Detecção da diabete

Autor: 
Dr. Dana Armstrong and Dr. Allen Bennett King

Em uma pessoa normal, o corpo mantém os níveis de glicose no plasma entre as refeições na faixa de 70 a 100 miligramas por decilitro (mg/dl). Após comer, os níveis de glicose sobem, dependendo da quantidade e conteúdo da refeição, mas não excede 140 mg/dl.

Esses níveis também retornam rapidamente à faixa de jejum, ou entre refeições. Em uma pessoa com diabetes, os níveis de glicose sanguínea sobem anormalmente após as refeições, levam muito mais tempo para baixar e não voltam à faixa normal, mesmo durante longos períodos sem comer. Portanto, para determinar se você tem diabetes, um médico deve testar seus níveis de glicose sanguínea. Existem 3 diferentes testes disponíveis para determinar se você tem diabetes.

O teste mais usado é um exame de sangue no qual a glicose plasmática é medida. Uma glicemia deve ser feita após jejum de 8 horas. Quando sua glicemia plasmática de jejum é maior que 125 mg/dl em 2 ocasiões consecutivas a diabetes é diagnosticada. Outro método é dosar a glicose sanguínea sem jejum prévio. Se sua glicemia ao acaso for de 200 mg/dl ou mais e você tem sintomas de diabetes, urina freqüentemente, perda de peso ou fadiga, é feito o diagnóstico da diabetes. O terceiro exame é um teste oral de tolerância à glicose. Esse teste é realizado quando a glicemia mostra um nível próximo ao normal, mas há suspeita de diabete (devido, por exemplo, à presença dos sintomas acima mencionados).

testes, açúcar sanguíneo, jejum, diabetes, glicemia
2006 Publications International, Ltd.
Testes no açúcar sanguíneo ajudam a detectar a diabete

Após uma noite de jejum, você chega ao laboratório para um teste de 2 horas. Seu sangue é coletado para medir seu nível de glicose plasmático em jejum. Você é então convidado a beber um líquido com alta concentração de glicose em um período de 15 minutos. Após duas horas colhe-se uma nova glicemia. É importante manter-se sentado e avisar se você se sentir mal durante o teste. A diabetes é diagnosticada se o sangue coletado na marca da segunda hora indicar que seu nível de glicose sanguínea é maior que 200 mg/dl.


Você deve ter notado que há uma lacuna entre o nível de glicose considerado normal e aquele que indica a diabetes. Um nível normal de glicose em jejum, por exemplo, é menor que 100 mg/dl, mas somente quando o nível de glicose em jejum vai além de 125 mg/dl o diagnóstico de diabetes é feito. Da mesma forma, no final de um teste de 2 horas de tolerância à glicose, para o nível de glicose ser considerado normal, deve ser menor que 140 mg/dl. Ainda assim, um diagnóstico de diabetes só é feito se o nível de glicose após aquelas 2 horas for de 200 mg/dl ou mais.

E a lacuna entre eles? Níveis de glicose de 100 a 125 mg/dl no jejum e níveis de glicose de 2 horas de 140 a 199 mg/dl não são consideradas diabetes, mas também não são normais. Pessoas com esses níveis são diagnosticadas como tendo glicemia alterada e tolerância à glicose diminuída, respectivamente. Embora ainda não sejam consideradas como diabéticas, essas pessoas têm uma chance de 11% de desenvolver diabetes a cada ano subseqüente e também têm uma incidência maior de doenças do coração.

Existem 3 tipos principais de diabetes: diabete tipo 1, diabete tipo 2 e diabete gestacional. Vamos examinar cada um deles na próxima seção.

O que é plasma?

O termo plasma refere-se simplesmente à parte líquida do sangue que sobra após as células sanguíneas terem sido removidas. É a porção do sangue que é testada durante os exames de glicose em laboratório ou no consultório médico. A diferença entre glicose sanguínea e glicose plasmática é importante quando da escolha e leitura dos medidores pessoais de glicose (glicosímetros - aparelhos que medem a glicemia a partir de uma gota de sangue do paciente).