A história da insulina

Autor: 
Dr. Dana Armstrong and Dr. Allen Bennett King

Em 23 de janeiro de 1922, na Universidade de Toronto, o Dr. Frederick Banting e seu aluno C. H. Best fizeram uma das maiores descobertas do século 20. Usaram, com sucesso, a insulina para tratar uma pessoa com diabetes, doença que, até aquela época, era uma sentença de morte automática a qualquer pessoa que a tivesse.

Antes dessa descoberta, não havia tratamento para a diabetes. Os portadores do tipo 1 morriam rapidamente, enquanto os portadores do tipo 2 morriam mais lentamente, sofrendo de complicações horríveis antes da morte. A Universidade de Toronto imediatamente deu às empresas farmacêuticas licença para produzir insulina com isenção de pagamento dos direitos. No início de 1923, aproximadamente um ano após a primeira injeção de teste, a insulina se tornou amplamente disponível, quando Eli Lilly and Company passaram a vender o Iletin, a primeira insulina comercialmente disponível, extraída do pâncreas de animais abatidos.

A invenção da insulina tornou a vida dos diabéticos mais fácil e longa.
2006 Publications International, Ltd.
Antes da insulina, não havia forma de tratar a diabetes

A insulina animal funcionou bem, salvando milhões de vidas, mas não era exatamente compatível com o hormônio humano e, às vezes, provocava efeitos colaterais, como erupções na pele e reações alérgicas, que resultavam em perda de tecido nos locais da injeção. Nos 60 anos seguintes, a insulina se tornaria uma das proteínas mais estudadas no mundo. Durante esse tempo, os portadores de diabetes contavam com um hormônio purificado de animais, principalmente de bois e porcos.

Em 1978, uma jovem empresa de biotecnologia chamada Genentech produziu a primeira insulina fabricada sinteticamente, que poderia ser produzida em grande quantidade. Usando bactérias ou leveduras como "fábricas" em miniatura, o gene para a insulina humana foi inserido no DNA bacteriano. O resultado foi a insulina humana, chamada de insulina de DNA recombinante, que não provocou os problemas que a insulina animal às vezes provocava.

Quando se tornou largamente acessível no início dos anos 80, essa nova insulina mudou para sempre o tratamento da diabetes. Hoje, praticamente todos os portadores de diabetes que precisam de insulina usam uma forma de insulina humana recombinante em vez de insulina animal.

São usados muitos tipos de insulina para tratar a diabetes. A próxima seção explicará cada tipo.