O desenvolvimento físico do recém-nascido: coordenação motora geral

Autor: 
Michael Meyerhoff, Ed.D.

Apesar de seu bebê estar ocupado crescendo, ganhando peso e se preparando para o nascimento dos dentes, ele também está aprendendo a interagir fisicamente com o ambiente em que vive. Naturalmente, o desenvolvimento físico do bebê não começa somente após o nascimento - você conhece muito bem as acrobacias que ele fazia dentro do útero. Nessa e na próxima página, veremos o desenvolvimento físico de seu recém-nascido. Vamos começar com a coordenação motora geral.

Desenvolvimento das habilidades físicas

Nos primeiros três meses de vida, os reflexos controlam a maior parte do comportamento do bebê. À medida que esses reflexos desaparecem, vão surgindo movimentos mais voluntários. Conforme o bebê ganha força e coordenação nos músculos, ele começa a explorar e a manipular objetos no ambiente que o cerca. A cada dia ele se movimenta de forma mais adequada.

O desenvolvimento físico se divide em duas categorias: a coordenação motora fina e a coordenação motora geral. A coordenação motora fina requer coordenação precisa dos pequenos músculos. A aquisição da coordenação mão-olho é o foco do desenvolvimento motor fino. A coordenação motora geral é controlada pelos músculos maiores, mais fortes e menos exigentes. Essa coordenação inclui manter a cabeça em pé, sentar, engatinhar e andar.

A aquisição das habilidades de desenvolvimento normalmente ocorre em uma seqüência ordenada e previsível. Entretanto, o tempo exato do domínio de qualquer habilidade está sujeito à variação normal - algo que você tem que ter em mente quando pensar que seu filho está atrasado ou adiantado no desenvolvimento.
Cada bebê aborda o mundo com seu próprio estilo. Procure não comparar seu filho com outras crianças. Desde que a habilidade apareça dentro da variação normal de tempo, as diferenças nessa variação são insignificantes. Por isso, quando escutar que outra criança está andando com nove meses, não se desespere só porque seu filho ainda está aperfeiçoando os movimentos de engatinhar. Ao contrário, concentre-se em seus talentos especiais. Por exemplo, seu bebê pode ser muito melhor do que outro pegando e examinando pequenos objetos. Independente de quando aconteça, comemore cada feito de seu filho.

O desenvolvimento físico segue três padrões gerais.

  1. O desenvolvimento muscular progride da cabeça aos dedos dos pés. Em
    outras palavras, o bebê aprende a levantar e segurar a cabeça antes que o tronco fique forte o bastante para manter a postura sentada.
  2. A força e a coordenação dos membros começam perto do corpo e se expandem em direção às extremidades. O bebê coordena os movimentos dos braços inicialmente pelos ombros e, depois, pelos cotovelos e pulsos. A manipulação habilidosa dos dedos, ou capacidade motora fina, vem por último.
  3. As respostas motoras são inicialmente genéricas. Mais tarde, tornam-se específicas. Por exemplo, se você segurar uma bola vermelha diante do bebê quando ele tiver três meses de idade, a criança pode sorrir, acenar com os braços e pernas e, finalmente, fazer uma tentativa de agarrar a bola usando um ou ambos os braços. Alguns meses mais tarde, a criança talvez continue sorrindo diante da bola, mas a apanhará de maneira rápida, suave e deliberada, usando uma mão só.

Desenvolvimento motor bruto: controlando os grandes músculos

Controle da cabeça - o primeiro obstáculo motor que o bebê precisa superar é adquirir controle sobre a cabeça, relativamente grande. Tente imaginar que está tentando mexer a cabeça mas tendo sobre ela um grosso dicionário: é mais ou menos esse o desafio que um bebê precisa enfrentar. Ele passa os três ou quatro meses iniciais de sua vida tentando controlar os movimentos da cabeça.

