Prevenção da mononucleose

Autor: 
Laurie L. Dove

A mononucleose apresenta muitos dos sintomas da gripe, então é importante saber o que mais procurar caso você ou alguém de sua família adquirir essa infecção. Nesta seção, conheça os princípios da doença, bem como quem mais corre riscos de contraí-la.

Princípios sobre a mononucleose

A mononucleose ou "doença do beijo" é uma infecção comum causada normalmente pelo vírus Epstein-Barr virus (EBV), um membro da família do vírus do herpes. Como o apelido implica, beijar pode espalhar a doença, mas ela pode, às vezes, ser transmitida indiretamente por muco e saliva lançados ao ar quando uma pessoa infectada tosse ou espirra.

A maioria das pessoas é exposta ao EBV durante a infância, mas a maioria não desenvolve a mononucleose. Pessoas que foram infectadas com EBV  carregarão o vírus pelo resto de suas vidas, mesmo que nunca manifestarem a doença. 

Contudo, o EBV pode causar uma enfermidade grave, especialmente um câncer de gânglios linfáticos como o linfoma de Burkitt, em pessoas com o sistema imune comprometido, incluindo as portadoras de HIV/AIDS e as que tomam medicamentos para suprimir a imunidade após um transplante de órgãos.

O EBV pode ser encontrado na saliva seis meses ou mais após um caso de mononucleose. Devido ao fato de as pessoas serem portadoras do EBV por toda a vida, ele pode reaparecer na saliva periodicamente. De acordo com diversos Institutos de Saúde, o EBV é um dos vírus mais bem-sucedidos do mundo, infectando mais de 95% da população adulta com o passar do tempo.

Um exame de sangue é a melhor forma de diagnosticar a mononucleose, mas os sintomas comuns são febre; garganta inflamada; constante fadiga ou fraqueza; dores de cabeça, músculos doloridos; inchaço do baço e do fígado, erupções na pele; dor abdominal e nódulos linfáticos inchados no pescoço, debaixo dos braços ou virilha. A mononucleose é freqüentemente confundida com a infecção estreptocócica ou com a gripe.

A mononucleose desaparecerá sozinha em cerca de quatro semanas, mas adolescentes e adultos podem experimentar fadiga e fraqueza por diversos meses. Se você ou seu filho tiver o baço e nódulos linfáticos inchados, evite a prática de esportes por pelo menos um mês. O baço inchado pode romper, causando dor abdominal e sangramento. Se isso ocorrer, será necessário uma cirurgia de emergência.

Não é necessário um medicamento antiviral para tratar a mononucleose, mas um médico pode prescrever esteróides do tipo prednisona para pessoas muito doentes.

Prevenção da mononucleose
2006 Publications International, Ltd.
A mononucleose normalmente dura cerca de um mês, mas
algumas pessoas se sentem cansadas por muitos meses depois de a doença ter desaparecido

Quem corre riscos de contrair a mononucleose?

Bebês e crianças abaixo dos 4 anos infectados com EBV normalmente têm sintomas muito leves ou nenhum sintoma. Adolescentes têm um maior risco de desenvolver a mononucleose - as idades de pico para a infecção são entre os 15 e os 17 anos.

Medidas defensivas

Não há vacina para o EBV. Contudo, há passos a serem tomados que podem levar à prevenção contra a mononucleose:

  • lavar as mãos freqüentemente;
  • evitar contato íntimo com pessoas portadoras de mononucleose;
  • não deixar seus filhos compartilharem xícaras, pratos, copos ou utensílios com uma pessoa infectada;
  • não permitir que seu filho compartilhe uma escova de dentes;
  • usar copos descartáveis e toalhas de papel no banheiro;
  • não compartilhar brinquedos, mordedores ou itens similares;
  • lavar e esterilizar freqüentemente chupetas e mamadeiras;
  • desinfetar superfícies compartilhadas, como tampos de mesa, balcões de cozinha e tabuleiros de jogos;
  • deixar bem claro, especialmente para os adolescentes, que beijar uma pessoa infectada com mononucleose é garantia certa de infecção.

Como se pode determinar se sua garganta inflamada é na verdade uma infecção estreptocócica? Saiba sobre sinais reveladores da doença na próxima seção.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui a prática da medicina e não substituem o atendimento de seu médico ou de qualquer outro profissional de saúde. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.