Vacinas para alergia

Autor: 
Linnea Lundgren and Jeff Wald, M.D.

A imunoterapia, também chamada de vacinação antialérgica, terapia de desensibilização e terapia de hiposensibilização, é o único tratamento para alergia que pode diminuir a longo prazo sua sensibilidade aos alérgenos. O conceito baseia-se no mesmo princípio das imunizações para gripe ou poliomielite. Doses pequenas e controladas de um alérgeno ou alérgenos são introduzidas no corpo para que você possa desenvolver tolerância. As injeções levam ao desenvolvimento de uma resposta imune protetora através do aumento das células T supressoras e do aumento de anticorpos protetores ou "bloqueadores". Quanto mais tolerante se tornar o corpo, menos sintomas você terá. A boa notícia é que a imunoterapia proporciona uma melhora significativa em mais de 90% dos pacientes com rinite alérgica periódica e em 70 a 80% daqueles com rinite alérgica perene.

Como são feitos os
soros para alergia
Em termos extremamente simplificados, em um processo de extração de soro, os soros de alergia são coletados e processados de um modo parecido com os alimentos industrializados. O pólen, por exemplo, é colhido de várias maneiras, filtrado, concentrado e processado em um soro. Um soro de pêlo de gato é extraído do pêlo de gato. Um dos processos mais repulsivos envolve os ácaros de poeira. Os ácaros são cultivados em grandes lotes até que morram. Os ácaros mortos (com seus resíduos fecais e tudo mais) são colhidos e processados para produzir um extrato. Se esse pensamento tirou o seu apetite, é melhor não pensar em como eles preparam soro de barata.

Quando considerar a vacinação antialérgica

O seu armário de remédios se parece com uma farmácia? O seu nariz escorrendo interfere nos relacionamentos amorosos? Você se sente cansado todas as horas de todos os dias? Se os medicamentos para alergia não são efetivos o suficiente para controlar seus sintomas, pergunte ao seu médico sobre a imunoterapia ou desensibilização da alergia. As vacinas impedem o desenvolvimento de novas alergias e reduzem a probabilidade de desenvolver asma de 58% para menos de 23% em crianças com rinite alérgica. As vacinas para alergia podem fazer uma grande diferença na sua vida. Combinadas com o controle ambiental, as vacinas podem diminuir seus sintomas e ajudar a ter um melhor controle sobre as alergias.

As vacinas antialérgicas são sugeridas quando:

  • há uma resposta incompleta aos medicamentos;
  • os medicamentos causam efeitos colaterais inaceitáveis;
  • não é possível evitar o alérgeno;
  • há um desejo de diminuir o uso dos medicamentos a longo prazo, como no caso de crianças ou de uma mulher que deseja engravidar daqui a alguns anos;
  • elas podem prevenir o desenvolvimento de alergias adicionais ou problemas de saúde relacionados. Em crianças, as vacinas têm diminuído a probabilidade de desenvolver asma.
    Por que não existem vacinas
    para aplicação em casa
    Os alergistas não permitem que seus pacientes auto-administrem as vacinas devido ao risco de choque anafilático, uma reação séria e potencialmente fatal. Além disso, pacientes domiciliares propensos à procrastinação podem não seguir o esquema de tratamento prescrito, resultando em complicações. Mesmo se alguém na sua família é enfermeiro ou médico, eles não terão o equipamento necessário para tratar uma reação fatal em casa.

O primeiro passo na imunoterapia é fazer o teste de alergia, que conta ao médico ao que você é alérgico e o quanto você é sensível. Usando os resultados do teste e o seu histórico, o alergista prepara extratos próprios para você, feitos de um ou mais alérgenos. Como a maioria das pessoas alérgicas reage adversamente a muitos alérgenos, podem ser feitos vários extratos (colocados em frascos individuais). Algumas pessoas precisarão de apenas uma injeção por vez, enquanto outros precisarão mais de uma mistura de extratos e mais do que uma injeção, dependendo de quantos alérgenos precisarem ser cobertos.

A maioria dos extratos é para alérgenos que estão no ar, como os pólens, esporos de fungos, ácaros de poeira e escamações de animais e para alergias a picadas de insetos. A terapia de desensibilização visando as alergias a picadas de insetos é chamada de imunoterapia com veneno. Não há extratos aprovados pelo FDA para alergias alimentares, alergia ao látex e algumas alergias químicas.

Prós e contras

Como com qualquer tratamento médico, a imunoterapia tem vantagens e desvantagens. É melhor examinar ambas antes de tomar uma injeção dessas.

Uso de histamínico
Os locais onde ocorrem picadas de insetos, arranhões de gato e as injeções da vacina geralmente incham e coçam. O tratamento para pequenas reações alérgicas envolve a aplicação de uma compressa fria e o uso de um anti-histamínico oral de venda livre. Quando estiver repondo o estoque de medicamentos de casa e seu kit de primeiros socorros, lembre-se de incluir um anti-histamínico. Mas lembre-se de que os anti-histamínicos de venda livre, causam sedação.

