Padrões de crescimento e dentição do recém-nascido

Autor: 
Michael Meyerhoff, Ed.D.

O crescimento e o desenvolvimento de um bebê começam dentro do útero. Na verdade, a taxa mais rápida de crescimento ocorre durante os primeiros quatro meses da gestação, mas, após o nascimento, ele continua crescendo rapidamente. O padrão de crescimento e desenvolvimento de cada bebê é único, influenciado pela idade gestacional no nascimento, tamanho ao nascer, tipo do corpo, estado geral de saúde, qualidade da dieta e exercícios, e os tamanhos e padrões de crescimento dos pais.

Nessa página, explicaremos os padrões de crescimento de um recém-nascido, como sua altura e peso ao nascer e a velocidade com que pode crescer nos primeiros dois anos. Além disso, você encontrará informações sobre a dentição do bebê, como quando nascem os dentes e como diminuir a irritação que o aparecimentos dos dentes geralmente causa.

Tamanho ao nascer

Depois de passar, aproximadamente, 40 semanas dentro do útero, um recém-nascido médio pesa 3,7 kg. A maioria dos bebês pesa entre 2,7 e 5 kg. A altura média de um recém-nascido é de 50 cm, com uma variação de 45 a 55 cm. O perímetro cefálico médio (a distância ao redor da cabeça) é de 35 cm.

A cada consulta, o pediatra anotará o crescimento do bebê. Os melhores indicadores de crescimento são peso, altura e perímetro cefálico. A representação gráfica dessas medidas de crescimento é uma maneira simples e extremamente útil de monitorar o estado de saúde de seu filho.

Taxa de crescimento

Durante os primeiros dias depois do parto, você pode esperar que seu bebê perca de 6% a 10% do peso que tinha ao nascer. A maior parte do peso perdido se apresenta na forma de água extra do corpo. Se você pretende amamentar, o leite começa a descer nesse período. O primeiro leite, ou o colostro, embora escasso, é rico em proteína e sustenta o bebê enquanto o volume de leite aumenta.

Após três a quatro dias, o recém-nascido começa a recuperar o peso, devendo alcançar o peso do nascimento ou superá-lo em torno de 10 a 14 dias. Nos três meses seguintes, o bebê engorda aproximadamente 30 g por dia. Entre três e seis meses, o ganho de peso diminui para cerca de 120 a 150 g por semana. Entre 6 e 12 meses, o ganho de peso diminui para cerca de 60 a 90 g por semana. Após o primeiro ano, a taxa de crescimento cai ainda mais. No segundo ano de vida, o apetite às vezes diminui à medida que a atividade física aumenta, resultando em paralisação temporária do crescimento.

Se o bebê tem tamanho médio, pode-se esperar que seu peso duplique por volta dos cinco meses, triplique em um ano e quadruplique  em torno de dois anos. O ganho médio de comprimento ou altura é de 25 a 30 cm no primeiro ano e 12 cm no segundo. Não se esqueça de que esses números são estimativas para um bebê de tamanho médio. Se seu filho nasceu pequeno, é possível que ele cresça mais rápido; se nasceu grande, ele provavelmente crescerá a uma velocidade mais lenta.

A curva do crescimento nem sempre é regular. Os bebês geralmente crescem em estirões. Se o bebê estiver doente ou preocupado em adquirir uma nova habilidade física, sua taxa de crescimento pode diminuir temporariamente (ele pode estar queimando mais calorias e ter perdido um pouco o apetite). Tenha também em mente que ser grande não é necessariamente melhor. A obesidade deve ser evitada em qualquer idade.

