O que é um esgotamento nervoso?

Esgotamento nervoso é um termo que as pessoas usam para caracterizar várias doenças mentais, mas que geralmente descreve a experiência de "estourar" sob pressão acentuada, colapso mental ou exaustão mental e física.

Esgotamento nervoso não é um termo clínico. Não existe definição psiquiátrica para um esgotamento nervoso, e isto nada tem a ver com nervos. Esgotamento nervoso é um termo inexato e não científico, e não é mais utilizado em psiquiatria. Tanto a medicina como a psiquiatria modernas usam definições mais específicas que "esgotamento nervoso" em diagnósticos.

No Brasil, a observação tem demonstrado que o esgotamento físico é comum aos participantes daquilo que chamamos de vida moderna, ou seja, todos. Os primeiros sintomas são quei­xas vagas, tais como tonturas, palpitações, falta de ar, a sensação de ter um nó na garganta ou dores sem uma causa física, principalmente na cabeça, abdómen, peito, costas e pernas e posteriormente sintomas que caracterizam esse esgotamento como depressão ou estresse.

O diagnóstico que mais se parece com que o que se chama de esgotamento nervoso é a depressão. Episódios depressivos podem ser causados por fatores genéticos e biológicos, e muitas vezes são ligados a circunstâncias sociais e ambientais. A depressão é definida como "a perda de interesse ou prazer em quase todas as atividades", e "prolongada fadiga sem esforço físico". Ela se caracteriza pela falta de energia e motivação, junto com sentimentos de culpa ou falta de esperança. Isto é causado muitas vezes por situações tensas, como dificuldades em relacionamentos, problemas de saúde, conseqüências de um acidente ou a morte de uma pessoa amada.

A doença mental conhecida como esgotamento nervoso também pode ser algo como um ataque de pânico, esquizofrenia, síndrome de estresse pós-traumático ou transtorno agudo de estresse.

Especialistas brasileiros dizem que as situações que mais desencadeiam um esgotamento físico e consequentemente o estresse e depressão são um casamento infeliz, vida em condição de extrema pobreza, um chefe rude, conflito constante e tentar seguir uma rotina diária que está claramente além da capacidade mental, emocional e física da pessoa. No Brasil, 90% da população sofre com algum nível  de estresse, depressão, ansiedade, pânico ou esgotamento nervoso que estão interligados.

Pesquisas mostram que cerca de um terço dos americanos sentem-se à beira de um esgotamento nervoso em algum nível. Estudos estimam que 50 milhões de americanos sofrem alguma forma de doença mental.

No Brasil, a depressão também é bastante freqüente, assim como no restante do mundo e atinge mais as mulheres do que os homens. Os estudos mostram que para cada quatro mulheres com depressão há um homem, comprovando a ligação com as alterações hormonais.

A depressão é tratada através de medicação e aconselhamento psiquiátrico.

Abaixo estão alguns links interessantes: