Como perder a flacidez debaixo dos braços

O simples gesto de dar um tchauzinho pode ser um grande sacrifício para quem tem gordura localizada debaixo dos braços. Usar camiseta regata, então, nem pensar. Especialmente as mulheres são atormentadas por esse fantasminha nada camarada. Todavia, há uma série de artifícios para combater esse desagradável e pouco harmonioso componente da estética corporal.


Foto: iStock.

Naturalmente, assim como não se deve utilizar um canhão para eliminar uma formiga, não adianta tentar exterminar um elefante com um peteleco. É preciso encaixar a solução adequada de acordo com cada caso.

Em algumas situações, para atingir o objetivo, uma simples mudança de hábitos alimentares pode ser suficiente e garantir o resultado esperado. Em outros, exercícios específicos serão capazes de resolver a questão. Se nada disso for suficiente, medidas mais severas talvez tenham que ser tomadas.

Cuidados com a alimentação são primeira medida a ser tomada

Um primeiro passo pode ser dado não através dos pés, mas da boca. A diminuição da flacidez do corpo como um todo, uma vez que não é possível fazer o combate apenas em uma região, passa por um consumo maior de verduras, frutas da cor vemelha (as chamadas berries) e cítricas.


Foto: iStock.

Uma recomendação altamente saudável é o suco de laranja com cenoura. Todos esses alimentos são ricos em vitamina C, que ajuda a manter a pele com aparência mais jovial.

A gelatina é outro alimento que deve ser incluído na dieta contra a flacidez. Ela contém colágeno, proteína responsável por manter a firmeza da pele. Comprimidos com doses bem maiores de colágeno que as encontradas na gelatina também são encontrados nas farmácias, assim como cremes à base de DMAE e manteiga de karité, que podem servir como linha auxiliar na luta contra esse inimigo desagradável.

Exercícios ajudam no combate à flacidez

Assim como a alimentação, os exercícios devem ser pensados de forma a melhorar o corpo globalmente. Porém, nesse caso, há rotinas que podem ajudar especificamente no combate às gorduras localizadas.

Todavia, os resultados não surgem da noite para o dia. É necessário um período aproximado de três meses para que se possa notar alguma diferença. Como se deseja um ganho para um determinado lugar, a carga desses exercícios deve ser maior que as demais rotinas de musculação.


Foto: iStock.

No entanto, ela não deve ser feita todo dia. É preciso dar tempo para que a região descanse e, só depois disso, tenha condições de reagir à uma nova série de estímulos. O ideal é que as séries de exercício visando a redução da gordura localizada sejam realizadas três vezes por semana, em dias alternados. Forçar demais em busca de resultados rápidos pode acabar fazendo o tiro sair pela culatra.

Alguns exercícios recomendados:

1) exercício flexão de braço: apoie os pés no chão unidos, mantenha as pernas estendidas e as mãos apoiadas no chão um pouco afastadas (na largura dos ombros). Flexione os cotovelos aproximando o tórax do chão e retorne à posição inicial. Faça esse movimento de 10 a 20 vezes, em três séries, com intervalos de 30 segundos.

2) exercício rosca bíceps (utiliza uma barra): comece de pé, com os pés paralelos, e a barra na mão próxima da coxa. Flexione o cotovelo aproximando a barra do tórax e volte para a posição inicial. Repita o movimento 15 vezes. Faça três séries com intervalos de 30 segundos.

3) exercício triceps coice com halter: apoie uma das mãos e um dos joelhos em um banco. Com o braço oposto, segure o halter (ou algum peso se não tiver um) com os cotovelos flexionados. Estenda o cotovelo até o peso ficar ao lado do corpo e volte para posição original. Repita o movimento alternando os lados. Faça 15 movimentos com cada braço em três séries com intervalos de 30 segundos.

Obviamente essas são apenas algumas sugestões. Cada pessoa tem sua própria capacidade de resistência a exercícios e necessidade. Além disso, deve passar por uma avaliação antes de começar um treinamento. Para isso, precisa consultar um profissional qualificado.

Medicina estética oferece opções mais radicais

Algumas clínicas de dermatologia e medicina estética vão além nos tratamentos que oferecem visando diminuir ou eliminar a gordura localizada com opções um pouco mais radicais. Foram desenvolvidos alguns equipamentos que ainda estão longe de obter consenso na comunidade científica, mas já estão à disposição de quem não quer contar apenas com dietas rígidas e exercícios físicos no combate à flacidez.

Uma dessas opções é o Accent, um equipamento que busca reduzir a flacidez localizada através de ondas de ultrassom. O Freeze seque linha similar, mas usa radiofrequência e pulsos eletromagnéticos. Nessa mesma categoria de tratamento pode ser incluído o NIR, aparelho que utiliza raios infravermelhos contra as gorduras localizadas.

A carboxiterapia entra na lista de opções mais duras de tratamento. São injeções de gás carbônico aplicadas bem no local onde se deseja eliminar a flacidez. Outra opção é a chamada corrente russa, que são choques elétricos aplicados na região.

Cirurgia aparece como o último recurso

Se todo esse arsenal não for suficiente para alcançar os resultados esperados, ainda há um último recurso para a eliminação total da flacidez que é a cirurgia. Geralmente, ela só é recomendada para pessoas que eram muito gordas e perderam quantidades significativas de peso. Isso faz com que reste muita pele na região e não há outra opção para recuperação. Porém, mesmo em outros casos ela surge como oportunidade de melhorar a aparência do local.


Foto: iStock.

As contra-indicações da cirurgia são a cicatriz que fica na região e o período pós operatório, além, naturalmente, dos riscos naturais de todo procedimento desse tipo. Depois da operação, os movimentos do braço ficam restritos por um mês. A internação, no entanto, é curta, de apenas 24 horas. A cirurgia é feita sob anestesia geral e dura cerca de três horas. O resultado final, no entanto, só pode ser visto cerca de seis meses depois da operação, quando os tecidos da região se acomodam e a cicatriz amadurece.