Como funcionam os músculos

Autor: 
Craig C. Freudenrich, Ph.D.

Selo HowStuffWorks

Os músculos são órgãos que a maioria de nós nem percebe que existem, mas que são muito importantes por duas razões específicas:

 

  • os músculos são o "motor" que o seu corpo usa para se movimentar. Embora eles trabalhem de maneira diferente de um motor de carro ou de um motor elétrico, os músculos fazem a mesma coisa: convertem energia em movimento;
  • seria impossível fazer qualquer coisa sem os músculos. Tudo o que você consegue pensar com o seu cérebro é expressado com um movimento muscular. As únicas maneiras possíveis de expressar uma idéia são por meio dos músculos da laringe, boca e língua (palavras faladas), com os músculos dos dedos (palavras escritas ou "gestos") ou com os músculos esqueléticos (linguagem corporal, dançar, correr, construir ou lutar).


Foto cedida pela National Library of Medicine (Biblioteca Nacional de Medicina)
Músculos do corpo humano

Os músculos são essenciais para qualquer animal, são eficientes em converter combustível em movimento, têm longa duração, curam a si próprios e são capazes de crescer com exercícios. Eles fazem de tudo, desde permitir que você ande a manter o seu sangue circulando.

Neste artigo, veremos os diferentes tipos de músculos do corpo e a tecnologia fantástica que os permite trabalhar tão bem.

Quando a maioria das pessoas pensa em "músculos", elas pensam nos músculos que podemos ver. Por exemplo, a maioria de nós conhece os músculos do bíceps em nossos braços, mas há três tipos de músculos no corpo:

  • músculo esquelético é o tipo de músculo que podemos ver e sentir. Quando um fisiculturista se exercita para aumentar a massa muscular, é o músculo esquelético que está sendo trabalhado. Os músculos esqueléticos ligam-se ao esqueleto e aparecem aos pares: um músculo para mover o osso em uma direção e outro para mover esse mesmo osso de volta na direção contrária. Esses músculos normalmente se contraem de forma voluntária, ou seja, você pensa em contraí-los e o seu sistema nervoso manda eles obedecerem ao seu pensamento. Eles podem fazer uma contração curta e única (espasmo) ou uma contração longa e prolongada (tetania);

     

  • os músculos lisos são encontrados no sistema digestivo, vasos do sangue, bexiga, passagens respiratórias e no útero. O músculo liso tem a habilidade de estirar e manter a tensão por períodos longos. Ele se contrai involuntariamente, ou seja, você não precisa pensar em contraí-lo, já que seu sistema nervoso faz isso de maneira automática. Por exemplo, o seu estômago e intestinos fazem seu trabalho muscular o dia todo e, na maior parte do tempo, você nem percebe o que se passa por lá;

     

  • músculo cardíaco é encontrado somente no seu coração e suas características são resistência e consistência. Ele pode estirar de modo limitado, como um músculo liso e contrair com a força de um músculo esquelético. É um músculo que se estende com espasmo e se contrai involuntariamente.

A partir daqui, vamos nos concentrar no músculo esquelético. Os processos moleculares básicos são os mesmos nos três tipos.

O músculo esquelético também é chamado de músculo estriado, já que quando é visto sob luz polarizada ou marcado com um indicador, é possível ver faixas escuras e claras alternadas.


Corte transversal de um músculo esquelético (200x) exibindo as fibras musculares (vermelhas) e as células de gordura (brancas)

O músculo esquelético possui uma estrutura complexa que é essencial à forma em que ele se contrai. Vamos desmembrar um músculo esquelético, começando com as estruturas maiores e passando para as menores.

Machucou?

Atenção: gelo mais atrapalha do que ajuda. Quando o problema é muscular, o processo de cura pode demorar mais.

Leia mais em VEJA.com

A ação básica de qualquer músculo é a contração. Por exemplo, quando você pensa em mexer o seu braço usando o músculo do bíceps, seu cérebro envia um sinal pela célula nervosa mandando que o bíceps se contraia. A quantidade de força que o músculo cria é variável. O músculo pode se contrair pouco ou muito, dependendo do sinal que o nervo envia. Tudo o que o músculo é capaz de fazer é criar uma força de contração.

Um músculo é um conjunto de células chamadas fibras. Imagine as fibras musculares como cilindros longos e, comparadas com as outras células no seu corpo, as fibras musculares são bem grandes. Elas têm de 1 a 40 mícrons de comprimento e de 10 a 100 mícrons de diâmetro. Para podermos comparar, um fio de cabelo tem cerca de 100 mícrons de diâmetro e uma célula comum no seu corpo tem cerca de 10 mícrons de diâmetro.

Uma fibra muscular contém muitas miofibrilas, que são cilindros com proteínas musculares. Essas proteínas permitem que uma célula muscular se contraia. As miofibrilas contêm dois tipos de filamentos ao longo do eixo da fibra, que são dispostos em padrões hexagonais. Há filamentos grossos e filamentos finos. Cada filamento grosso é rodeado por seis filamentos finos.

Filamentos grossos e finos ligam-se a outra estrutura chamada de disco Z ou linha Z, que se distribui de maneira perpendicular pelo eixo longo da fibra, a miofibrila que vai de uma linha Z até a outra é chamada de sarcômero. Estendendo-se verticalmente pela linha Z há um pequeno tubo, chamado de transversal ou túbulo T, que na verdade é a parte da membrana celular que se estende em profundidade para dentro da fibra. E, no interior da fibra, esticando-se pelo eixo longo entre os túbulos T, existe um sistema de membranas chamado retículo sarcoplasmático, que armazena e libera os íons de cálcio responsáveis por disparar a contração muscular.