Como tratar infecções do trato urinário com Medicina Tradicional Chinesa

Autor: 
Bill Schoenbart e Ellen Shefi

Embora seja chamada com freqüência de infecção da bexiga, ou cistite, uma infecção do trato urinário - IU (em inglês) pode ocorrer em qualquer parte do trato urinário, como rins, ureteres, uretra ou bexiga. As bactérias que causam essas infecções normalmente entram pela uretra e percorrem o trato urinário.

Embora os homens possam ter infecções do trato urinário, as mulheres são mais propensas a tê-las, por uma série de razões. Primeiro, a uretra da mulher é mais curta que a do homem, por isso, as bactérias conseguem chegar à bexiga com mais facilidade. Segundo, as gestantes podem ter um risco maior de infecção dos rins, pois o feto (em inglês) pode pressionar os ureteres. Finalmente, a relação sexual pode facilitar a entrada das bactérias pela uretra. O diafragma pode fazer pressão na uretra e dificultar o esvaziamento completo da bexiga, fazendo as bactérias se acumularem e proliferarem na urina não eliminada.

 

Carboidratos que aumentam o risco de infecção do trato urinário
Uma dieta rica em carboidratos
pode aumentar o risco de
infecção do trato urinário. Veja
imagens de problemas urinários (em inglês).

Os sintomas da IU são iguais nos homens e mulheres: necessidade freqüente de urinar, dor e certa dificuldade para urinar (há uma vontade súbita, mas a quantidade de urina é muito pequena). As IUs podem ser agudas ou crônicas. Uma série de fatores aumenta o risco de uma pessoa ter IU, como novo parceiro sexual, dieta rica em carboidratos e pobre em proteínas (em inglês), além de pouco consumo de água.

O padrão subjacente de IUs crônicas na Medicina Tradicional Chinesa geralmente é a deficiência de yin do rim. Outros sintomas incluem língua vermelha com pequena crosta e, possivelmente, irritabilidade e transpirações noturnas. O calor gerado pela deficiência de yin pode levar a uma inflamação crônica.

A medicina ocidental trata as IUs com antibióticos, mas, a menos que a deficiência de yin subjacente seja corrigida, logo que a pessoa cura uma infecção, começa outra. Esse ciclo pode se repetir várias vezes, causando outros problemas em decorrência dos efeitos colaterais dos medicamentos. Na medicina chinesa, o tratamento padrão para a IU crônica é fortalecer o yin e eliminar o calor com uma fórmula, como a Zhi Bai Di Huang Wan (em inglês).

 

O padrão mais comum associado a uma IU aguda é a umidade-calor na bexiga urinária. Os sintomas são febre, calafrios, ardor ao urinar, dor lombar ou na parte inferior do abdome, necessidade urgente e freqüente de urinar, língua vermelha com uma crosta espessa amarelada na parte posterior e pulso instável e forte. Uma infecção nesse estágio é mais bem tratada por um médico, já que pode facilmente se agravar e se estender para os rins.

Um medicamento que às vezes funciona nesse estágio é o Long Dan Xie Gan Wan. Geralmente, recomenda-se fazer uma decocção forte utilizando a fórmula tradicional conhecida como Ba Zheng San ("pó com oito ingredientes usados para tratar os distúrbios urinários").

 

Os casos agudos normalmente respondem à acupuntura e às ervas (em inglês) em questão de dias. O ponto de acupuntura mais efetivo é o Ren 3 ("pico intermediário"), localizado diretamente sobre a bexiga urinária. Outro ponto importante é o baço 9 ("Yin Tomb Spring"), localizado abaixo do joelho, ao longo da parte interna da tíbia. Esse ponto geralmente fica sensível à pressão em caso de uma IU, além de ser bastante útil para todos os tipos de desequilíbrios do trato urinário. Suas funções tradicionais são transformar a estagnação úmida e beneficiar o aquecedor inferior.

 

Durante o tratamento das IUs, é importante evitar completamente o consumo de doces. Deve-se comer uma fonte de proteína em cada refeição para tornar a urina mais ácida e menos favorável às bactérias. É indicado o uso de roupas íntimas de algodão para que o ar circule e para evitar um ambiente úmido. É recomendável não ter relações sexuais, mas se não for possível, o casal deve tomar banho antes da relação para evitar mais infiltração de bactérias no trato urinário.

 

Para saber mais sobre a medicina chinesa tradicional, tratamentos, curas, crenças e outros tópicos interessantes, veja os links a seguir.

 

 

SOBRE OS AUTORES: Bill Schoenbart pratica a MTC (Medicina Tradicional Chinesa desde 1991, quando se tornou mestre em MTC. Ele é professor de teoria médica da MTC e do herbalismo em uma faculdade de acupuntura na Califórnia e possui um consultório médico particular. Ellen Shefi é técnica em massagem e acupunturista licenciada e nutricionista registrada. Ela é membro da American Association of Acupuncture and Oriental Medicine (Associação Americana de Acupuntura e Medicina Oriental), da American Herb Association (Associação Americana de Ervas) e da Oregon Acupuncture Association (Associação de Acupuntura de Oregon).

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., nem o autor, nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.