Gradualmente, os músculos do pescoço ganham força e a cabeça do bebê passa a oscilar menos. Nesse meio tempo, a mãe precisa sustentá-la quando o pega no colo. Aos três meses de idade, o bebê já consegue controlar a cabeça quando é puxado para se sentar, ainda que a cabeça continue oscilando um pouco caso a mãe o mantenha em posição sentada. Dos quatro aos seis meses de idade, chega o momento em que a cabeça do bebê não se dobra para trás quando ele é colocado em posição sentada e ele será capaz de segurar a cabeça na posição correta.

A despeito do tamanho relativamente grande da cabeça, um bebê recém-nascido é capaz de mantê-la erguida por tempo suficiente para movimentá-la de um lado a outro, quando estiver acomodado no colo da mãe. Ou seja, ele é capaz de evitar sufocação. Nos três meses seguintes, ele desenvolverá força suficiente para erguer a cabeça a um ângulo de 90 graus em relação a uma superfície plana. Entre os dois e os quatro meses de idade, caso esteja com os braços estendidos diante do peito, ele conseguirá erguer a cabeça e o peito a uma altura superior a de uma determinada superfície.

Sentar - à medida que o bebê ganha força, ele adquire a capacidade de sentar. Por volta dos quatro meses de idade, ele consegue permanecer sentado entre 10 e 15 minutos sem apoio. A essa altura, o bebê apreciará a oportunidade de se sentar com as costas apoiadas em um assento infantil, por almofadas ou por mãos carinhosas. Passeios de carrinho se tornam muito mais divertidos, porque o bebê pode sentar e observar o mundo. Durante as refeições, ele pode ser acomodado em uma cadeirinha de encosto elevado, com um travesseiro ou com um cobertor servindo de apoio às costas.

Entre os cinco e os sete meses e meio, caso alguém o coloque sentado com as pernas bem separadas, ele consegue se sustentar sem ajuda. É aconselhável colocar travesseiros ou cobertores em torno do bebê, como prevenção contra quedas. Por algum tempo, ele precisará se apoiar nos braços para manter a postura quando sentado. Mas logo aprenderá a se equilibrar, o que deixará suas mãos livres para manipular objetos. Aos nove meses, ele poderá se sentar sozinho. A crescente independência do bebê proverá horas de encanto à criança, que poderá ficar sentada e se divertir com seus brinquedos sem ajuda.

Rolar - rolar pela cama ou pelo chão representa a primeira manobra de corpo inteiro para o bebê, e também seu primeiro meio de locomoção. À medida que o reflexo tônico da nuca desaparece, ele deixará de estender automaticamente os braços ao girar a cabeça. Quando adquirir controle suficiente sobre a cabeça, torso e pernas, conseguirá recolher os braços sobre o corpo e rolar. A cabeça, pesada, servirá para iniciar a rotação.

Com cerca de três meses de idade, os bebês começam a rolar de lado. Entre os quatro e os seis meses, o bebê aprende a rolar para se deitar de frente ou de costas. Por volta de um mês mais tarde, domina a técnica de rolar em qualquer direção. Não deixe bebês de qualquer idade desacompanhados sobre uma superfície elevada porque eles podem rolar e cair sem querer.

Engatinhar - no mesmo período em que o bebê aprender a se sentar, também pode começar a engatinhar. Não há momento determinado para que ele engatinhe, ou posição correta. Alguns bebês preferem se deslocar em posição sentada, apoiados no bumbum. Outros não se interessam por engatinhar e começam a andar diretamente.

Caso um bebê decida aprender a engatinhar, as primeiras tentativas podem surgir a partir dos cinco meses de idade. Caso você tenha um bebê muito ativo, ele pode se deslocar por uma combinação de rolagem e empurrões na direção desejada.

Em média, os bebês começam a tentar essa forma de deslocamento no sexto ou sétimo mês. Como eles têm braços mais fortes e coordenados que as pernas, podem se arrastar usando os braços e arrastando as pernas. O progresso pode acontecer inicialmente em direção da retaguarda. Mais tarde, o bebê começa a usar os joelhos e os dedos do pé para ajudar no empuxo. Por volta dos oito meses, provavelmente conseguirá se deslocar na posição tradicional.

