Bicho-de-Pé

Autor: 
Shanna Freeman

Enquanto os parasitas que estudamos até o momento são encontrados em todo o mundo, o bicho-de-pé vive principalmente na América Central e do Sul. O animal vive no solo e se alimenta dos seres humanos e outros mamíferos, atacando principalmente os pés.

O bicho-de-pé é diferente de outras pulgas porque se instala por sob a pele para se alimentar de sangue e colocar ovos. Ao contrário do acarino da sarna, ele não fica completamente sob a pele. Em lugar disso, cava um buraco e posiciona sua cabeça sob a pele. Os órgãos respiratórios e patas traseiras ficam de fora para que o animal possa respirar enquanto se alimenta. O bicho-de-pé também coloca seus ovos pela abertura, e estes caem ao chão. Pouco depois, ele morre, mas os ovos produzem insetos adultos em dois dias.

Uma mordida de bicho-de-pé se assemelha a um pequeno ponto vermelho com um centro preto. A infecção por bicho-de-pé é conhecida como tungíase [fonte: Collins - em inglês], e causa inflamação, coceira e dor. Mesmo depois que o bicho-de-pé morre e cai, a lesão aberta que ele deixa fica exposta a infecção e a abscessos. Mordidas múltiplas de bicho-de-pé, comuns entre as pessoas infectadas, podem resultar em condições mais severas, como gangrena e infecções sanguíneas.

Porque o bicho-de-pé fica parcialmente visível na pele, em geral é fácil diagnosticar o problema. Pode-se removê-los com pinças (mas com cuidado, para não deixar a cabeça por sob a pele) ou sufocá-los e matá-los na superfície da pele com óleo ou vaselina. Os médicos muitas vezes receitam antibióticos para tratar as infecções. Uma das maneiras mais efetivas de evitar o bicho-de-pé é usar sapatos fechados, mas pesticidas também podem ser empregados.

Na próxima seção, estudaremos um parasita interno que usa outros insetos para fazer seu trabalho sujo: a berne.