Reflexos e respostas de um recém-nascido

Autor: 
Michael Meyerhoff, Ed.D.

Os reflexos e as respostas de um recém-nascido permitem que ele reaja a o ambiente em que vive e às pessoas que vê. Esses reflexos são instintivos e servem para protegê-lo, e todos os bebês nascem com os mesmos reflexos. Por outro lado, as respostas são totalmente individuais. Por exemplo, o que faz um bebê sorrir pode fazer outro chorar. Nesta página, você aprenderá tudo sobre os reflexos e as respostas de seu bebezinho aos estímulos que ele recebe.

Reflexos do recém-nascido

Após fazer a transição para a vida fora do útero, o bebê enfrenta a tarefa de aprender a sobreviver em um ambiente completamente novo para ele. Felizmente, a natureza lhe deu alguns reflexos até que seja capaz de realizar certas atividades voluntariamente.

Reflexo de busca - como os seios da mãe são programados para fornecer o leite para alimentar o recém-nascido, um bebê automaticamente sabe como responder às tentativas de alimentá-lo. Ao estimular sua bochecha, boca ou lábios com o bico do seio ou da mamadeira, a cabeça vira em direção ao estímulo, a boca se abre e a língua se projeta para fora. Esse movimento da cabeça e da boca é chamado de reflexo de busca e ajuda o bebê a encontrar sua fonte de alimentação. Logo que a boca é estimulada, ele automaticamente começa a sugar e engolir em movimentos coordenados.

Reflexo mão-boca - ocorre quando se acaricia, com a mão, a bochecha ou a palma da mão do bebê. A boca do bebê faz a busca e depois que encontra a mão que o acaricia, o bebê pode chupá-la por vários minutos. Esse reflexo ajuda os bebês a chuparem e engolirem qualquer muco que possa estar obstruindo suas vias aéreas superiores (nariz e boca) depois que nascem.

Reflexo de endireitamento - ao colocar, lentamente, o bebê sentado de costas, ele tenta manter a cabeça em pé. Essa resposta é chamada de reflexo de endireitamento. Como sua cabeça é pesada e os músculos não estão fortes o suficiente para mantê-la firme, ela cai para trás e para frente. Você aprenderá rapidamente a apoiar a cabeça do bebê quando pegá-lo.

Reflexo tônico do pescoço - durante as primeiras semanas, o bebê vira a cabeça para o lado quando está deitado de costas. O braço do mesmo lado se estende, enquanto o outro é flexionado. Essa postura se assemelha à posição de esgrima e é chamada de reflexo tônico do pescoço. Nessa posição, o bebê consegue descobrir a própria mão. Como é difícil virar sobre um braço esticado, esse reflexo desaparece antes do bebê conseguir rolar.

Reflexos de Babinski e preensão - um recém-nascido apresenta um forte reflexo de preensão. Quando você coloca um dedo na palma da mão dele, os dedinhos dele se fecham com firmeza ao redor do seu. O reflexo de preensão automático desaparece nos primeiros dois a três meses para permitir que o bebê segure objetos voluntariamente. Se você pressionar levemente a sola do pé do bebê, verá que os dedinhos dele se dobrarão para baixo. Acariciar a lateral da sola faz com que os dedos se abram e o dedão se estenda para cima. Esse reflexo é o oposto da resposta normal do adulto, em que o dedão vira para baixo.

Reflexo de caminhar - segurar o bebê em pé e pressionar a sola de um pé por vez em uma superfície firme induz o reflexo de caminhar. Ele curva as pernas alternadamente como se estivesse andando. Esse reflexo desaparece rapidamente, mas reaparece meses depois como um comportamento voluntário aprendido na preparação para a verdadeira caminhada.

Bater em uma perna faz a outra dobrar, cruzar a primeira perna e afastar o objeto que incomoda. Ele se movimenta como se quisesse fugir de um estímulo prejudicial.

Levantar a cabeça - quando colocado de bruços, o bebê levanta a cabeça e vira de um lado para outro. Ele pode até tentar engatinhar. As respostas impossibilitam, na prática, que o bebê se sufoque quando estiver deitado de bruços em uma superfície firme e plana. Por essa razão, você não precisa se preocupar se seu filho terá dificuldade para respirar quando estiver nessa posição. Entretanto, você deve mantê-lo longe de roupas de cama, travesseiros, brinquedos e bichinhos de pelúcia, e nunca deve colocá-lo em um colchão muito mole.

Reflexo de Moro - o reflexo mais forte é o de Moro, que é uma resposta instintiva quando o bebê se sente desequilibrado e em perigo. Um barulho alto ou um movimento brusco faz o bebê esticar os braços e as pernas, estender o pescoço e chorar. Em seguida, ele junta os braços, como em um abraço, e flexiona as pernas. Infelizmente, a resposta do bebê o agita ainda mais. O próprio choro estridente acaba assustando-o novamente. Você pode ajudar a quebrar esse ciclo aproximando os braços e pernas do bebê do corpo dele; pressionando levemente sua mão contra seu peito e abdome dele; ou simplesmente segurando-o firmemente junto a seu próprio corpo. Com três meses de idade, esse reflexo desaparece.

Respostas do recém-nascido

Seu bebê não é apenas um monte de reflexos. Cada bebê é único. Desde o primeiro dia, seu filho defende sua individualidade e mostra seu temperamento.

Círculo de confiança - dentro de algumas semanas, você verá seu bebê expressar prazer com murmúrios e sorrisos rápidos e comunicar fome, dor ou medo variando os choros. Você aprenderá a interpretar cada um deles. Se você atende as suas necessidades, ele aprende a confiar em você. Seu senso de segurança encoraja-o a continuar com você. Esse círculo de interação positiva é gratificante para todos.

Os recém-nascidos não podem ser mimados - o bebê ainda não tem maturidade intelectual para manipular os pais. Ao nascer, ele não conhece as pessoas; não reconhece que é uma pessoa separada de você. Ele simplesmente sabe de suas necessidades e as expressa da melhor maneira que pode. Não se preocupe em pegar seu bebezinho no colo sempre que ele chorar. Você o carregou durante nove meses, então pegá-lo no colo para  o confortar apenas ajuda. Você não deve segurar muito seu filho no colo nos primeiros três meses.

À medida que o bebê for crescendo, atender aos chamados dele inclui responder também aos resmungos. A resposta verbal dos pais favorece o desenvolvimento das habilidades auditivas do bebê, assim como o reconhecimento da linguagem. Muitos especialistas em desenvolvimento infantil acreditam que segurar o bebê e falar com ele são as contribuições mais importantes que você pode dar para o desenvolvimento futuro de seu filho.

É muito gratificante ver seu bebê responder a sua voz e ao seu toque. Mas existem muitas outras maneiras de atrair a atenção dle, o que discutiremos na próxima página - os cinco sentidos do recém-nascido.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O
OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer
Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor, nem a
editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis
oriundas de tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar,
ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das
informações aqui contidas. A publicação dessas informações não
constitui prática de medicina e elas não substituem a orientação de seu
médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter
a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de
outro profissional da área da saúde.