Os benefícios da ave

Autor: 
Betsy A. Hornick and Eric Yarnell

As carnes de frango e peru são consideradas alternativas saudáveis de pouca gordura em relação à carne vermelha, mas isso nem sempre é correto. Uma porção de carne escura, como uma coxa de frango com pele, tem uma grande quantidade de gordura. Você tem que escolher a carne de frango certa para realmente evitar essa gordura em excesso. Qual a sua melhor aposta? Carne branca sem pele, de frango ou de peru. Ela tem a menor quantidade de gordura e de calorias. Retirar a pele antes de comer o frango reduz a gordura e as calorias, mas você perderá essa vantagem se fritá-la em muito óleo, mergulhá-la em molhos gordurosos ou cobri-la com queijo.

Se você está tentando reduzir a gordura, o peito de frango sem pele é uma ótima opção de proteína com pouca gordura.

No entanto, você deve ter cuidado porque as carnes de frango e de peru contêm quase a mesma quantidade de colesterol por porção que a carne bovina. A carne de frango é uma ótima fonte de vitaminas B, que não são muito abundantes na carne de boi, mas é apenas uma fonte moderada de ferro.

A carne moída de peru também é uma escolha, mas normalmente tem mais gordura do que se pensa, porque a pele pode ter sido moída junto com a carne. Para uma verdadeira carne moída de baixa gordura, procure por "peito de peru moído".

Escolha e conservação

Quando estiver escolhendo frango ou peru inteiros, procure pelo mais gordinho e firme, com pele úmida e flexível. A cor da pele deve ser branco-cremosa ou amarelada (a cor varia de acordo com a alimentação que a ave recebeu) e ela não deve ter odor algum.

A carne de frango é altamente perecível e representa um convite permanente às bactérias se não for guardada corretamente. Se você comprar um frango ou um peru fresco inteiro, guarde-os o mais rápido possível na parte mais fria da geladeira e use em dois ou três dias. Se você não planeja preparar a carne neste período, lave, seque, corte em pedaços, embale e congele. Ela poderá ficar guardada assim por até nove meses. Se você congelar a ave inteira, sem cortar, poderá ficar no freezer por um ano.

Nunca deixe o frango descongelar em temperatura ambiente. Descongele na geladeira, dentro de um prato para recolher o líquido. Levará de um a dois dias para descongelar um peru pequeno pesando entre 3,6 kg e 5,4 kg e de quatro a cinco dias para um de 9 kg.

Dicas de preparação e conservação

Quando você lidar com o frango cru, lave muito bem as suas mãos com sabonete e água quente antes de tocar em qualquer outro alimento ou utensílio. Também lave muito bem a tábua de cortar e o que mais você tiver usado durante o preparo. Se você pular essa etapa importante da segurança alimentar, estará correndo o risco de causar uma contaminação cruzada, ou seja, de transferir uma bactéria como a salmonela, presente no frango cru, para os outros alimentos servidos na refeição. O cozimento mata a bactéria da salmonela, mas se a bactéria contaminar uma salada crua, por exemplo, poderá ocorrer uma intoxicação alimentar.

Se for marinar a carne de frango ou de peru, deixe marinando na geladeira e não sobre o balcão da cozinha em temperatura ambiente. Não use a vinha-d'alhos como molho para a ave preparada, a menos que você a cozinhe antes de servi-la.

O frango frito, especialmente o do tipo refeição rápida, ele também é cheio de gordura. Opte por maneiras de preparar com pouca gordura. Assar os frangos e os perus inteiros é uma técnica que utiliza pouca gordura. O frango sem pele ou o peito de peru são perfeitos para marinar em molhos com pouca gordura ou quando cortados e misturados com vegetais e fritos em pouco óleo. Os peitos de frango ou de peru também são ótimos para grelhar. Se você desejar acrescentar um molho, espere até o frango estar quase pronto. Se colocado muito antes, ele poderá queimar e ressecar a carne antes de ela estar totalmente pronta.

Não importa a maneira como você prepara o frango ou o peru, mas tenha certeza de que a ave inteira ou a carne escura está realmente pronta, verificando a temperatura interna de 82° C. Para assados sem osso e carne de peito, 76° C. A carne deve estar branca, não rosada e os sucos devem estar claros.

Por muito tempo aconselhou-se remover a pele da galinha ou do peru antes do preparo para diminuir a gordura e as calorias. Acontece que tanto faz remover a pele antes ou depois de cozinhar, pois a gordura e as calorias são quase as mesmas. Já que a carne de galinha sem pele tende a ressecar durante o cozimento, deixe-a enquanto cozinha para segurar a umidade e o sabor. Lembre-se de retirar a pele e qualquer gordura que restou antes da comê-la.

Se você está querendo mais variedade na sua dieta, o peixe também oferece uma fonte de proteínas e é ótimo para combater doenças, se preparado corretamente. Na próxima seção, vamos rever os benefícios de incluir o peixe numa dieta diária saudável.

Reconsiderando o ovo
Antigamente, achava-se que os ovos tinham um teor muito alto de gordura e de colesterol. Sendo assim, não podiam ter lugar em um menu saudável para o coração. Muitas pessoas ainda acreditam nisso, limitando a ingestão de ovos a um ou dois por semana. A não ser que você esteja seguindo uma dieta de teor muito baixo de gordura e seu médico insista nela, você pode, seguramente, aumentar a ingestão semanal de ovos.

Há alguns anos os cientistas descobriram que os ovos contêm menos colesterol do que se pensava. Isso levou ao aumento do número de ovos permitidos por semana, de um ou dois para três a quatro. Mais recentemente, os especialistas decidiram que seria seguro ingerir até um ovo inteiro por dia.

Acontece que, para a maioria das pessoas, o colesterol da dieta tem apenas um efeito pequeno em termos de elevar o colesterol sangüíneo. Mais exatamente, é a gordura saturada presente na dieta a grande causadora do aumento dos níveis de colesterol no sangue. Durante os estudos, em que participantes saudáveis comiam até um ovo por dia, não foi detectado nenhum efeito sobre as doenças do coração.

Embora as recomendações sobre a limitação da ingestão de ovos já tenham caído, a American Heart Association (Associação Americana do Coração) ainda recomenda que se mantenha a ingestão de colesterol no limite médio de 300 miligramas por dia. Um ovo contém cerca de 213 miligramas de colesterol e 5 gramas de gordura, da qual 1,5 gramas é de gordura saturada. Assim, um ovo por dia cabe perfeitamente numa dieta saudável para o coração se o restante da sua dieta for baixa em colesterol.