Como funcionam as células de gordura

Autor: 
Craig Freudenrich, Ph.D.
células de gordura

Um pouco mais da metade dos adultos nos Estados Unidos está acima do peso. Estatísticas mostram um inacreditável percentual de 65 % da população "acima do peso" ou seja "obeso". De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), o estado de obesidade ou excesso de peso é determinado em adultos através do "Índice de Massa Corpórea" ou IMC.

IMC é um cálculo que considera o peso e a altura do corpo de uma pessoa para determinar se está abaixo do peso, acima do peso, ou com peso saudável. Para um adulto ser considerado "acima do peso", ele deve ter o IMC entre 25 e 29,9. Para um adulto ser considerado "obeso", ele deve ter o IMC de pelo menos 30. Esta medida é usada por ser um bom indicador de gordura corpórea.

Devido a preocupação com os riscos de saúde (pressão alta, doença cardíaca, diabetes, apnéia do sono, problemas respiratórios), ou apenas por absoluta estética, muitos americanos preocupam-se com a gordura. De fato, neste exato momento, milhares de pessoas estão fazendo exercícios ou dietas para reduzir sua quantidade de gordura corporal. Mas você já se perguntou o que é a gordura? Quando uma pessoa "ganha peso" o que realmente acontece dentro do seu corpo? O que são as "células de gordura" e como elas funcionam?

Neste artigo, veremos o mundo das células de gordura. Iremos examinar onde as células de gordura estão localizadas, como armazenam gordura e como se livram dela.

Onde está a gordura?
Gordura, ou tecido adiposo, é encontrada em diversos lugares em seu corpo. Geralmente, a gordura encontra-se debaixo de sua pele (gordura subcutânea). Encontra-se também sobre cada um de seus rins. Outras localizações dependem se você é homem ou mulher.

  • Um homem adulto tende a carregar gordura corporal em seu peito, abdômen e nádegas, apresentando uma forma de "maçã".
  • Uma mulher adulta tende a carregar gordura em seus seios, coxas, cintura e nádegas, apresentando uma forma de "pêra".

A diferença na localização de gordura decorre da relação entre os hormônios sexuais estrogênio e testosterona.


Figura 1. Visão de corte transversal de sua pele. A gordura está na camada subcutânea, que é ricamente abastecida pelos vasos sangüíneos.

Seu corpo contém dois tipos de tecido adiposo.

  • Gordura branca - importante no metabolismo energético, isolamento térmico e amortecimento mecânico.
  • Gordura marrom - geralmente encontrada em bebês recém-nascidos, entre os ombros; importante para a termogênese (produção de calor).

O tecido adiposo é feito de células de gordura. As células de gordura são um tipo único de célula. Você pode pensar que uma célula de gordura é um pequeno saco plástico que segura uma gota de gordura.

  • Células de gordura branca são grandes células que possuem um minúsculo citoplasma, apenas 15% do volume da célula, um pequeno núcleo e uma grande gota de gordura que ocupa 85% do volume da célula.

     

  • As células de gordura marrom (em inglês) são um pouco menores, possuem muitas mitocôndrias e são compostas de diversas gotas pequenas de gordura. A mitocôndria é capaz de gerar calor.

As células de gordura são formadas no desenvolvimento do feto durante o terceiro trimestre de gestação e mais tarde no início da puberdade, quando os hormônios sexuais "ganham vida". É durante a puberdade que as diferenças na distribuição de gordura entre homens e mulheres tomam forma. Um fato incrível é que as células de gordura não se multiplicam depois da puberdade, como seu corpo armazena mais gordura, o número de células de gordura permanece o mesmo. Cada célula de gordura simplesmente aumenta!

Em adição ao tecido adiposo, algumas gorduras são armazenadas no fígado, e uma quantidade ainda menor nos músculos.

Como a gordura entra em seu corpo
Quando você come um alimento que contém gordura, geralmente triglicerídios, eles atravessam seu estômago e intestinos. Veja abaixo o que acontece nos intestinos.

Emulsificação na sua cozinha
Quando você adiciona água em uma frigideira engordurada, a gordura forma uma camada sobre a água. Se você joga uma gota de detergente no centro da frigideira, você verá a grande camada de gordura imediatamente ser separada em pequenas gotas.
  1. As grandes gotas de gordura se misturam com os sais biliares da vesícula biliar em um processo chamado emulsificação. A mistura quebra as grandes gotas em várias gotas menores chamadas micelas, aumentando a área de superfície de gordura.
  2. O pâncreas secreta enzimas chamadas lipases que atacam a superfície de cada micela e quebram as gorduras em partes, glicerol e ácidos graxos.
  3. Estas partes são absorvidas nas células internas do intestino.
  4. Na célula intestinal, as partes são reunidas em pacotes de moléculas de gordura (triglicerídios) com uma camada de proteína chamada quilomícrons. A camada de proteína faz com que a gordura se dissolva mais facilmente na água.
  5. Os quilomícrons são liberados dentro do sistema linfático, eles não vão diretamente para a corrente sangüínea pois são muito grandes para passar pelas paredes dos vasos capilares.
  6. O sistema linfático eventualmente se liga com as veias, neste ponto os quilomícrons passam para a corrente sangüínea.

