Conhecendo a glicose

Autor: 
Dr. Dana Armstrong and Dr. Allen Bennett King

Provavelmente você já ouviu o termo glicose. Ela tem um papel fundamental no corpo e na diabetes. Na corrente sanguínea, o açúcar circula em todos os órgãos. A maior parte do açúcar em seu corpo está na forma chamada glicose. Outras incluem frutose, o açúcar encontrado nas frutas e a ribose, um açúcar contido nos cromossomos que carregam informações genéticas.

A principal função da glicose é fornecer energia ao corpo. O organismo quebra a glicose liberando energia, água e dióxido de carbono. A glicose é um combustível disponível utilizado por quase todos os tecidos do corpo, e é o único combustível que seu cérebro pode utilizar. O cérebro pode sobreviver sem glicose somente por pouco tempo, assim, seu cérebro dirige seu organismo para proteger os níveis de glicose sangüíneos, garantindo que eles não baixem muito. Quando as pessoas falam de açúcar sanguíneo estão falando da glicemia (nível de glicose no sangue) que são afetados pela diabetes.

Outro combustível utilizado pelo organismo são os ácidos graxos. Eles diferem da glicose porque são uma fonte de combustível utilizada somente após muito tempo de jejum. Os ácidos graxos vêm da gordura que comemos e estocamos em nossas células de gordura na forma de triglicerídios. Quanto mais ácidos graxos estocamos em nossas células de gordura, mais "visíveis" se tornam nossas reservas de energia.

A glicose em seu corpo vem dos 3 nutrientes mais importantes: gorduras, proteínas e carboidratos. Cerca de 10% da gordura e 50% da proteína que você come são transformados em glicose (o resto é utilizado para outros propósitos ou estocado nas células de gordura do corpo), mas quase 100% do carboidrato que você come é transformado em glicose.

A salivação e a deglutição iniciam o processo de quebra dos maiores e mais complexos carboidratos. As enzimas em sua boca e intestinos ajudam nesse processo. A glicose é então absorvida na corrente sanguínea e viaja pelo corpo. Esse processo requer ajuda do seu pâncreas. Ele é um órgão do tamanho de um punho que fica logo atrás de seu estômago. Uma de suas funções é produzir enzimas para a digestão de alimentos, mas o pâncreas também tem outro papel importante; ele contém pequenos grupos de células, as Ilhotas de Langerhans, que produzem hormônios que são liberados em sua corrente sanguínea.

Cerca de 80% das células das ilhotas é de células beta que produzem uma pequena molécula de proteína - o hormônio insulina. A insulina tem vários papéis importantes no corpo, mas sua tarefa principal é fazer com que os tecidos recebam proteínas, ácidos graxos e glicose. A insulina é como uma chave que abre a porta das células do corpo para que os nutrientes necessários possam entrar. Quando uma pessoa que não tem diabetes come qualquer alimento, os níveis sangüíneos de glicose de seu corpo sobem; as células beta detectam essa elevação e liberam mais insulina.

A insulina vai para o fígado, avisando-o para produzir menos glicose e aos músculos e células de gordura para consumirem mais glicose. Isso permite que os nutrientes do alimento recém comido entrem e "alimentem" as células do corpo, impedindo a glicose sanguínea de subir muito, mesmo após a alimentação e permite que os níveis de glicose retornem ao nível normal e saudável rapidamente. Quando a mesma pessoa saudável passa muito tempo sem comer, como entre refeições ou durante o sono, os níveis de insulina baixam, fazendo com que o fígado produza mais glicose para fornecer energia até a próxima refeição.

Na pessoa que tem diabete, esse processo de retorno não funciona adequadamente. A insulina não faz seu trabalho e as quantidades de glicose no sangue aumentam.

É claro, você não pode tratar a diabete se você não sabe que a tem. Na próxima seção, mostraremos como descobrir se você tem diabetes.

Por que controlar a glicose?
Quando a sua glicose sanguínea sobe para a faixa de 140 a 180mg/dl começam a ocorrer danos para seu organismo, embora você possa não notar os sintomas antes que a glicose passe de 180. O excesso de glicose começa a ser eliminado pela urina, aumentando a diurese (volume total da urina); e pelo fato de você estar perdendo mais água pela diurese excessiva, aumenta a sua sede. As células do seu corpo não podem mais receber e usar a glicose e por isso elas começam a sentir falta de "combustível"; você se sente faminto e cansado.

Se os níveis de glicose se mantêm elevados, os glóbulos brancos (leucócitos) não funcionam muito bem, deixando você mais vulnerável a infecções. Feridas demoraram a cicatrizar e você fica mais predisposto a ter infecções urinárias e por fungos. Se os seus níveis de glicose ficam acima do normal, ela torna-se cada vez mais tóxica ao seu organismo e danos severos começam a ocorrer em seus olhos, rins, pés e coração. Essa é somente uma breve descrição das mudanças que a diabete não tratada pode causar ao seu corpo.

Mas você pode seguir algumas orientações para prevenir conseqüências tão assustadoras dos altos níveis de glicose no sangue. Cuide muito bem de seu diabetes - e muito bem significa controlar não somente sua glicose sanguínea mas também sua vida. Você precisa se tornar conhecedor da diabete, prestar mais atenção ao que está acontecendo em seu corpo e em sua vida e viver conscientemente, em outras palavras, você tem que assumir o controle.