Testes de diabetes

Autor: 
Timothy Gower

Como seu médico descobriu que você tem diabetes? Foi o açúcar do seu sangue que te entregou, sem dúvida. Porém, os médicos procuram por mais pistas ao diagnosticar a diabetes. Por exemplo, se um paciente entra reclamando que está sempre morrendo de sede e vive correndo para o banheiro, o médico pode suspeitar que ele tenha diabetes, especialmente a do tipo 1. No entanto, o diagnóstico só vai ser confirmado depois de medir o açúcar no sangue.

Em uma pessoa que não tenha diabetes, o corpo mantém o nível de glicose do plasma entre as refeições com uma variação de 70 a 99 miligramas por decilitro (mg/dl). Depois de comer, o nível de glicose sobe, dependendo do tamanho e do conteúdo da refeição, mas não ultrapassa nunca 139 mg/dl.

Se o seu médico desconfiar que você pode ter diabetes, ele pedirá que você faça um teste de glicose em jejum.
2007 Publications International, Ltd.
Se o seu médico desconfiar que você pode ter
diabetes, é quase certo que você terá que
fazer um teste de glicose em jejum

Em uma pessoa sem diabetes, os níveis de voltam rapidamente para os níveis normais em jejum ou no período entre as refeições. Em uma pessoa com diabetes, os níveis de glicose aumentam muito além do normal (de maneira anormal) depois de comer, demoram muito mais para abaixar, e não retornam para os valores normais, nem mesmo nos períodos de jejum. Portanto, para determinar se você tem diabetes, o médico tem de testar os níveis de glicose do seu sangue. Existem três testes diferentes para saber se você tem diabetes: ao acaso, a glicemia em jejum e o teste de tolerância oral à glicose (a oral) (sobre as quais você aprenderá na próxima página).

Se o paciente apresenta sintomas óbvios de diabetes, o médico pode fazer um teste de glicemia ao acaso. Esse teste pode ser feito a qualquer hora e não requer preparativos. Se o nível de açúcar no seu sangue for mais do que 200 miligramas por decilitro (mg/dl), você tem diabetes.

Entretanto, o teste da glicemia em jejum é um método de diagnóstico mais definitivo e o mais utilizado. Esse teste costuma fazer parte dos exames de rotina feitos anualmente. Os médicos também pedem esse teste se o paciente estiver acima do peso, tiver um histórico familiar, ou apresentar algum motivo para que se desconfie de que a pessoa possa ter a doença sem saber.

Se você tiver feito um teste de glicemia em jejum, você provavelmente não o esqueceu, especialmente se você adora o café da manhã. Como o nome já diz, o teste mede a quantidade de açúcar no sangue quando você está de estômago vazio. A glicose sempre sobe depois de uma refeição, mas os níveis de açúcar caem dentro de algumas horas para os valores normais em pessoas que não têm diabetes. Para os que têm diabetes, o açúcar no sangue permanece relativamente alto por um longo período de tempo após a refeição.

Geralmente pede-se aos pacientes para não comer nada após a meia-noite no dia anterior ao teste, e no dia seguinte eles chegam bem cedo para tirar uma amostra de sangue. Depois de tirar o sangue, enquanto o paciente faminto corre para a cantina mais próxima, o laboratório analisa o sangue. Se o resultado do teste for inferior a 100 mg/dl, você pode respirar mais aliviado: você não tem diabetes. Porém, uma leitura de 126 mg/dl ou maior é um alerta vermelho. No entanto, como fatores como o stress e certas doenças podem aumentar o açúcar no sangue, os médicos geralmente pedem uma confirmação do teste alterado.

Para saber mais sobre a interpretação dos resultados de um teste de glicemia, leia a próxima página.

Um motivo para sair cedo da cama?

Se você fez o exame de sangue pela manhã, pular da cama logo cedo pode ter ajudado no diagnóstico correto. O motivo? Os médicos dão o diagnóstico da diabetes quando o nível de açúcar no sangue de um paciente é de 126 mg/dl ou maior em dois testes consecutivos de glicemia em jejum. Os cientistas estabeleceram o limite de 126 mg/dl baseados em estudos de níveis de açúcar no sangue medidos pela manhã após 8 horas de jejum.

Às vezes, os pacientes fazem o teste de glicemia durante a tarde. Isso é um problema porque muitas pessoas, aliás, todas as que têm diabetes, passam por um aumento de açúcar no sangue, conhecido como o "fenômeno da madrugada", entre 4 e 8 da manhã. O açúcar do sangue cai naturalmente antes da tarde chegar.

Em 2000, um estudo comparou dois grupos de mais de 6 mil pessoas que passaram pelo teste da glicemia. Um grupo foi ao laboratório de manhã e o outro a tarde. O estudo mostrou que as pessoas que fizeram o exame de manhã eram duas vezes mais propensas a terem um diagnóstico da diabetes. Como as pessoas dos dois grupos pertenciam à mesma faixa etária e tinham condições de saúde parecidas, os pesquisadores concluíram que usar os padrões atuais para o teste de glicemia durante a tarde pode levar à falha no diagnóstico de metade dos casos de diabetes ainda não diagnosticados.

Para mais informações sobre o diagnóstico da diabetes, acesse os links a seguir:

  • para aprender mais sobre a diabetes em geral, incluindo o diagnóstico, as causas, sintomas e tratamento, visite nossa página sobre Diabetes;
  • Diagnosticando a diabetes gestacional explica como os médicos fazem o diagnóstico da doença em mulheres grávidas;
  • aprenda como o sistema imunológico pode provocar a diabetes em Causas da diabetes;
  • o artigo Sintomas da diabetes aborda os diversos sinais da doença, desde o aumento da sede e da fome à perda repentina de peso.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.