Tipos de diuréticos e efeitos colaterais

Autor: 
Jill Ferguson, PhD.
pressão sangüínea
Jonnie Miles/Photographers Choice/
Getty Images

A maioria das pessoas com pressão alta se trata com diuréticos tiazídicos

Existem três tipos principais de medicamentos diuréticos. Cada um funciona de uma maneira diferente, mas todos diminuem a quantidade de sal e água do corpo, o que auxilia na diminuição da pressão arterial.

A escolha do diurético depende da saúde do paciente e da doença que está sendo tratada. Diferentes tipos de diuréticos também podem ser combinados em uma única pílula. O fluxo urinário geralmente aumenta no prazo de algumas horas após a primeira dose, mas os diuréticos podem levar várias semanas para controlar doenças como a pressão alta. Veja a seguir os três principais tipos de diuréticos.

  • Diuréticos tiazídicos - tratam a maioria de pacientes com pressão alta e são os mais utilizados para os pacientes cardíacos. Os tiazídicos aumentam moderadamente a eliminação de urina e são os únicos diuréticos que também agem como vasodilatadores sangüíneos, o que também ajuda a diminuir a pressão arterial.
  • Diuréticos de alça - eles têm esse nome devido à parte em forma de alça dos rins, que é onde agem. Os diuréticos de alça removem uma grande quantidade de sódio dos rins, produzem o aumento do fluxo urinário e são mais poderosos do que os tiazídicos. Eles são freqüentemente utilizados em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva e também são especialmente úteis em emergências. Embora os mais comuns sejam por via oral, em hospitais eles podem ser administrados por via intravenosa para tratar pacientes com grande excesso de líquido.
  • Diuréticos para poupar potássio - previnem a perda de potássio, um problema dos outros tipos de diuréticos. Esses são freqüentemente utilizados em pacientes com insuficiência cardíaca congestiva e são quase sempre prescritos em conjunto com os outros dois tipos de diuréticos.

Efeitos colaterais dos diuréticos

O efeito colateral mais comum associado aos diuréticos é a perda de potássio. Com a exceção dos poupadores de potássio, todos os diuréticos podem causar perda de potássio que, quando não tratada, aumenta o risco de alterações do ritmo cardíaco que podem ser muito graves. Tomar um suplemento de potássio ou ingerir alimentos ricos em potássio pode ajudar a manter os níveis saudáveis de potássio. Diuréticos para eliminação de potássio têm seus próprios riscos, que incluem altos níveis de potássio em pessoas que já possuem esses níveis elevados ou em pessoas com algum grau de insuficiência renal. Entretanto, todos os diuréticos geralmente fazem mais bem do que mal. Confira a seguir alguns efeitos colaterais dos diuréticos.

  • Diurese freqüente - esse é um efeito colateral comum dos diuréticos e é geralmente sentido por até seis horas após a ingestão da dose.
  • Tontura e fraqueza - dois sintomas que podem afetar especialmente os idosos, mas geralmente desaparecem após o período de ajuste.
  • Cãibras - efeito colateral relacionado aos baixos níveis de potássio.
  • Desidratação - pode causar tontura, sede, ressecamento excessivo da boca, urina escura ou constipação.
  • Irritações na pele - podem surgir, mas são raras.
  • Perda de apetite e vômitos - efeitos colaterais que podem estar relacionados aos baixos níveis de potássio.

Idosos apresentam efeitos colaterais com maior freqüência e intensidade, tais como delírios, tonturas e desmaios. Eles também estão mais suscetíveis à desidratação, à diminuição do volume de sangue e à deficiência de cálcio, potássio, sódio e magnésio. Geralmente, pacientes mais velhos precisam de doses menores de diuréticos e de uma observação mais cuidadosa, mas têm prescrições rotineiras.

Um grande número dos pacientes que tomam diuréticos desenvolve uma tolerância a eles. Discutiremos a tolerância aos diuréticos na próxima página.­