Músculos e ligamentos das costas

Os ossos da sua coluna não conseguiriam mover-se, nem mesmo se sustentarem verticalmente, sem os músculos e os ligamentos que os cercam. Um ponto importante sobre a dor nas costas que se deve entender é como essas estruturas funcionam e como podem sofrer uma lesão.

Ligamentos das costas

Presas a todos os ossos e discos na espinha, existem longas estruturas semelhantes a um cordão chamadas de ligamentos. Nem tão duras quanto os ossos, nem tão macias quanto os músculos, essas tiras de tecido conectivo existem em quase todos os tamanhos. Algumas são curtas, passando somente entre os ossos adjacentes, mas outras são muito longas, estendendo-se por todo o comprimento da coluna.

Os ligamentos têm várias funções importantes. Eles dão suporte à coluna da cabeça ao cóccix, deixando os discos, os ossos e os músculos em seus devidos lugares. Sua função principal é manter os ossos juntos, permitindo que você se curve, se retorça e faça outros movimentos dentro de limites seguros. Em virtude dos ligamentos serem relativamente elásticos, podendo alongar um pouco, mas não muito, eles são perfeitamente adequados para essa tarefa. Ao curvar-se para frente, o máximo que puder, esses ligamentos se estendem ao máximo; eles ficam tensos, impedindo que os ossos se movam um pouco mais. Essa é uma função importante, pois poupam outras partes da coluna, como os discos, da responsabilidade de manter os ossos unidos, uma tarefa prejudicial para a qual eles simplesmente não foram desenvolvidos.

Ao permanecer em pé, os ligamentos ficam no comprimento normal
2006 Publications International, Ltd.
Ao permanecer em pé, os ligamentos ficam no comprimento normal (à esquerda). Entretanto, ao curvar-se, virando as costas, os ligamentos são alongados ao máximo, mantendo os ossos juntos e sustentando o peso da parte superior de seu corpo inclinado (à direita).

Os ligamentos também têm um papel importante na postura. Ao manter seu comprimento e flexibilidade normais, eles sustentam os ossos da coluna, mantendo-os nas posições adequadas. Com hábitos incorretos de postura, contudo, os ligamentos de um lado da coluna podem se alongar demais. Ao longo do tempo, provavelmente meses ou anos, o resultado será uma lesão. A má postura, por sua vez, pode fazer os ligamentos doerem. Na verdade, a dor nas costas ou no pescoço que não for atribuída a um acidente ou lesão específica geralmente é sinal de que a má postura está afetando os ligamentos. Estes ligamentos, quando distendidos ou rompidos, demoram a curar-se devido ao seu baixo fluxo sangüíneo.

Músculos das costas

Os músculos são estruturas semelhantes a um cordão, ainda mais elásticos que os ligamentos. Como os ligamentos, os músculos podem alongar-se e, ao contrário dos ligamentos, podem contrair-se. Isso é, na verdade, o que acontece quando você levanta uma xícara de café, joga uma bola ou faz qualquer coisa que exija movimento do corpo. Os músculos contraem-se e estendem-se, puxando os ossos para diferentes direções para coordenar nossos movimentos. Ao levantar, abaixar, empurrar, puxar, carregar ou realizar qualquer atividade, os músculos estão trabalhando.

Eles também trabalham para evitar que o corpo se mova quando não for necessário. Por exemplo, se você está sentado numa canoa e ela começa a virar para a esquerda, seus músculos rapidamente reagirão coordenando o movimento do seu corpo para a direita, de modo a manter seu equilíbrio.

Os músculos são, na verdade, escravos e podem ser o melhor amigo das suas costas. Quando condicionados, eles mantêm-se fortes, resistentes e flexíveis, o que permite que o corpo se mova e trabalhe com menos risco de lesão e dor. Ao funcionar corretamente, os músculos podem reduzir bastante a carga nos ossos, nas articulações, nos discos e nos ligamentos. Por outro lado, quando os músculos não estão condicionados, seja pela falta de uso ou por lesão, eles tendem a ficar menores, mais fracos, menos resistentes e flexíveis.

Como funcionam os músculos? Basicamente, quando você quer se mover, seu cérebro manda uma mensagem através dos nervos para o músculo correto. Quando a mensagem chega no músculo, as substâncias químicas que estão dentro dele o fazem retrair. Como o músculo está preso ao osso, essa retração o puxa. Se a duração dessa retração for forte o bastante, o osso e, então, o corpo, se moverão.

Quando os músculos das costas estão em forma, eles sustentam muito bem a espinha
2006 Publications International, Ltd.
Quando os músculos das costas estão em forma, eles sustentam muito bem a coluna (à esquerda). Quando estão frágeis, a coluna pode se lesar (à direita).

Para estender, ou relaxar, e retornar à posição de descanso, o músculo precisa de energia. Se o músculo trabalha sem energia ou fica cansado, ele não consegue relaxar e voltar ao comprimento inicial. O resultado final pode ser o que geralmente chamamos de tensão. À medida que os utiliza, alguns dos músculos menores das costas podem ficar cansados e retrair. Quando os músculos se retraem, os ossos ficam juntos, mais comprimidos que o normal; essa contração, sozinha, pode causar dor nas costas e limitar sua capacidade de mover-se com total flexibilidade. De fato, muitas pessoas têm dores nas costas provavelmente relacionadas aos músculos não condicionados e contraídos, que ficaram cansados e se retraíram.

A curto prazo, o cansaço desse músculo pode resultar em nada mais que uma leve dor nas costas, mas, se essa condição permanecer durante dias, anos, as costas podem desgastar-se mais rápido que deveria. Se os músculos não forem alongados, eles podem ser lesados. Se tiver sorte, a lesão será somente um esforço ou tensão muscular, em que o músculo é lesado sem gravidade. Infelizmente, os músculos podem sofrer uma lesão mais grave. A boa notícia é que os músculos, devido a seu bom fluxo sangüìneo, tendem a curar-se rapidamente.

Nossa última parada nessa viagem sobre as costas será nas articulações e nos nervos. Depois que tivermos mostrado e explicado todas as partes, esclareceremos como elas funcionam juntas. Continue lendo para saber mais.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.