Sinais e sintomas do trabalho de parto

O parto pode ser dividido em três estágios distintos. Compreender os sinais e estágios do trabalho de parto ajudará você a se preparar e a ter uma experiência saudável ao dar à luz.

Primeiro estágio do parto: trabalho de parto e transição

O primeiro estágio do parto começa com o trabalho de parto, as contrações rítmicas que abrem o colo do útero e pressionam o bebê através do canal de parto. Esse estágio do parto, do surgimento das contrações progressivas do trabalho de parto até o colo do útero estar completamente dilatado, é quase sempre o mais longo. Geralmente começa lentamente e então acelera quando a dilatação do colo do útero atinge em torno de 4 a 5 cm (a dilatação total é de 10 cm).

Mas quais são os sinais que indicam quando o trabalho de parto começou? Isso é o que toda futura mamãe quer saber.

O trabalho de parto não começa repentinamente, ele acontece gradualmente. Pode levar horas, até dias, para você perceber que as sensações que você está tendo são parte do trabalho de parto ou pré-trabalho de parto (também chamado de falso trabalho de parto). Alguns sinais e sintomas sutis do primeiro estágio do trabalho de parto incluem uma dor nas costas que deixa você inquieta, a percepção de movimentos suaves no intestino, acompanhados por sintomas indefinidos e uma explosão de energia para deixar tudo pronto para a vinda do nenê. 

À medida que o parto se aproxima, existem alguns sintomas mais específicos que podem ocorrer. A mulher grávida pode eliminar um muco avermelhado, chamado de tampão mucoso, pela vagina. Ele está associado com o afinamento do colo do útero, e pode ocorrer dias antes de outros sinais do trabalho de parto ou apenas imediatamente antes das contrações do trabalho de parto iniciarem. Pode-se notar uma perda de fluido da vagina, que indica que existe uma pequena ruptura no saco amniótico (também chamado de bolsa uterina) envolvendo o bebê. Isso ocorre em 10 a 20% dos partos, mas pode não estar associado com trabalho de parto espontâneo. A perda de fluido pode continuar indefinidamente por horas antes de o parto começar, sem aparecimento das contrações.

Existem dois sinais absolutamente claros de início do trabalho de parto:

  • contrações mais longas, mais fortes e com intervalos mais curtos entre uma e outra
  • rompimento da bolsa uterina

Quando você estiver em trabalho de parto real, você sentirá as contrações no abdome, nas costas, ou ambos, e elas serão dolorosas e fortes. A melhor maneira de ter certeza de que as contrações estão progredindo é cronometrá-las. Liste os horários em que as contrações começam e quanto tempo elas duram. Monitore-as por uma ou duas horas. Se elas não estiverem progredindo, pare um pouco e então cronometre-as novamente para ver se houve alguma mudança. As contrações estarão dilatando o colo do útero quando tiverem duração de um minuto com intervalos de cinco minutos entre elas.

Se a bolsa uterina se rompe, você pode ouvir um leve estalo e sentirá a perda de fluido seguida de contrações. O trabalho de parto geralmente acelera após o rompimento da bolsa.

O trabalho de parto é diferente em cada mulher. E até na mesma mulher, cada trabalho de parto será diferente. Alguns começam lentamente e depois aceleram de forma inesperada, enquanto outros começam rapidamente e depois diminuem o ritmo. Uns são muito rápidos, durando apenas umas poucas horas. Outros são muito longos, levando um dia ou dois. A duração média é em torno de 15 a 16 horas para as mães de primeira viagem e de 7 a 8 horas para mulheres que tiveram partos anteriores. A dor e o cansaço sentido durante o trabalho de parto também variam muito de mulher para mulher. É melhor, então, não ter expectativas específicas mas se preparar para uma ampla gama de possibilidades.

A fase final do primeiro estágio do parto é chamada de transição e é particularmente intensa. É o momento no qual o colo do útero dilatará de 7 a 10 cm. Você pode sentir uma necessidade de empurrar o feto durante essa fase, mas será aconselhada a resistir. Empurrá-lo antes do colo uterino estar completamente dilatado pode lesar o colo e os tecidos perineais levando a um forte sangramento.

Segundo estágio do parto: empurrão e nascimento

O segundo estágio do parto, o do empurrão, culmina no nascimento. Esse estágio leva de 15 minutos a 3 horas ou mais. A combinação de contrações uterinas e os seus esforços de expulsão empurram o bebê para mais perto da saída. É um trabalho árduo e muito doloroso, mas também é um momento excitante. E esse estágio do parto vem com uma recompensa: o nascimento do bebê.

Terceiro estágio do parto: expelindo a placenta

O seu trabalho não acabou, apesar do bebê ter nascido. Existe mais um estágio do parto, mais um trabalho que você tem que fazer - que é expelir a placenta. Esse estágio geralmente leva de 5 a 30 minutos. Uma enfermeira ou outro profissional manterá a mão sobre o seu abdome para determinar quando a placenta se separa da parede uterina. Então pedirão a você para empurrá-la. Você pode sentir algumas contrações, mas o desconforto geralmente é mínimo. A saída da placenta é o sinal do fim do parto.

Fatores que influenciam o parto

O trabalho de parto é principalmente um fenômeno fora do seu controle. Mas existem algumas coisas que você pode fazer e que podem ter um impacto positivo na sua experiência de trabalho de parto. Aqui está o que você pode e o que não pode controlar.

Fatores do parto que você pode controlar, até certo ponto:

  • estado emocional e atitude em relação ao parto (otimismo, confiança, relaxamento x ansiedade, medo, e tensão);
  • a presença de um parceiro que ajude;
  • conhecimento do que esperar do parto;
  • um ambiente tranqüilo e uma equipe profissional que a ajudarão a se sentir segura e bem cuidada;
  • cuidados com você mesma (incluindo boa alimentação e bons hábitos de saúde).

Fatores do parto que você não pode controlar:

  • tamanho e forma da pelve
  • tamanho e forma do bebê;
  • encaixe do bebê (se já está encaixado na pelve), apresentação (que parte do corpo do bebê vai aparecer primeiro), e posição do bebê (se o bebê está sentado ou com a cabeça virada para baixo e sua localização exata);
  • as condições do colo uterino quando as contrações começarem;
  • a força das contrações;
  • o intervalo entre as contrações;
  • alguns aspectos da sua saúde geral e do bem-estar do bebê antes e após o parto.­