Desenvolvimento da linguagem em um recém-nascido

Autor: 
Michael Meyerhoff, Ed.D.

A linguagem é muito mais do que simplesmente falar. A partir do dia em que seu filho nasce, você e ele se comunicam através de conversas com olhares, sorrisos e linguagem corpórea. Ele reage à sua voz e ao som do seu coração. A principal ferramenta de comunicação dele é o choro. Quando está com 2 meses de idade, ele provavelmente já desenvolveu choros diferentes para indicar fome, dor, fadiga e desconforto. Esta seção detalhará os marcos do desenvolvimento da linguagem do bebê e dará dicas para você encorajar o seu filho a falar.

O desenvolvimento da fala

Os primeiros sons não relacionados ao choro que seu bebê faz são sons guturais que surgem com uma produção aumentada de saliva: o gargarejar, cuspir, arrulhar e gritos que começam mais ou menos aos 3 meses de idade.

Podem não parecer palavras, mas o seu bebê pode começar a tentar falar com você aos três meses de idade.
2006 Publications International, Ltd.
Podem não parecer palavras, mas o seu bebê pode começar a tentar falar com você aos 3 meses de idade

Logo ele começa a juntar os sons e repetir combinações de consoantes e vogais como "ba-ba-ba". Esteja ciente de que é raro um bebê seguir quaisquer cronogramas para o desenvolvimento das habilidades da fala. As crianças variam nessa área como em qualquer outra área do desenvolvimento. Pode ser em qualquer momento entre os 6 meses e 1 ano de idade que ele chame uma ou duas pessoas muito importantes pelo nome (muito provavelmente, "mama" e "papa"). Na verdade, um bebê que começa a falar mais cedo pode conhecer e usar até doze palavras ao completar um ano de idade. Estas palavras provavelmente são todas substantivos e representam as versões do bebê para objetos familiares como biscoito, suco, cachorro e copo.

Você sabe que seu filho está realmente ansioso para falar como os adultos quando começar a ouvir jargões contínuos, montes de sons sem sentido, cheios de inflexões que os fazem parecer uma conversa em alguma língua estrangeira. Esse tipo de conversa pode continuar por muito tempo após o seu filho ser capaz de se fazer entender com palavras de verdade (normalmente quando ele está brincando sozinho). Entre 1 e 2 anos de idade, ele já deve ter uma vocabulário de cerca de 50 palavras (e não tenha dúvida de que uma delas é "não") e gosta de cantar músicas familiares e repetitivas com você. Não se surpreenda se o seu filho parecer atingir um platô no progresso da fala quando aprender a falar, é difícil dar duro em duas habilidades de uma só vez. As crianças costumam começar a colocar substantivos e verbos juntos para formar frases de duas ou mais palavras entre dois e dois anos e meio, e quem começou a falar mais cedo pode até adicionar uma preposição (debaixo da mesa) ou um adjetivo (cachorro grande). Quando completar 3 anos de idade, ele já pode ter um vocabulário de até 300 palavras. Talvez você note que a freqüência de explosões de raiva e períodos de frustração diminuem à medida que ele descobre palavras para expressar sua raiva e seus desejos.

Encorajando seu filho a falar

Estimule o seu filho a falar o tempo todo em que estiverem juntos, enquanto realizam suas atividades diárias. Veja algumas maneiras de ajudar no desenvolvimento da linguagem:

  • fale bastante com o seu bebê, dando total atenção a ele. Abaixe-se até a altura do seu filho e olhe nos olhos dele;
  • fale devagar e claramente, descrevendo o que está fazendo com ele e para ele, usando todas as palavras necessárias: partes do corpo, peças de roupas, tipos de alimentos, brinquedos favoritos. Use as mesmas palavras para objetos semelhantes quando o seu filho tiver menos de 2 anos de idade. Chame todos os calçados de sapatos, por exemplo, em vez de chinelos e tênis;

  • explique tudo de maneira simples. Quando tiver cerca de 15 meses, ele será capaz de fazer o que você pede se der comandos como "Traga uma fralda". Você vai causar confusão se usar uma frase longa que comece com "Vá até o quarto e...";

  • use livros de figuras para ajudá-lo a desenvolver as associações palavra-objeto, sempre apontando objetos familiares e pedindo que ache o cachorro, o bebê ou a casa nas figuras. Brinque com jogos de palavras, ensine brincadeiras com os dedos e use canções que são acompanhadas por ações;

  • preste atenção ao seu filho quando ele falar com você. Tenha paciência e espere que ele fale as palavras certas para terminar um pensamento em vez de terminar esses pensamentos você mesmo ou dar o que ele quer antes que as palavras tenham saído da boca dele;

  • tenha paciência também ao responder todas as perguntas, não importando se parece que elas nunca acabam. Pratique ampliar um pouco uma pergunta dando informações adicionais. Por exemplo, se o seu filho pergunta, "O que é isso?", apontando para um esquilo, adicione o fato de que o animal está na árvore para procurar coisas para comer;

  • não estimule quando ele faz sons de bebê ou usa gramática incorreta, mas não o corrija, pois isso o deixa com medo do ato de falar em si. Em vez disso, repita as palavras ou frases da maneira correta.

Tenha em mente que o desenvolvimento da linguagem inclui a linguagem "receptiva" (a compreensão das palavras) assim como a linguagem "expressiva" (falar as palavras). Durante toda a primeira infância, e especialmente durante os anos como bebê, as crianças sempre podem entender muito mais do que conseguem dizer. Por isso, se seu filho não está falando tanto, mesmo que com 2 anos de idade, provavelmente não há com o que se preocupar se estiver notando que o vocabulário "receptivo" está aumentando continuamente.

Conforme os hábitos relacionados ao ato de falar vão amadurecendo, ele vai poder interagir melhor com você. As interações sociais dele vão a um novo nível de complexidade e a frustração diminui à medida em que a habilidade de se expressar aumenta. Vá para a próxima página para ver uma explicação completa sobre a evolução do relacionamento do recém-nascido com seus pais e outros membros da família.