Como funciona o mapeamento cerebral

Autor: 
Susan Nasr
cérebro

O cérebro humano é um emaranhado de 100 bilhões de neurônios e células auxiliares. Nós podemos armazenar uma vida inteira de memórias nele. E também utilizá-lo para escrever sonetos e construir aviões. É claro que o cérebro do elefante é maior, mais pesado e contém mais neurônios, porém  não possuem as nossas capacidades. Confuso? Os cientistas estão certos disso. Esse é um dos motivos para mapearem o cérebro humano, um projeto substancial que pode levar décadas para ser finalizado.

O mapeamento cerebral tenta relacionar a estrutura do cérebro com a sua função ou descobrir quais são as partes que nos dão certas habilidades. Por exemplo, que aspecto desse órgão nos permite sermos criativos ou lógicos? Isso é chamado de localização de função.

Imagem de neurônios do cérebro humano
Kiyoshi Takahase Segundo/istockphoto.com
Neurônios do cérebro humano enquanto trocam informações entre eles. Quer um mapa disto? Pode levar algum tempo.

No mapeamento das funções cerebrais, os cientistas utilizam recursos de imagem para observarem o seu funcionamento em várias tarefas. Charles Wilson, um neurobiologista da Universidade do Texas, em San Antonio, explica a localização de função da seguinte maneira:

Existe uma parte do cérebro que tem a ver principalmente com a visão e outras partes têm a ver principalmente com a audição. Agora, nós podemos observar o setor da visão e dizermos: existe um pedaço específico do cérebro que detecta objetos vermelhos e outro que localiza objetos verdes? Ou a mesma área detecta objetos de ambas as cores?

O mapeamento cerebral também observa o lado de fora. Ele examina como o nosso ambiente modifica a estrutura do cérebro, estudando, por exemplo, como ele se transforma fisicamente através da aprendizagem e dos processos de envelhecimento. O mapeamento também examina o que há de errado fisicamente no órgão em doenças mentais e outras doenças cerebrais.

E finalmente, o mapeamento cerebral tem o objetivo de nos fornecer um quadro geral da estrutura do cérebro. O Google Earth nos mostra imagens de satélite do nosso planeta e as aproxima de continentes, países, estados, cidades, estradas, ruas e prédios. O mapa estrutural completo do nosso cérebro pode parecer com isso. Ele pode nos mostrar todo o nosso cérebro, todas as regiões, lobos funcionais, centros especializados, "conjuntos" de neurônios, partes do órgão que se conectam, circuitos de neurônios, neurônios únicos, junções entre os neurônios e suas partes. Os cientistas ainda estão tentando entender os elementos que formam esse gigantesco mapa.

Esse mapeamento é uma coleção de muitas ferramentas diferentes. Os pesquisadores devem coletar imagens do cérebro, transformá-las em dados e então, utilizá-las para analisarem o que acontece nesse órgão durante o seu desenvolvimento.

Continue lendo para saber como os especialistas estão mapeando o cérebro.