Nefropatia diabética e medicamentos para pressão arterial

Autor: 
Timothy Gower

Ao diagnosticar um paciente com insuficiência renal, os médicos geralmente passam receitas de medicamentos anti-hipertensivos. A hipertensão não apenas prejudica o funcionamento dos rins, mas, à medida que eles perdem a capacidade de filtrar as impurezas do sistema circulatório, o volume sangüíneo aumenta, fazendo a pressão arterial subir ainda mais. Muitos estudos mostraram que os medicamentos para pressão arterial podem ajudar a desacelerar o progresso da insuficiência renal, mesmo nos pacientes que não são hipertensos. Em particular, a pesquisa mostra que o tratamento com medicamentos anti-hipertensivos pode:

  • melhorar a capacidade dos rins de filtrarem as impurezas do sangue;
  • reduzir a probabilidade de necessidade de diálise ou de transplante de rim;
  • aumentar a expectativa de vida.

diabetes e medicamentos para pressão arterialMesmo nos pacientes que não têm pressão alta, os
medicamentos para pressão arterial podem desacelerar o progresso da insuficiência renal

Existem muitos tipos de medicamentos para baixar a pressão. Os médicos prescrevem com mais freqüência as duas categorias de anti-hipertensivos a seguir para pacientes com insuficiência renal diabética.

Inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA) - esses medicamentos bloqueiam a produção de uma enzima que faz os vasos sangüíneos ficarem mais estreitos, o que aumenta a pressão arterial. Também existem algumas evidências de que os inibidores ECA podem proteger os glomérulos (as unidades de filtragem dos rins) contra lesões. Mesmo os pacientes com insuficiência renal, mas com pressão normal, parecem se beneficiar com os inibidores ECA. Os médicos prescrevem esses medicamentos com muito cuidado aos pacientes com insuficiência renal séria, já que podem aumentar a concentração de potássio no sangue a níveis perigosos, uma condição chamada de hipercalemia que pode levar ao enfraquecimento muscular e a distúrbios elétricos no coração. Tosse seca é um dos efeitos colaterais mais comuns causados pelos inibidores ECA.

Bloqueadores dos receptores da angiotensina (BRAs) - assim como os inibidores ECA, os BRAs evitam que os vasos sangüíneos fiquem mais estreitos, embora funcionem de uma maneira um pouco diferente. Os BRAs apresentam uma vantagem em relação aos inibidores ECA, já que são menos prováveis de provocar tosse. Entretanto, como os inibidores ECA, eles também aumentam o risco de hipercalemia. Os BRAs também são mais caros.

O médico também pode prescrever outros medicamentos para hipertensão, incluindo beta-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio ou diuréticos. Na verdade, pode ser que você precise de mais de um medicamento anti-hipertensivo para que sua pressão arterial fique abaixo do limite recomendado a pacientes com diabetes, 13/8 (que é mais baixa do que o resto da população, para quem menos de 14/9 é considerada segura).

Insuficiência renal e hipertensão

A hipertensão causa insuficiência renal? Ou a insuficiência renal causa hipertensão? Na verdade, não há mistério, pois as duas condições andam de mãos dadas. Para explicar como isso pode acontecer, vamos refrescar rapidamente a memória.

A hipertensão, ou pressão alta, é um problema de excesso de líquido em espaços muito restritos. A doença ocorre quando há muito líquido no sangue tentando forçar saída através do vaso sangüíneo. Ou quando um vaso sangüíneo fica comprimido ou reduzido, fazendo pressão em um volume normal de sangue. Se não for tratada, a hipertensão não apenas força o coração, como também prejudica os vasos sangüíneos.

Estatísticas mostram que a pressão alta é a segunda principal causa de insuficiência renal, depois da diabetes. Contudo, os médicos dizem que a hipertensão é comum quando os rins deixam de funcionar. O problema começa com os vasos sangüíneos nos rins. A hipertensão não faz distinção, o que significa que compromete os vasos sangüíneos em qualquer lugar do corpo, incluindo seus dois órgãos de filtragem. Quando os vasos sangüíneos nos rins toleram as lesões, o processo de filtragem sofre. Por isso, em vez de sair na urina, o lixo metabólico e o excesso de líquido ficam circulando no sangue. O volume aumentado faz a pressão subir o que, por sua vez, prejudica ainda mais os vasos sangüíneos nos rins. Se esse ciclo destrutivo continua por muito tempo, a insuficiência renal se torna inevitável.

A redução de proteínas na dieta poderia ser uma excelente forma de diminuir a carga nos rins. Na próxima seção, saiba como a mudança de dieta pode desacelerar o progresso da insuficiência renal.

Para saber mais sobre a diabetes e como ela pode prejudicar seus rins, acesse os links a seguir.

  • Os portadores de diabetes podem
    desenvolver nefropatia diabética, que pode levar a complicações, como a
    insuficiência renal. Descubra como reconhecer os sinais lendo Nefropatia diabética.
  • Os sinais clássicos da diabetes são sede excessiva e vontade freqüente de urinar. Leia o artigo Sintomas da diabetes para saber mais sobre os sintomas comuns dessa doença perigosa.
  • A diabetes é um problema de saúde crescente nos Estados Unidos, atingindo aproximadamente 20,8 milhões de americanos. Leia Como funciona a diabetes para conhecer a diabetes tipo 1 e tipo 2.
  • Os
    rins são responsáveis pela regulagem da composição do sangue, pelo
    estímulo da produção de glóbulos vermelhos, pela preservação de seus
    níveis de cálcio e pela regulagem da pressão arterial. Saiba tudo sobre
    esses órgãos essenciais no aratigo Como funcionam os rins.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.