Quem causa e quem transmite a febre amarela?

Autor: 
Isabela Benseñor

A febre amarela é causada por um flavivirus, um vírus RNA que se reproduz dentro das células das pessoas contaminadas. A reação do corpo é produzir anticorpos que se ligam ao vírus. Existem dois tipos diferentes de febre amarela: a urbana e a silvestre. A principal diferença é que nas cidades, o transmissor da doença é o mosquito Aedes aegypti, o mesmo da dengue. Nas matas, a febre amarela ocorre em macacos e os principais transmissores são os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que picam preferencialmente os macacos.

Esses mosquitos vivem também nas vegetações à beira dos rios. Primeiro picam o macaco doente e depois, o homem. A contaminação do homem acontece quando ele invade o habitat dos macacos. A forma silvestre da doença provoca surtos localizados. A forma urbana da febre amarela desapareceu há várias décadas.

Quando a fêmea do Aedes aegypti pica alguém que tem o vírus no sangue, ele se contamina e passa a transmitir o vírus para outras pessoas nas próximas picadas. O Aedes é um mosquito de hábitos diurnos. O transmissor da dengue, o mosquito Aedes aegypti tem origem africana, tendo sido reconhecido pela primeira vez no Egito, levando ao seu nome. Ele chegou ao Brasil nos navios negreiros, onde se reproduzia nos depósitos de água dentro do navio nas viagens da África para cá.

No início do século 20, em 1903, Oswaldo Cruz, implantou um programa de combate ao mosquito que se prolongou por anos. O medo, na época, eram as epidemias de febre amarela. O Aedes chegou a ser erradicado no Brasil na década de 50, mas retornou na década de 80 com uma epidemia de dengue em Roraima.