Neuropatia periférica

Autor: 
Timothy Gower

A neuropatia periférica é aquela sensação comum que ocorre quando sua perna "dorme". Você pode apalpar ou espetar a pele e não sentirá quase nada. Isso pode ocorrer quando os nervos da perna são lesados por algum motivo: talvez você ficou sentado de mal jeito por um bom tempo. As fibras de nervos lesionados não transmitem sinais claros, então, por alguns instantes, seu cérebro não recebe as mensagens da perna. Ao ficar em pé e alongar-se, o nervo não fica mais comprimido e sua perna volta ao normal. Esse fenômeno comum é uma idéia do que ocorre quando se tem neuropatia periférica, a forma mais comum de disfunção nos nervos relacionada a diabetes.

Neuropatia periférica
A sensação de formigamento nos pés é parecida com a que ocorre em pacientes que sofrem de neuropatia periférica

Na maioria dos casos de neuropatia periférica, a disfunção dos nervos começa nos dedos dos pés e nos pés, e continua lentamente para cima, espalhando-se para as panturrilhas e pernas. Mais tarde, as mãos e os braços podem ser afetados. Geralmente, os sintomas ocorrem simetricamente, isto é, eles começam em ambos os pés e pernas e podem piorar durante a noite.

Os sintomas comuns da neuropatia periférica incluem:

  • paralisia
  • sensação de formigamento ou pontada
  • dor
  • sensação de queimação
  • incapacidade de sentir calor ou frio intensos
  • cãibras
  • extrema sensibilidade ao toque
  • perda de coordenação
  • fraqueza e perda dos reflexos

A neuropatia periférica produz esse conjunto de sintomas porque os diferente tipos de nervos executam papéis distintos no corpo. Via de regra, as grandes fibras nervosas sensoriais recebem as sensações de tato e vibração, então a disfunção desses nervos pode causar paralisação e problemas com equilíbrio. As fibras nervosas mais finas transmitem a dor e a sensibilidade à temperatura. Disfunções nesses nervos podem disfarçar a dor e o desconforto de um corte ou ferimento, fazendo com que você não perceba a lesão.

Por incrível que pareça, pode também ocorrer o contrário: os nervos da pele que detectam dor ou pressão podem ter excesso de sensibilidade, fazendo com que o toque mais suave doa como se fosse um tapa. Geralmente, os pacientes dizem que os membros se tornam tão sensíveis que não agüentam nem o peso de um lençol sobre eles.

Outras causas de neuropatia periférica
A diabetes é a causa principal de neuropatia periférica, mas os médicos precisam descartar outros possíveis culpados:
  • disfunções hereditárias, tais como a doença Charcot-Marie-Tooth (atrofia muscular fibular)
  • lesão nervosa por trauma
  • tumores
  • infecções
  • exposição a substâncias tóxicas
  • doenças auto-imunes
  • deficiências nutricionais
  • alcoolismo

Para mais informações sobre a diabetes e as doenças relacionadas, acesse os links a seguir.

  • A neuropatia diabética é uma doença complexa que não pode ficar sem diagnóstico. Aprenda mais neste artigo.
  • As disfunções de nervos do pé podem causar uma das complicações mais comuns da diabetes: feridas nos pés e outros problemas nos pés. Saiba mais no artigo Diabetes e problemas nos pés.
  • O artigo Sintomas da diabetes mostra os diversos os sinais da doença, desde aumento da sede e da fome até a perda repentina de peso.
  • Para mais informações sobre a diabetes em geral, incluindo diagnóstico, causas, sintomas e tratamento, confira o artigo Como funciona a diabetes.

SOBRE OS AUTORES: Timothy Gower é escritor freelance e autor de diversos livros. Seu trabalho apareceu em muitas revistas e jornais, incluindo o Prevention, Health, Reader's Digest, Better Homes and Gardens, Men's Health, Esquire, Fortune, The New York Times e The Los Angeles Times.

SOBRE OS CONSULTORES: Dana Armstrong, nutricionista registrada especializada em nutrição e dietética, é graduada em Nutrição e Dietética pela
University of
California
,
Davis
, e concluiu sua especialização em dietética no University of Nebraska Medical Center de Nebrasca em
Omaha
. Em atendimento particular durante 21 anos, ela desenvolveu programas educacionais que beneficiaram mais de 5.000 pacientes com diabetes. Ela é a co-fundadora e diretora do programa do
DiabetesCareCenter in
Salinas, California..

Allen Bennett King, M.D., F.A.C.P., F.A.C.E., C.D.E., recebeu seu diploma e treinamento no
University of
California
,
Berkeley
;
CreightonUniversityMedicalSchool; no University of
Colorado
Medical Center; e
StanfordUniversityMedicalCenter. Ele é autor de mais de 50 trabalhos sobre ciência médica e dá palestras por todo país sobre os novos avanços da diabetes.

Essas informações têm caráter apenas informativo. ELAS NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área de saúde.