Lendo para a criança

Autor: 
Michael Meyerhoff, Ed.D.

Além de oferecer horas de entretenimento, um estoque de conhecimento e memórias de histórias que duram a vida inteira, a leitura ajuda o seu filho a desenvolver quatro habilidades básicas de raciocínio: a habilidade de prestar atenção, uma boa memória, a capacidade de resolver problemas e a proficiência na linguagem. A melhor maneira de incentivar o seu filho a amar os livros e a leitura é ler em voz alta para ele. Quando se trata de leitura, os especialistas recomendam que você comece a ler para o seu filho desde o nascimento e continue nos anos da adolescência, talvez em seções de família.

O bebê não entende as palavras que você lê e, de fato, nem sempre você precisa ler historinhas de crianças. Um livro sobre educação dos filhos, o jornal diário ou um romance são igualmente encantadores para o bebê, que adora o som da sua voz. Se você adora poesia, leia poesia para o bebê e continue a ler à medida que a criança cresce. Muitas crianças adoram o ritmo e a cadência da poesia adulta muito antes de poderem entendê-la.

Trinta minutos por dia é um tempo razoável para dedicar à leitura para o seu filho, provavelmente divididos em poucas seções curtas se a criança for pequena. Qualquer hora do dia é boa para leitura. Muitos pais gostam de torná-la parte do ritual da hora de dormir; é uma maneira de ajudar a criança a relaxar e a se preparar para um bom sono. De manhã, à mesa do café, é outra hora favorita para muitos pais e crianças. O ponto principal é aproveitar o tempo da leitura e torná-la parte da sua rotina diária. Lendo regularmente para o seu filho você ajuda a desenvolver as habilidades de leitura dele e a cultivar o seu amor pelos livros. Nesta página, damos sugestões sobre a leitura para o seu filho: quando e o que ler, onde encontrar livros e como evitar alguns "senões" da leitura.

Introduzindo os livros

Milhares de livros infantis estão disponíveis e muitos dos melhores estão em circulação há anos. Uma maneira de selecioná-los é pedir sugestões ao bibliotecário e pegar o nome do revendedor local que tenha a melhor seleção de livros infantis. Se você for sortudo o bastante para ter acesso a uma biblioteca universitária que tenha uma coleção infantil fora de circulação, você poderá ler os últimos e mais populares livros infantis antes de comprá-los. Embora a sua biblioteca local também os tenha, freqüentemente, eles poderão estar emprestados e indisponíveis.

Os primeiros livros do seu filho devem ter histórias curtas, vivamente ilustradas. Devem ser pequenos o bastante para que o bebê possa manuseá-los e, de tecido ou papel cartão, porque as crianças vão querer mastigá-los, despedaçá-los e jogá-los longe. O seu filho deve ter no mínimo 2 anos antes de começar a cuidar dos livros; até lá, ele vai tratá-los como brinquedos, portanto, é preferível comprar edições baratas. Certifique-se de que os livros que você compra, até mesmo para as crianças mais jovens, sejam bem escritos, não soem artificiais e sejam bem ilustrados. Do contrário, eles entediam você e o seu filho percebe este sentimento.

Leia de novo - próximo aos 2 anos, o seu filho começa a apreciar os livros. Além de começar a tomar cuidado com eles, ele descobre como funcionam e aprende a virar as páginas uma de cada vez. A criança dessa idade começa a memorizar algumas histórias e cantigas, é capaz de narrar parágrafos longos ou versos inteiros e pode "ler" junto com você. Ele insiste na leitura do mesmo livro várias vezes e corrige caso você não a leia direito ou, se você pula uma palavra ou troca um nome.

Conforte-se sabendo que quando você lê essas histórias várias vezes, está preenchendo uma função necessária para o desenvolvimento do seu filho: os especialistas dizem que a repetição é um estimulante do interesse e é importante para o processo pelo qual as células do cérebro fazem conexões. Quando as crianças têm entre 2 e 3 anos, elas apreciam histórias que envolvam algum tipo de confronto. Nessa idade, as crianças também gostam de histórias sobre os feriados e as estações do ano, porque isto ajuda a compreender as tradições familiares.

Conte as suas próprias histórias - uma maneira de estimular o interesse da criança pela leitura e complementar o material que você tem em mãos é contar, para ela, as suas próprias histórias. Crie uma história longa ou curta, de acordo com o tempo disponível para contá-la. Qualquer que seja o tema, torne a sua história vívida: que algo aconteça no início e que a ação continue acontecendo. Não tenha medo de usar palavras que o seu filho não conheça, porque escutar palavras novas é um modo de ele expandir o vocabulário. É legal que a personagem principal lute contra intrusos ferozes, mas certifique-se de dar à história um final feliz. Até que o seu filho fique mais velho, a justiça deve prevalecer; o bom deve vencer e o mau deve perder.