Vantagens da imunoterapia:

  • a imunoterapia é o único tratamento de alergia que altera as reações do sistema imunológico e pode trazer benefícios duradouros;
  • as vacinas antialérgicas, aplicadas dentro de um esquema regular, ajudam a aliviar os sintomas, especialmente para quem sofre de alergias transportadas pelo ar e perenes;
  • a imunoterapia é um tratamento bem estabelecido e efetivo e tem sido usada desde 1900. Está constantemente avançando e melhorando. Por exemplo, há 20 anos os extratos continham pouco ou nenhum alérgeno de ácaro de poeira; atualmente isso mudou;
  • os extratos alergênicos não causam dependência fisiológica;
  • muitos pacientes encontram alívio depois de três a seis meses de tratamento;
  • as vacinas são seguras. Podem ser aplicadas em crianças e mulheres grávidas, embora não devam ser iniciadas durante a gravidez. Após uma injeção, os pacientes são monitorados no consultório médico caso ocorra alguma reação;
    Vacinas para alergia
    e gestação
    Qualquer mulher grávida deve sempre consultar o médico antes de começar ou continuar um programa de tratamento de alergia. Dito isso, muitas mulheres grávidas ficarão felizes em saber que a gravidez e a imunoterapia são geralmente compatíveis se a mulher grávida já iniciou o programa de desensibilização. As injeções contêm os mesmos materiais alergênicos que a mãe respira. Os médicos podem diminuir a dose da mulher grávida para minimizar o risco de reação, mas as futuras mamães são geralmente encorajadas a continuar com a vacinação durante os nove meses. Lembre-se, as vacinas são um meio de diminuir o uso de medicamentos.
  • a maioria das vacinas são aplicadas com uma agulha fina dentro do tecido adiposo, não sendo dolorosas;
  • um programa de imunoterapia com 3 a 5 anos de duração pode dar alívio da alergia por 10 a 30 anos.

Desvantagens da imunoterapia:

  • inconveniência; as vacinas para alergia são geralmente aplicadas toda semana, durante vários meses, depois quinzenalmente e por fim a cada três ou quatro semanas; ter que fazer várias visitas ao consultório médico pode ser uma grande desvantagem para aqueles que têm uma agenda de trabalho agitada e vidas ocupadas; indivíduos que vivem na zona rural podem achar difícil fazer uma longa viagem até o consultório médico com tanta freqüência;
  • o compromisso com uma obrigação trabalhosa; dependendo da sua sensibilidade, você poderá receber vacinas por três a cinco anos;
  • as vacinas anti-alérgicas não são a cura para tudo, aliás, nada é. A batalha contra as alergias é multidimensional. Você não pode depender somente das vacinas para aliviar os sintomas. Se não forem tomadas medidas para evitar o alérgeno, as injeções poderão ser ineficazes;
  • muitas crianças e alguns adultos têm medo de injeções;
  • o local da injeção pode ficar dolorido e vermelho por várias horas ou dias. As doses de vacina devem ser aplicadas alternadamente em cada braço;
  • risco de anafilaxia; sintomas: lábios, língua ou orelhas inchados; inquietação ou agitação; face vermelha; urticária; sensações de picadas e coceira na garganta e na pele; palpitações ou zunido nos ouvidos; espirros, tosse ou dificuldade para respirar; náusea ou vômito; tontura; perda de controle da bexiga ou intestino; convulsões; pulso rápido e fraco; pele fria, úmida e pálida; falta de responsividade, que é o efeito colateral mais sério. Contudo, a maioria dos alergistas exige que o paciente permaneça no consultório por 15-30 min após receber uma injeção, uma exigência inconveniente, porém necessária. O risco é maior em pacientes com asma fora de controle;
  • as vacinas não controlam as alergias alimentares e podem agravar os sintomas de alergia na pele. Mas podem realmente ajudar o eczema.

Depois que você identificar seu problema de alergia, o próximo passo é escolher um tratamento. Apesar de haver muitos tratamentos efetivos, é importante escolher aquele que seja certo para você. Isso pode variar de um simples remédio vendido sem receita médica até um medicamento vendido somente com prescrição. Seu médico, depois que você encontrar um apropriado, deve ser capaz de ajudar.

Publications International, Ltd.

Essas informações têm propósitos apenas informativos. ELAS NÃO FORNECEM ORIENTAÇÕES MÉDICAS. Tanto o editor do Consumer Guide ®, da Publications International, Ltd., quanto o autor e o divulgador não se responsabilizam por nenhuma possível conseqüência dos tratamentos, procedimentos, exercícios, modificações de dieta, ação ou aplicação de medicação que resultem da leitura ou utilização das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática da medicina e não substitui as orientações de seu médico ou outro profissional da saúde. Antes de iniciar qualquer tratamento, o leitor deve procurar o conselho do seu médico ou de outro profissional de saúde.

Os nomes comerciais dos produtos mencionados nesta publicação são marcas registradas ou marcas de serviço de suas respectivas empresas. A menção de qualquer produto nesta publicação não constitui endosso pelos respectivos proprietários da Publications International, Ltd. ou do HowStuffWorks.com, nem constitui endosso por qualquer uma das empresas de que seus produtos devam ser usados da maneira descrita nesta publicação.