Quando começar a engatinhar, o bebê passará a explorar alegremente todos os lugares da casa. Ele se divertirá sozinho por longos períodos. Nessa etapa, há necessidade de vigiar as atividades do bebê cuidadosamente. Todos os objetos e áreas da casa devem ser tornados seguros para o bebê (verifique os riscos de segurança) antes que ele possa começar a se deslocar sozinho. Ele pode demonstrar tanta curiosidade sobre as tomadas da casa quanto sobre os brinquedos.

Levantar - entre os três e os seis meses de idade, o bebê passa a sustentar parte de seu peso nas pernas quando você o ergue. Inicialmente, ele trava as pernas de forma rígida. Algumas semanas depois, começa a se agitar, dobrando e esticando as pernas. Verifique se ele é capaz de ficar em pé apoiado pela sola dos pés. Caso ele pareça se apoiar nos dedos dos pés, isso pode ser um sinal de que é cedo demais para que as pernas sustentem seu peso.

O bebê pode começar a tentar se levantar sozinho por volta dos seis a oito meses de idade, ou até aos 10 meses. A maioria dos bebês consegue se levantar aos oito ou nove meses. A mãe pode ajudar o bebê oferecendo objetos estáveis para apoio, que ele não seja capaz de derrubar com seu peso. Também é importante cercar a criança de travesseiros para atenuar possíveis quedas, mas é preciso ficar de olho para garantir que o bebê não se sufoque.

No começo, o bebê se delicia com a postura ereta, mas os ruídos de alegria podem se transformar em desespero no momento em que ele descobrir que não sabe como voltar a sentar. A mãe pode ajudá-lo mostrando como deslizar as mãos ao longo do objeto de apoio a fim de baixar o bumbum até o chão.

Aos 11 meses, a criança provavelmente será capaz de se levantar sozinha. Na mesma época, ela conseguirá se levantar dobrando os joelhos e se impulsionar de uma posição agachada.

Passeando e caminhando - depois que o bebê consegue se levantar com apoio de uma peça de mobília, ele começará a passear pelo aposento usando outras peças de mobília como apoio. No começo, provavelmente ficará com o rosto voltado para a mobília e se deslocará de lado. À medida que começar a ganhar confiança, passará a caminhar de frente, usando uma mão como apoio lateral. Esse tipo de deslocamento geralmente começa no nono mês, mas também pode ocorrer entre os 7,5 e os 12,5 meses de idade do bebê.

Quando seu filho corajosamente descartar o apoio da mobília e começar a dar seus primeiros passos individuais, já estará caminhando. Aprender a andar será tão emocionante para a mãe quanto para o bebê. Normalmente, caminhar com ou sem assistência é algo que um bebê consegue por volta de seu primeiro aniversário (a maioria dos bebês começa a andar antes dos 14 meses).

O bebê rapidamente ganha agilidade e confiança. Aos 18 meses, consegue andar para trás. Entre os 14 e os 21 meses, aprende a subir escadas, ainda que talvez demore mais uns dois meses para que possa fazê-lo de forma confiante. Aos 18 meses, aprende a correr, ainda que meio sem jeito. Alguns meses mais, a mãe perceberá que ele não parece mais tão desequilibrado, quando corre em sua direção.

Enquanto o bebê aprende a movimentar seu corpo pelo espaço que ocupa, também está realizando grandes avanços no controle de suas mãos e dedos. Na página seguinte, você aprenderá sobre o desenvolvimento da capacidade motora fina dos bebês.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O
OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer
Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor, nem a
editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis
oriundas de tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar,
ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das
informações aqui contidas. A publicação dessas informações não
constitui prática de medicina e elas não substituem a orientação de seu
médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter
a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de
outro profissional da área da saúde.