Formação e erupção do dente

Formação - os embriões dos primeiros dentes do bebê começam a se formar por volta de seis semanas de vida fetal. Entre quatro e cinco meses de gestação, alguns embriões já estão evidentes. Aproximadamente no sétimo mês, os embriões de todos os dentes de leite (decíduos) do feto estão formados. Ao nascer, as coroas - porções dos dentes visíveis acima das gengivas - dos dentes da frente do bebê já estão formadas e contêm a maior parte de seu revestimento de esmalte. As coroas de outros dentes de leite estão parcialmente formadas e os embriões de alguns molares permanentes estão se formando. Quando seu filho está com três anos, as coroas de alguns dentes permanentes estão bem formadas e os embriões dos últimos molares já se formaram.

Dentição
- por volta de três meses de idade, podem começar a surgir os primeiros dentes. A dentição é marcada por salivação em excesso, irritação e mastigação de tudo que o bebê encontrar pela frente na tentativa de diminuir o desconforto das gengivas doloridas e inchadas. Alguns bebês apresentam esses sintomas até os quatro meses, antes de o primeiro dente finalmente nascer. Se seu bebê estiver incomodado, você pode ajudar a diminuir a dor e o inchaço das gengivas dando-lhe objetos firmes, lisos, limpos e inquebráveis para ele morder. Massagear as gengivas inflamadas com a ponta do dedo limpo também pode ajudar. Também existem disponíveis no mercado medicamentos que atenuam a dor das gengivas.

Não se preocupe se seu filho não mostrar muito interesse pelo seio ou pela mamadeira; a sucção aumenta o fluxo sangüíneo e, conseqüentemente, o inchaço e a dor das gengivas. Se ele já for grandinho, você pode tentar oferecer líquidos no copo.

O primeiro dente do bebê - o primeiro dente do bebê deve aparecer entre os quatro e os oito meses de idade. No entanto, não é incomum que uma criança chegue aos 10 meses antes que o primeiro dente apareça, e ocasionalmente há bebês que já nascem com um ou mais dentes. Ainda que a maioria dos bebês chegue ao primeiro aniversário com seis a oito dentes, alguns bebês podem apresentar dois dentes ou menos. Caso seu bebê esteja se aproximando do primeiro aniversário e a presença de dentes não pareça evidente, o ideal é conversar com o pediatra sobre uma avaliação dentária.

A dentição do bebê começa por volta de quatro meses, embora o primeiro dente possa nascer só com seis a oito meses.

Dentes de leite e mastigação - mesmo que todos os dentes de seu bebê tenham surgido entre os 18 e os 24 meses de idade, é preciso cuidado com os alimentos fornecidos à criança. A capacidade de mastigação de uma criança geralmente não se desenvolve plenamente até os quatro anos de idade. Não alimente crianças com idade inferior a essa com produtos como pipocas, sementes oleaginosas (especialmente amendoins), legumes frescos como cenouras, uvas inteiras, cachorros quentes e doces em formato redondo. Caso alimentos como esses não sejam devidamente mastigados, podem se alojar na traquéia de uma criança pequena e bloquear seu suprimento de ar.

Dentição e nutrição - como os dentes de um bebê começam a se formar bem cedo na vida fetal, aquilo que a mãe come durante a gestação pode afetar o desenvolvimento da dentição do filho. No entanto, uma dieta bem balanceada pode atender facilmente às necessidades nutricionais dos dentes, e dos músculos e ossos que os sustentam; é essencial que haja oferta ampla de cálcio. Depois do parto, a dieta recomendada pelo pediatra conterá os nutrientes corretos para o crescimento e desenvolvimento saudável do bebê, o que inclui a formação saudável de dentes.

À medida que seu bebê cresce e que seus primeiros dentes começam a surgir, ele também começa a desenvolver as capacidades motoras brutas e finas. Um estudo abrangente quanto ao primeiro ano de desenvolvimento físico dos bebês está disponível nas páginas seguintes.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O
OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer
Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor, nem a
editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis
oriundas de tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar,
ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das
informações aqui contidas. A publicação dessas informações não
constitui prática de medicina e elas não substituem a orientação de seu
médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter
a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de
outro profissional da área da saúde.