Causas da hipoglicemia

Autor: 
Timothy Gower
causas da hipoglicemia

Impedir que os níveis de açúcar no sangue subam muito é o objetivo de qualquer pessoa que tenha diabetes. Mas a hipoglicemia é justamente o contrário: a queda dos níveis de açúcar. O termo hipoglicemia é uma combinação de três palavras gregas: Hipo = baixo, glykys = doce, e haima = sangue. Qualquer um pode ficar hipoglicêmico às vezes, mas, para as pessoas com diabetes, controlar a ameaça de uma queda brusca dos níveis de açúcar no sangue é parte da rotina diária.

Quando os níveis de glicose caem, as células de boa parte do corpo podem se ajustar vivendo de gordura e proteína, pelo menos temporariamente. Mas um órgão muito importante - o cérebro - não pode usar gordura e proteína como energia. Como o cérebro precisa de glicose para sobreviver, ele considera a falta de açúcar uma crise grave. Os sintomas iniciais não são tão importantes. Você sente fome e fica um pouco trêmulo e nervoso. Mas logo você começa a se sentir tonto e precisa se sentar. O seu coração bate forte e você sua frio. A menos que você adote um procedimento adequado, você pode ficar confuso e falar de forma incoerente. A sua visão embaça e a sua cabeça parece prestes a explodir. Resumindo: em casos extremos, a hipoglicemia causa convulsão e até coma.

Garota com insulina
2007 Publications International, Ltda.
Diabéticos que precisam tomar medicamentos como insulina são mais propensos a ter hipoglicemia

O que causa uma queda nos níveis de açúcar do sangue? Em uma pessoa que não tem diabetes a hipoglicemia é muito rara, uma vez que o corpo vem equipado com um sistema eficiente que mantém equilibrados os níveis de açúcar no sangue. Quando os níveis de açúcar no sangue começam a cair, o pâncreas percebe o problema e diminui a produção de insulina, de modo que o corpo não use a glicose muito rapidamente. Para uma baixa adicional o pâncreas produz o hormônio glucagon, que sinaliza para o fígado converter algum glicogênio em glicose, e então liberar o açucar no sangue. Tudo isso acontece tão rapidamente que uma queda nos níveis açúcar do sangue pode ser resolvida rapidamente e passar despercebida. Esse sistema pode se descontrolar se você tem diabetes, tornando difícil a manutenção do equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue. Isso é particularmente verdadeiro se você aplica se isulina ou toma sulfoniluréias ou metiglinidas, dois medicamentos muito usados para estimular a produção de insulina no pâncreas. Para evitar as crises freqüentes de hipoglicemia, você deve se tornar um especialista em ajustar a sua dosagem quando necessário, e saber os passos que deve adotar para evitar que os níveis de açúcar no sangue caiam bruscamente.
Usar insulina ou medicamentos que estimulam a produção de insulina aumenta o risco de reduzir demais o açúcar no sangue, mas o problema pode ser desencadeado por outras condições e circunstâncias. Se você desenvolver sintomas, mas os seus níveis de glicose estão normais (e você tem certeza que o seu medidor de glicose está funcionando corretamente), fale com o seu médico. A hipoglicemia também pode ser causada por:

  • medicamentos como aspirina, drogas a base de sulfa (para tratamento de infecções), pentamidina (para casos sérios de pneumonia) e quinino (para malária);
  • álcool. Doses pesadas de bebida alcoólica interferem com a capacidade do fígado de liberar a glicose;
  • outras doenças, incluindo doenças do coração, dos rins e do fígado. Tumores raros chamados insulinomas produzem insulina, o que pode elevar muito os níveis do hormônio, fazendo os níveis de açúcar no sangue caírem.
  • deficiências hormonais. Mais comum em crianças, a insuficiência de glucagon, assim como de outros hormônios (incluindo cortisol, hormônio do crescimento e adrenalina, também conhecida como epinefrina) pode causar hipoglicemia.

Para mais informação sobre hipoglicemia, diabetes e assuntos relacionados, visite os links a seguir.

  • Para mais informação sobre hipoglicemia, incluindo tratamento, causas e diagnóstico, leia o artigo sobre Hipoglicemia.
  • Para aprender sobre como testar os níveis de açúcar no sangue e por que testar os níveis de açúcar, além de aprender sobre aparelhos para medir os níveis de glicose, confira o artigo Açúcar no sangue.
  • Para mais informação sobre diabetes em geral, seja para aprender sobre o tipo 1 ou 2, confira o artigo Como funciona a diabetes.
  • Para aprender sobre hiperglicemia, o outro lado da moeda da hipoglicemia, leia o artigo sobre Hiperglicemia.

Sobre o autor: Timothy Gower é um escritor freelancer e autor de vários livros. Seu trabalho apareceu em várias revistas e jornais, incluindo Prevention, Health, Reader's Digest, Better Homes and Gardens, Men's Health, Esquire, Fortune, The New York Times, and The Los Angeles Times.

Sobre os consultores: Dana Armstrong, nutricionista registrada, educadora certificada sobre diabetes, se formou em nutrição e dietética na Universidade da Califórnia, em Davis, e completou sua residência em nutrição no Centro Médico da Universidade do Nebraska, em Omaha. Em consultas particulares, durante 21 anos, ela desenvolveu programas educacionais que beneficiaram mais de 5 mil pacientes com diabetes. Ela é a co-fundadora e diretora de programa do Diabetes Care Center em Salinas, Califórnia.

Allen Bennett King, membro da Academia Americana de Médicos, Membro da Academia Americana de Epidemiologia, Educador Certificado sobre Diabetes, se formou e fez residência na Universidade da Califórnia, Berkeley; na Escola de Medicina da Universidade de Creighton; no Centro Médico da Universidade do Colorado e no Centro Médico da Universida de Stanford. Ele é o autor de mais de 50 trabalhos em ciência médica e fala nacionalmente sobre os novos avanços no diabetes.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.