O sistema linfático

Autor: 
Editores do Consumer Guide

sistema linfático

O sistema linfático é o sistema de drenagem do corpo. Ele é composto de uma rede de vasos e pequenas estruturas chamadas nódulos linfáticos. Os vasos linfáticos conduzem o excesso de fluído coletado do resto do corpo de volta à circulação sangüínea. Ao longo do caminho, entretanto, esses fluidos são forçados a passar através dos nódulos linfáticos para que eles possam ser filtrados. Organismos prejudiciais como, por exemplo, bactérias são capturados e destruídos pelas células sanguíneas brancas, chamadas linfócitos, que estão presentes nestes nódulos. Os linfócitos são também adicionados à linfa que flui para fora dos nódulos de volta à corrente sangüínea.

Anticorpos

Os anticorpos são produzidos pelo sistema linfático. Os anticorpos são proteínas especializadas que o corpo produz em resposta à invasão por substâncias estranhas. O processo de formação de anticorpos começa quando um antígeno estimula os linfócitos especializados, chamados células B, a entrarem em ação. Os anticorpos então neutralizam os antígenos invasores, juntando-se ao antígeno para torná-lo inofensivo para o corpo.

Alguns anticorpos cobrem os organismos prejudiciais de forma que os macrófagos do corpo possam reconhecê-los e destruí-los mais facilmente. A molécula do anticorpo se associa com a molécula do antígeno fazendo a combinação nos locais corretos; eles se encaixam como peças de um quebra-cabeças. Outros anticorpos que neutralizam as toxinas produzidas por bactéria são chamados de antitoxinas..

Durante períodos de produção ativa de anticorpos, os nódulos linfáticos freqüentemente aumentam e tornam-se sensíveis ao toque. Por exemplo, uma vacinação (injeção de um antígeno natural ou artificial para estimular o corpo a produzir anticorpos protetores) no braço pode causar o aumento dos nódulos da axila, enquanto a mononucleose causa o aumento dos nódulos que podem ser sentidos sob a pele das axilas, virilha e pescoço. O baço (um órgão localizado na parte superior esquerda do abdome) é também importante na produção de anticorpos.

Resposta imune

A produção de células brancas e de anticorpos em relação a um organismo invasor é chamada de resposta imune. Esta resposta é uma das mais eficientes linhas de defesa primária do corpo. Na maioria dos casos, uma vez que os anticorpos tenham sido produzidos para combater um determinado organismo, este não se constitui em mais uma grande ameaça ao corpo. É por isso que ter uma doença previne que a mesma doença ocorra outra vez - o primeiro ataque causa a produção de anticorpos que protegem o corpo contra ataques subseqüentes. Com o sarampo, por exemplo, os anticorpos são produzidos como resultado de ter a doença ou de ser imunizado com a vacina. Estes anticorpos são capazes de resistir a um segundo ataque da doença.

Os anticorpos nem sempre são benéficos. Por exemplo, quando um tecido de outro corpo, tal como um coração transplantado, , entra em contato com o corpo do receptor do transplante, são produzidos anticorpos para destruir o "invasor". Os transplantes normalmente se tornam possíveis com a utilização de medicamentos que agem contra a resposta imune natural do corpo, suavizando-a. Da mesma forma, quando se faz transfusão de sangue de uma pessoa para outra, os sangues tem que ser compatíveis. Caso contrário, a resposta imune do receptor produzirá anticorpos contra o sangue transfundido.

Às vezes o sistema imunológico causa reações que tornam o corpo excepcionalmente sensível ao material estranho. Quando a resposta imune é prejudicial ao corpo dessa forma, é chamada de ­reação alérgica. Vamos saber sobre este importante mecanismo e os tipos de alérgenos na próxima página.