Prevenção da disenteria

Autor: 
Michele Price Mann

A disenteria é uma inflamação dos intestinos que causa diarréia grave e dolorida. A forma bacteriana da disenteria, a shigelose, é causada pelas bactérias Shigella (a shigelose é a causa mais comum de diarréia grave nos Estados Unidos). A amebíase que, às vezes, é chamada de disenteria amebiana, é muito menos comum e é causada pelo parasita unicelular Entamoeba histolytica.

Informações sobre a infecção da disenteria

Tanto a shigelose quanto a amebíase são marcadas por diarréia grave, às vezes, com sangue, febre e cólicas estomacais. De acordo com o CDC, cerca de 18 mil casos de shigelose são relatados anualmente nos Estados Unidos.

Não lavar direito as mãos nem ter bons hábitos de higiene, especialmente entre crianças e pessoas que manipulam alimentos, ajuda a espalhar as formas da disenteria. Verduras colhidas em um campo contaminado pela rede de esgotos, moscas que agem como portadoras de bactérias e fornecimento de água e piscinas podem ser fontes da Shigella.

Crianças entre 2 e 4 anos são as vítimas mais comuns da disenteria.

2006 Publications International, Ltd.

Crianças entre 2 e 4 anos são as vítimas mais comuns da disenteria. Ensinar
as crianças a terem bons hábitos de higiene pode ajudar a prevenir a infecção

Ao contrário da maioria das causas bacterianas de diarréia, pouquíssimas bactérias (menos que 100) são necessárias para transmitir a shigelose, por isso, ela é transmitida com mais facilidade de pessoa a pessoa. Além de a própria infecção prejudicar os intestinos, as bactérias Shigella produzem toxinas que causam mais lesões.

O freezer queima


essas bactérias


As bactérias conseguem sobreviver ao congelamento por muito tempo, por isso, E. coli e companhia podem causar doenças se você não cozinhar adequadamente o alimento antes de congelá-lo ou depois de descongelá-lo. Algumas bactérias ainda se reproduzirão em baixas temperaturas, como nos alimentos que são descongelados em temperatura ambiente. Você deve sempre descongelar no refrigerador ou sob água corrente fria.

Entretanto, você pode matar organismos maiores congelando o alimento na temperatura certa. Os cistos de toxoplasmose, que causam infecções em fetos em desenvolvimento (a toxoplasmose pode ser passada pela placenta) ou em pessoas com problemas no sistema imunológico, podem ser erradicados congelando-se a carne por um dia em um freezer doméstico. E as formas infecciosas da triquinose (uma infecção por nematelminto) morrem quando o porco é congelado a -20,5ºC por 25 dias (em um freezer doméstico) ou a -30ºC por 25 horas (em um freezer comercial).

As bactérias Shigella incubam no corpo durante alguns dias após a exposição antes do aparecimento dos sintomas e geralmente permanecem de cinco a sete dias (embora ainda possa haver contágio até duas semanas depois). A E. histolytica pode incubar no corpo por uma a quatro semanas e, mesmo assim, somente um entre dez infectados apresentará qualquer sinal da doença.

Se você ficasse doente, os sintomas desapareceriam sozinhos, mas você teria que beber bastante líquido para permanecer hidratado. Pode ser que o médico prescrevesse antibióticos para a shigelose ou a amebíase para ajudar a diminuir a gravidade e a duração da doença.

Em alguns casos, a shigelose pode provocar a síndrome de Reiter, e o parasita que causa a amebíase pode se espalhar para fora dos intestinos, particularmente no fígado.

Quem corre risco de ter disenteria?

Crianças entre 2 e 4 anos são as vítimas mais comuns, assim como suas famílias. Qualquer pessoa que trabalha em creche ou em casa de repouso também corre risco. Crianças com menos de 2 anos que desenvolvem a shigelose podem ter febre alta, que pode causar convulsões, mas isso é raro.

Medidas de defesa 

Siga os conselhos a seguir e diminua o risco de contrair disenteria.

  • Ensine bons hábitos de higiene às crianças - ensinar seu filho a lavar as mãos e ter certeza de que ele o faz sempre que usa o banheiro ajudará você a gastar menos tempo no consultório médico.
  • Descarte a fralda corretamente - se seu bebê tiver diarréia, enrole a fralda suja em um saco plástico e jogue-a em um cesto de lixo com tampa. Após trocar a fralda, lembre-se de lavar bem as mãos e limpar o local da troca com água sanitária.
  • Mantenha a piscina limpa - ensine as crianças desde cedo que piscina não é banheiro, principalmente ao freqüentarem uma piscina pública.
  • Capriche nos seus alimentos - lave as verduras e frutas antes de comê-las ou de cozinhá-las.
  • Isole-se - se tiver diarréia, evite contato com outras pessoas. Além disso, não cozinhe nem dê água para ninguém até que seus sintomas tenham desaparecido.
  • Evite surtos - avisar os amigos e colegas de trabalho sobre seus sintomas pode ajudar a evitar um surto.

As bactérias de origem alimentar podem transformar uma linda refeição em seu pior pesadelo estomacal. Vá para a próxima seção para saber como evitar a intoxicação alimentar.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O
OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer
Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor, nem a
editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis
oriundas de tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar,
ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou da aplicação
das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não
constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de
seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se
submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento
médico ou de outro profissional da área da saúde.