pode-se indicar cirurgia. Tanto o radioiodo como a cirurgia podem levar ao hipotireoidismo. Se isso acontecer, o paciente deverá ser tratado para hipotireoidismo para o resto da vida.