Ler para o seu filho vai ensinar o valor dos livros e do aprendizado.
Publications International, Ltd., 2006
Lendo regularmente para o seu filho, você o ajuda a desenvolver
as habilidades de leitura e a cultivar o amor pelos livros

Livros da biblioteca

Com mais ou menos dois anos, o seu filho provavelmente terá dez ou mais livros e, é nessa época que você precisa complementar a sua coleção com livros da biblioteca. De início você pode achar mais fácil e melhor visitar a biblioteca sozinho, para poder se demorar escolhendo os livros que mais atendem aos interesses e ao nível de compreensão do seu filho. Mas leve a criança com você de vez em quando; o hábito de ir à biblioteca semanalmente ou a cada quinze dias é algo que você pode implantar desde cedo e estimular sempre. Continue a escolher alguns dos livros que você vai ler para o seu filho, mas deixe-o escolher alguns, também, mesmo que para você eles não pareçam apropriados.

Infelizmente, nem todas as bibliotecas permitem que crianças que ainda não estejam em idade escolar tenham cadastro; se a sua permite, ajude o seu filho a assinar o dele próprio. Ter o seu próprio cartão da biblioteca é um sinal certo de crescimento. Verifique outros privilégios e serviços oferecidos pelo departamento infantil da biblioteca. Durante os programas de historinhas para crianças (de aproximadamente 30 minutos), os bibliotecários, às vezes, entretém as crianças com fantoches, jogos e canções. As programações regulares da hora da historinha e outros programas estão disponíveis, em geral, para crianças de 2 ou 3 anos. A hora da historinha também oferece uma oportunidade para o seu filho interagir com outras crianças.

Os "senões" da leitura

  • Não continue a ler um livro se ficar óbvio que o seu filho não gosta dele.
  • Não use a leitura como uma recompensa ou como um castigo. Deve ser uma atividade que você faz todos os dias, independente de o seu filho ter sido um anjinho ou não.
  • Não comece a ler um livro longo quando souber que não terá tempo para terminá-lo. Todo livro merece uma boa leitura e as crianças não estão preparadas para histórias continuadas antes dos 4 ou 5 anos de idade.

  • Não pense que o seu filho deve se sentar quieto ao seu lado ou no seu colo enquanto você lê. Uma criança ativa pode ser capaz de ouvir melhor enquanto pinta ou enfileira bolinhas.

Escolhendo os melhores livros para o seu filho

Você vai querer expor o seu filho a uma variedade de livros, mas logo vai perceber que ele desenvolve preferências definidas. Uma criança gosta de histórias emocionantes, com personagens da vida real, outra prefere as histórias de fantasia. É claro que o gosto muda à medida que a criança é exposta a diferentes tipos de livros e a diferentes experiências na vida diária. Uma criança de 3 anos, por exemplo, que entende perfeitamente a diferença entre ser desobediente e se comportar bem, durante um tempo aprecia os livros sobre crianças travessas. Se você estiver esperando um novo bebê, a criança em idade pré-escolar vai querer ver uma porção de livros sobre como nascem os bebês e sobre como é ter um irmãozinho ou irmãzinha.

Os bibliotecários e os vendedores de livrarias podem levar você aos livros que, virtualmente, todas as crianças apreciam. Uns são lançamentos, outros são relativamente novos e alguns são tão antigos que até os seus pais os conheceram quando eram crianças. Entre estes últimos, provavelmente alguns dos seus preferidos, estão os clássicos contos de fadas, histórias lindamente ilustradas sobre personagens inesquecíveis, como a bruxa perversa que tenta cozinhar as crianças e os dragões que ameaçavam o castelo. Alguns pais acreditam que os contos de fadas são muito violentos para crianças de qualquer idade, mas os bibliotecários e os especialistas em leitura os recomendam para crianças a partir dos 6 anos, que são capazes de entender a diferença entre realidade e fantasia.

Não há nenhuma revista especificamente para crianças de 3 anos ou menos, mas o seu filho vai achar interessantes as revistas para adultos e os catálogos que chegam à sua casa. Olhe-os junto com ele, apontando as figuras de bebês, animais, alimentos e brinquedos. Com estas figuras é possível fazer livros de recortes e, quando a criança tiver mais ou menos 3 anos de idade, ela pode escolher as figuras e brincar de recortar e colar.

Experimentando histórias numa idade precoce, a criança desenvolve uma apreciação duradoura pela magia do mundo escrito. Além disso, as crianças adquirem memória, concentração, linguagem e habilidade de solucionar problemas que vão ser úteis na escola e em outros lugares. Estimular a criatividade também aumenta a habilidade deles de solucionar problemas e, na próxima seção, você vai encontrar diferentes jogos de faz-de-conta para fazer com o seu filho.

Estes dados têm propósito unicamente informativo. NÃO SE PRETENDE DAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Os redatores do Consumer Guide, a Publications International Ltd., o autor e o editor não têm responsabilidade pelas possíveis conseqüências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, alteração alimentar, ação ou aplicação de medicamento que resultem da leitura das informações contidas neste informe. A publicação destes dados não configura prática da medicina. Antes de iniciar qualquer tratamento, o leitor deve procurar orientação com seu médico ou outro assistente de saúde.