Leucócitos

Autor: 
Marshall Brain

Aprender todos esses nomes diferentes e a função de cada tipo de célula requer um certo esforço, mas fará com que você compreenda um pouco melhor os artigos científicos. Fizemos um pequeno resumo dos diferentes tipos de células.

Todas as células sangüíneas brancas são conhecidas oficialmente como leucócitos. Elas não são como as células normais do corpo. Na verdade, agem como organismos vivos independentes e unicelulares capazes de se moverem e capturarem coisas por conta própria. As células brancas se comportam, de certo modo, como amebas em seus movimentos e são capazes de absorver outras células e bactérias. Algumas delas não podem se dividir e reproduzir por conta própria, porém, são produzidas pela medula óssea.

Os leucócitos são divididos em 3 classes:

  • granulócitos - os granulócitos constituem 50 a 60% de todos os leucócitos. Dividem-se em três classes: neutrófilos, eosinófilos e basófilos. Eles têm esse nome porque contêm grânulos com diferentes substâncias químicas, dependendo do tipo de célula;

     

  • linfócitos - os linfócitos constituem 30 a 40% de todos os leucócitos. Os linfócitos se dividem em dois subtipos principais: células B (aquelas que amadurecem dentro da medula óssea) e células T (aquelas que amadurecem no timo);

     

  • monócitos - os monócitos constituem até 7% de todos os leucócitos. Os monócitos se transformam em macrófagos.

Todas as células sangüíneas brancas começam na medula óssea como células tronco. As células tronco são células genéricas que podem se transformar em muitos tipos diferentes de leucócitos à medida que amadurecem. Por exemplo, é possível pegar um camundongo, irradiá-lo para incapacitar sua medula óssea de produzir novas células sangüíneas, e então injetar células tronco na corrente sangüínea. As células tronco se dividirão e se transformarão em todos os tipos diferentes de células sangüíneas brancas. Um "transplante de medula óssea" é simples: injeta células tronco de um doador dentro da corrente sangüínea. As células tronco encontram seu caminho, de forma quase mágica, para dentro da medula e fazem dela seu lar.