Problemas digestivos na parte inferior

Vamos tratar dos problemas que talvez você encontre depois que o alimento passar pelo estômago e chegar aos intestinos. Nesses órgãos cheios de curvas podem ocorrer muitas doenças, porém falaremos das mais comuns.

  • Doença inflamatória intestinal (DII) - existem dois tipos principais de DII, uma inflamação crônica dos intestinos: colite ulcerativa e doença de Crohn. Essas doenças, às vezes debilitantes, afetam mais de 600 mil norte-americanos por ano [fontes: Family Doctor (em inglês), National Digestive Diseases Information Clearinghouse (em inglês)]. As duas doenças criam úlceras nos intestinos, que causam cólicas abdominais, diarréia, sangramento intestinal e perda de peso. A doença de Crohn geralmente afeta os intestinos delgado e grosso, e a colite ulcerativa normalmente ocorre apenas no intestino grosso, começando no reto.
  • Síndrome do intestino irritável (SII) - Ao contrário da DII, que é um problema estrutural nos intestinos, a SII é um problema funcional. Não há nenhuma lesão visível, como úlceras ou tumores, mas há vários sintomas intestinais. As pessoas com SII podem ter episódios inesperados e recorrentes de dor abdominal, inchaço, constipação e diarréia. Muitas vezes, esses sintomas são causados por fatores simples, como estresse, alterações hormonais e até por antibióticos. Não se sabe a causa exata, mas existe uma teoria de que há um problema na comunicação via sistema nervoso entre o cérebro e os intestinos.
    As pessoas que sofrem da doença celíaca não conseguem digerir produtos à base de trigo
    Dave White © istockphoto.com
    As pessoas que sofrem da doença celíaca não conseguem digerir produtos à base de trigo

  • Doença celíaca - o sistema imunológico é o responsável por essa doença. Ele ataca o sistema digestivo quando você come glúten, uma proteína encontrada no trigo, no centeio, na cevada e em muitos alimentos feitos com esses produtos. As pessoas com essa doença não conseguem digerir com facilidade os nutrientes dos alimentos que contêm glúten e acabam tendo diarréia, inchaço abdominal e fraqueza. Mas elas podem evitar esses problemas se ingerirem somente alimentos sem glúten.
  • Teníase - não é tão comum como as outras doenças digestivas, mas vale a pena mencioná-la. Os ovos ou larvas da tênia entram no trato digestivo por meio de alimentos contaminados. Assim que se estabelecem nos intestinos, começam a roubar os nutrientes, como a vitamina B12. O estranho é que a maioria das pessoas não sente nenhum sintoma. Mas se esse parasitismo se estender por muito tempo, podendo levar à desnutrição, fraqueza, náusea, dor abdominal, diarréia e perda de peso. O perigo mesmo é quando os vermes resolvem partir para outras partes do corpo, como pulmões ou fígado. Lá, eles formam cistos que podem causar problemas muito mais graves.
  • Flatulência - todos nós soltamos gases, mas você sabe por que isso acontece e em que quantidade? Gases como hidrogênio, dióxido de carbono e metano são produzidos durante a quebra do alimento no intestino grosso. Quando o reto sente o excesso de gases, o cérebro recebe um sinal, para analisar se é uma boa hora para soltá-los. Se for, o esfíncter relaxa, o reto se contrai e o gás é liberado. Em média, uma pessoa pode expelir gases de 10 a 25 vezes por dia. Se estiver acontecendo com mais freqüência, é possível que você tenha um problema digestivo, como intolerância à lactose [fonte: WebMD: Flatulence (em inglês)].
  • Constipação - é a evacuação difícil, infreqüente ou incompleta. O significado de "infreqüente" pode variar. Entre três vezes por dia e três vezes por semana é considerada normal [fonte: WebMD (em inglês)]. A questão é: se você não sente desconforto ao evacuar e se suas fezes apresentam consistência normal, você não está constipado. Esse problema é causado pela lentidão do intestino grosso. Quando as fezes permanecem nele por muito tempo, boa parte da água é absorvida e elas acabam ficando duras. Embora a constipação ocasional não seja um problema, a constipação crônica pode levar a hemorróidas ou fissuras.
  • Diarréia - a diarréia ocorre quando as contrações musculares fazem os intestinos trabalharem com mais rapidez, impedindo que absorvam a água dos dejetos antes de eliminá-los do corpo. A inflamação intestinal também pode causar diarréia, deixando sair líquido nas fezes. Existem várias causas da diarréia, de bactérias a estresse; por isso, não é de se admirar que a maioria dos norte-americanos tenha cerca de quatro episódios de diarréia por ano [fonte: WebMD (em inglês)]. No Brasil, esse tipo de infecção também é muito frequente.

Para mais informações sobre a digestão, dê uma olhada nos links da próxima página.