Inefetividade da insulina

Autor: 
Craig Freudenrich, Ph.D.,Gisele Ribeiro

Agora que você conhece os sintomas da diabetes (alto nível de glicose no sangue, fome e sede excessiva, urina freqüente) vamos ver o que acontece com seu corpo durante a diabetes. Para facilitar a discussão, vamos supor que você tenha uma diabetes que não foi diagnosticada e, portanto, não está sendo tratada.


O alto nível de glicose sangüínea na diabetes produz glicose na urina e faz a pessoa urinar freqüentemente pelo efeito osmótico nos rins

Vamos ver como a falta de insulina ou resistência à insulina afeta seu corpo para produzir os sintomas e sinais clínicos da diabetes.

- Causa diretamente altos níveis de glicose no sangue durante o jejum e após uma refeição (tolerância à glicose reduzida).

- Suas células não absorvem glicose da corrente sangüínea, o que faz com que você tenha altos níveis de glicose no sangue.

- Como não tem glicose proveniente do sangue entrando nas células, seu corpo "pensa" que está faminto.

- Suas células alfa do pâncreas secretam glucagon e os níveis de glucagon no sangue aumentam.

- Glucagon age no fígado e nos músculos quebrando o glicogênio armazenado e liberando glicose no sangue.

- O glucagon também age no fígado e nos rins para produzir e liberar glicose através da gliconeogênese.

As duas ações do glucagon aumentam ainda mais os níveis de glicose no sangue.

O alto nível de glicose no sangue faz com que apareça glicose na sua urina:

  • os altos níveis de glicose no sangue aumentam a quantidade de glicose filtrada pelos seus rins;
  • a quantidade de glicose filtrada excede a quantidade que os rins podem reabsorver;
  • o excesso de glicose fica perdido na urina e pode ser detectado por medidores de glicose em tiras. Veja em Como funcionam os rins detalhes sobre filtração e reabsorção.

O alto nível de glicose no sangue faz com que você urine freqüentemente:

  • o alto nível de glicose no sangue aumenta a quantidade de glicose filtrada pelos rins;
  • como a carga filtrada de glicose nos rins excede a quantidade que esses podem absorver, a glicose permanece dentro do lúmen tubular;
  • a glicose no túbulo retém água, o que aumenta o fluxo de urina através do túbulo;
  • o aumento do fluxo de urina faz com que você urine freqüentemente.


A falta ou resistência à insulina age sobre muitos órgãos, produzindo uma variedade de efeitos

 

O alto nível de glicose no sangue e o aumento do fluxo de urina fazem você ficar constantemente sedento:

  • os altos níveis de glicose no sangue aumentam a pressão osmótica do sangue e estimulam diretamente os receptores de sede no seu cérebro;
  • o aumento no fluxo de urina faz com que você perca sódio corporal, o que também estimula os receptores de sede;
  • você fica constantemente faminto. Não está claro exatamente o que estimula os centros de fome do seu cérebro, possivelmente, a falta de insulina ou os altos níveis de glucagon;
  • você perde peso apesar de estar comendo mais freqüentemente. A falta ou resistência à insulina estimulam diretamente a degradação de gorduras nas células adiposas e de proteínas nos músculos, levando à perda de peso;
    • o metabolismo dos ácidos graxos leva à produção de corpos cetônicos liberados (cetoacidose), o que pode levar a problemas respiratórios, cheiro de acetona no seu hálito, irregularidades no seu coração e depressão do sistema nervoso central, o que leva ao coma; 
  • você se sente cansado porque suas células não conseguem absorver glicose, deixando-as sem combustível para obter energia; 
    • os altos níveis de glicose sangüínea aumentam a pressão osmótica do seu sangue;
    • a pressão osmótica aumentada atrai água dos tecidos, fazendo com que fiquem desidratados;
    • a água do seu sangue se perde nos rins através da urina, o que diminui o volume sangüíneo;
    • a redução no volume sangüíneo deixa seu sangue mais espesso (concentração mais alta de células sangüíneas vermelhas), com uma consistência parecida com a do melado e com mais resistência ao fluxo (má circulação);
  • a má circulação de sangue causa dormência nas mãos e pés, alterações na visão, os ferimentos demoram para cicatrizar e você tem infecções freqüentes. O alto nível de glicose no sangue também pode deprimir o sistema imunológico. Por fim, isso pode levar a gangrena dos membros e cegueira.

Felizmente, pode-se lidar com essas conseqüências corrigindo a glicose sangüínea elevada através de dieta, exercícios e medicamentos, como discutiremos a seguir.