AVC hemorrágico

Autor: 
Isabela Benseñor

O acidente vascular hemorrágico acontece quando algum vaso do cérebro se rompe e extravasa sangue para dentro do cérebro ou para dentro do liquor. O sistema nervoso central é composto por várias partes incluindo uma caixa de proteção - a caixa craniana, que tem a função de proteger o cérebro - e a coluna vertebral, que protege a medula óssea que também faz parte do sistema nervoso central.

Embaixo da estrutura óssea e envolvendo todo o sistema nervoso central ficam as meninges que são três: a mais externa se chama dura-máter, a intermediária se chama aracnóide e a mais interna se chama pia-máter. Entre as duas meninges mais internas, aracnóide e pia-máter há um espaço que fica completamente preenchido por um líqüido chamado de líqüido céfalo-raquidiano ou simplesmente liquor. No acidente vascular hemorrágico o sangue também pode vazar para dentro do liquor.

A causa de acidente vascular cerebral hemorrágico mais comum é a hipertensão arterial (pressão alta). A pressão alta pode alterar as pequenas artérias levando à formação de zonas de fraqueza nas suas paredes, que podem se romper. Quando essas artérias lesadas se rompem, extravasa sangue para dentro do cérebro. Esse sangue que extravasa forma um hematoma e aquela parte do cérebro deixa de receber sangue oxigenado e morre. Os pontos de fraqueza na parede dos vasos são chamados de microaneurismas, que são pequenas dilatações das artérias. Esses sangramentos costumam acontecer mais em algumas regiões do cérebro, na região dos chamados núcleos da base.

Quando a hemorragia acontece perto dos ventrículos (espaços formados pelas membranas que revestem o cérebro e que ficam cheios de liquor), pode haver sangramento dentro do liquor.

AVC hemorrágico
©2008 ComoTudoFunciona
A imagem do meio mostra AVC hemorrágico em tomografia do crânio: a área da lesão é a região com coloração mais densa e brilhante

Existem outras causas de acidente vascular hemorrágico. Às vezes uma pessoa pode nascer com uma malformação dos vasos dentro do cérebro. Quando essas malformações acontecem nas veias são chamadas de malformações venosas. Essas malformações podem acontecer nas artérias formando os aneurismas. Os aneurismas são defeitos que surgem nas artérias e que fazem com que suas paredes fiquem mais fracas. As artérias se dilatam e podem comprimir as regiões vizinhas ou se rompem acontecendo o sangramento. Esses casos são os mais graves com mortalidade muito alta mesmo com tratamento adequado.

Esse tipo de acidente vascular cerebral recebe o nome de hemorragia meníngea (subaracnóidea) e sempre há extravasamento de sangue no líquor.

Hemorragia meníngea
©2008 ComoTudoFunciona
Imagem da direita mostra Hemorragia meníngea em tomografia:imagem mais densa e brilhante dentro das cisternas cheias de líquor

A fraqueza na parede das artérias acontece sempre nos mesmos lugares. As artérias que irrigam o cérebro formam uma estrutura como um sistema de canais (polígono de Willis), que comunica as artérias do lado direito

Polígono de Willis
Polígono de Willis

­do cérebro com as do lado esquerdo pelas artérias comunicantes anterior e posterior. Justamente na junção das comunicantes com as artérias é que acontecem com maior freqüência os aneurismas.

Nas pessoas que têm o polígono de Willis perfeito, uma isquemia (falta de sangue oxigenado) do lado direito do cérebro, pode, por exemplo, ser coberta pelas artérias do lado esquerdo. Nem todas as pessoas têm o polígono de Willis perfeito.

As imagens abaixo mostram dois aneurismas respectivamente da artéria comunicante posterior (mais comum) e da artéria comunicante anterior vistos a angiografia cerebral.

Aneurisma da artérias comunicante posterior
Aneurisma da artéria comunicante posterior

Aneurisma posterior
©2008 ComoTudoFunciona
Aneurisma da artéria comunicante anterior