Você talvez esteja pensando por que as moléculas de gordura são quebradas em glicerol e ácidos graxos se elas irão se reunir novamente. Isto porque as moléculas de gordura são muito grandes para atravessar as membranas celulares. Então quando passam do intestino através das células intestinais nas linfas, ou quando atravessam qualquer barreira celular, as gorduras devem ser quebradas. Porém, quando as gorduras são transportadas nas linfas ou no sangue, é preferível que tenham poucas moléculas de gordura grandes do que muitos pequenos ácidos graxos, pois as moléculas grandes de gordura não "atraem" tantas moléculas de água em excesso por osmose como muitas moléculas menores fariam.

Como a gordura é armazenada em seu corpo
Os quilomícrons não duram muito na corrente sangüínea - apenas cerca de oito minutos - por causa das enzimas chamadas lipases de lipoproteína quebrando as gorduras em ácidos graxos. Lipases de lipoproteína são encontradas nas paredes dos vasos sangüíneos no tecido adiposo, tecido muscular e músculo cardíaco. A atividade das lipases de lipoproteína dependem dos níveis de insulina no corpo. Quando a insulina é alta, então as lipases são altamente ativas; se a insulina é baixa, as lipases são inativas.


Figura 2. Como a célula de gordura armazena gordura e converte glicose e aminoácidos em gordura.

Insulina
Quando você come um doce ou uma refeição, a presença de glicose, aminoácidos ou ácidos graxos no intestino, estimulam o pâncreas a secretar um hormônio chamado insulina. A insulina atua em muitas células em seu corpo, especialmente no fígado, músculos e tecido adiposo. A insulina manda as células fazerem o seguinte:
  • absorver glicose, ácidos gordurosos e aminoácidos
  • parar a quebra:
    • glicose, ácidos graxos e aminoácidos
    • glicogênio em glicose
    • gorduras em ácidos graxos e glicerol
    • proteínas em aminoácidos
  • começa a construir:
    • glicogênio da glicose
    • gorduras (triglicerídios) do glicerol e ácidos graxos
    • proteínas dos aminoácidos

Os ácidos graxos são então absorvidos pelo sangue nas células de gordura, células musculares e células do fígado. Nestas células, sob estímulo da insulina, ácidos graxos são produzidos em moléculas de gordura e são armazenados como gotas de gordura.

Isto é possível também pois as células de gordura recolhem glicose e aminoácidos, que foram absorvidos pela corrente sangüínea depois de uma refeição e os converte em moléculas de gordura. A conversão de carboidratos ou proteína em gordura é 10 vezes menos eficiente do que o simples armazenamento nas células de gordura; porém, o corpo pode fazer isso. Se você tem 100 calorias extras em gordura (aproximadamente 11 gramas) flutuando em sua corrente sangüínea, as células de gordura podem armazená-las usando apenas 2,5 calorias de energia. Em contrapartida, se você tem 100 calorias extras em glicose (aproximadamente 25 gramas) flutuando em sua corrente sangüínea, isto exige 23 calorias de energia para converter glicose em gordura e então armazená-la. Dando uma opção, uma célula de gordura irá agarrar a gordura e armazená-la ao invés dos carboidratos, pois a gordura é muito mais fácil de armazenar.

É importante notar que como o seu corpo armazena mais gordura, o número de células de gordura permanece o mesmo; cada célula de gordura simplesmente cresce.

Hormônios que atuam contra a insulina
Quando você não está comendo, o seu corpo não está absorvendo o alimento. Se o seu corpo não está absorvendo o alimento, existe pouca insulina no sangue. Porém, seu corpo está sempre usando energia; e se você não está absorvendo alimento esta energia deve vir dos armazenamentos internos dos carboidratos complexo, gorduras e proteínas. Sob estas condições, vários órgãos em seu corpo secretam hormônios:

  • pâncreas - glucagon
  • glândula pituitária - hormônio do crescimento
  • glândula pituitária - ACTH (hormônio adrenocorticotrófico)
  • glândula adrenal - adrenalina 
  • glândula da tireóide - hormônio da tireóide

Estes hormônios atuam nas células do fígado, músculos e tecido adiposo, e possuem o efeito oposto da insulina.