Entendendo o índice glicêmico

Autor: 
Cathy Leman, R.D., L.D.

Você conhece as diretrizes gerais sobre como escolher os carboidratos mais benéficos: escolha os carboidratos complexos cheios de nutrientes e eleve os níveis de açúcar no sangue gradualmente. Em geral, isto significa escolher cereais integrais, verduras e frutas e evitar alimentos com adição de açucares. Para facilitar a escolha, há uma maneira mais exata para saber se uma comida irá elevar os níveis de açúcar no sangue. Use o índice glicêmico (IG), que sinaliza a forma como o carboidrato é digerido, absorvido e utilizado. É a classificação da rapidez com que certos alimentos elevam o nível de açúcar comparado com outros.

Desenvolvido por pesquisadores na Universidade de Toronto, o IG foi originalmente criado para ajudar as pessoas com diabetes a selecionar alimentos que auxiliariam a controlar sua condição crônica. Foi definido que os níveis estáveis de açúcar no sangue ajudariam a reduzir a probabilidade de desenvolver as complicações associadas com o diabetes, tais como hipoglicemia (baixa taxa de açúcar no sangue) ou hiperglicemia (alta taxa de açúcar no sangue), doenças nos rins, danos nos nervos e cegueira. O consenso era de que todos os alimentos ricos em carboidratos tinham exatamente o mesmo efeito no açúcar do sangue, mesmo que alguns estudos mostrassem que este não fosse o caso. Os pesquisadores se empenharam em mostrar que alguns alimentos ricos em carboidratos têm um impacto maior na glicemia que outros.

O índice glicêmico lhe diz o quão rápido certos alimentos elevam os níveis de açúcar no sangue
2006 Publications International, Ltd.
O índice glicêmico lhe diz o quão rápido certos
alimentos elevam os níveis de açúcar no sangue

Sabemos agora que enquanto todos os carboidratos se transformam em glicose quando digeridos, diferentes carboidratos têm efeitos diferentes na glicemia. Para pessoas com diabetes, comer uma quantidade específica de carboidratos totais a cada dia ajuda-os a manter o nível de açúcar no sangue o mais próximo do normal possível. Entretanto, o tipo de carboidrato é particularmente importante. E mesmo que você não tenha diabetes, é sensato escolher carboidratos complexos porque eles são melhores em manter os níveis de glicemia estáveis.

Nos últimos anos, as pesquisam começaram a concentrar-se em outros usos para o IG. Ele pode ajudar a orientar o esforço de perder peso e como um componente potencial da intervenção alimentar em doenças cardiovasculares. Na verdade, o IG está sendo discutido na imprensa em geral, bem como em situações médicas, ligado ao tratamento e controle de doenças do coração e pressão alta, assim como diabetes. Embora sejam necessárias pesquisas adicionais, as evidências científicas estão concluindo que uma dieta com alimentos com alto índice glicêmico pode aumentar o risco de doenças do coração e diabetes e possivelmente de outras doenças.

Como funciona o índice glicêmico

O índice glicêmico classifica alimentos de acordo com seu efeito imediato nos níveis de açúcar no sangue em comparação com outros alimentos. Uma classificação é feita estabelecendo-se o efeito de 50 gramas do carboidrato disponível (a quantidade total de carboidrato menos fibras) em um alimento de controle nos níveis de açúcar no sangue. Foi determinado para o alimento de controle, originalmente pão branco, o valor 100. Uma vez que isto foi estabelecido, os pesquisadores testaram quantidades iguais (50 gramas de carboidrato disponível) de vários alimentos e compararam a reação do açúcar no sangue ao alimento de controle. Quaisquer alimentos que elevaram a glicemia mais do que o pão branco obtiveram um valor mais alto, ao passo que os alimentos que elevaram a glicemia menos que o pão branco obtiveram um valor mais baixo.

Atualmente, alguns pesquisadores escolheram usar a glicose como alimento de controle em vez do pão branco. É dado à glicose o valor 100 e todos os alimentos são comparados ao seu efeito na glicemia. Quando o pão branco é usado como alimento de controle, a classificação do IG para a glicose é 140, uma vez que eleva os níveis de açúcar no sangue mais que a glicose. Mas para usar a tabela IG, não importa que método foi usado ao testar os alimentos, já que a idéia é a mesma. O valor do IG de uma comida permite comparar seu efeito na glicemia em relação a outros alimentos. Isto pode ajudá-lo a escolher melhor os alimentos, inclusive escolhendo os melhores e mais saudáveis carboidratos.

Há apenas uns poucos grupos de pesquisa no mundo que testaram a reação da glicemia e compilaram os valores do IG. Eles usam um protocolo de teste bem rígido para determinar o valor de IG para cada alimento. Digamos que você queira encontrar o valor IG de damascos secos. Os pesquisadores usam o alimento de teste e o alimento de controle. Neste caso, os damascos secos seriam o alimento de teste e o pão branco ou glicose seria o alimento de controle. Os sujeitos da experiência (geralmente 8 a 10 participantes) recebem damascos secos suficientes para fornecer 50 gramas de carboidrato disponível (aproximadamente 27 metades de damasco). A reação do açúcar em seu sangue é então testada e registrada num gráfico a cada 15 minutos durante a primeira hora e a cada 30 minutos durante a segunda hora. O mesmo procedimento é usado depois que eles ingerem 50 gramas de carboidrato disponível de glicose ou pão branco (o alimento de controle). Os dois valores são comparados e a informação tirada do gráfico é calculada usando um programa de computador. Finalmente, a média de IG de todos os sujeitos ao alimento teste é calculada à partir da informação coletada.

Geralmente, alimentos com baixo IG possuem pontuações abaixo de 55. Alimentos com IG moderado pontuam entre 55 e 70, ao passo que alimentos com IG alto pontuam acima de 70. Como você pode ver, quanto mais baixo o IG, mais lenta é a reação do sangue à glicose naquela comida. Usando o IG, você pode selecionar alimentos que produzem um lento e estável aumento da glicemia, resultando em níveis estáveis de açúcar no sangue que mantém o nível de energia alto e a fome à distância.

Às vezes, o índice glicêmico pode ser enganoso. Na próxima seção, aprenda mais sobre como usar o índice glicêmico.

Esse artigo tem propósitos apenas informativo. NÃO FORNECE ORIENTAÇÕES MÉDICAS. Tanto o editor do Consumer Guide ®, da Publications International, Ltd., quanto o autor e o divulgador não se responsabilizam por nenhuma possível conseqüência dos tratamentos, procedimentos, exercícios, modificações de dieta, ação ou aplicação de medicação que resultem da leitura ou utilização das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática da medicina e não substitui as orientações de seu médico ou outro profissional da saúde. Antes de iniciar qualquer tratamento, o leitor deve procurar o conselho do seu médico ou de outro profissional de saúde.