Os benefícios da amamentação

Autor: 
Alvin Eden, M.D.

Embora a nova mamãe não devesse se sentir pressionada a amamentar no seio ou dar mamadeira, existem alguns benefícios que muitas pessoas associam à amamentação.

Benefícios nutricionais

Um dos argumentos mais convincentes para a amamentação é que o leite materno humano foi criado para os bebês, assim como o leite da vaca foi feito para os bezerros. Mesmo que as empresas de leite em pó trabalhem duro para reproduzir a composição do leite materno, as fórmulas comerciais nunca serão idênticas ao leite humano.

Como já conhecemos os nutrientes que existem no leite materno, fica ainda mais claro que ele oferece ao bebê tudo que precisa para um bom crescimento e desenvolvimento. Entretanto, dos quatro aos seis meses, os bebês que mamam no seio precisam de suplementos de ferro e vitamina D e, aos seis meses, deve ser dado fluoreto ao bebê que mama no seio ou na mamadeira caso haja insuficiência na água fornecida na cidade.

Benefícios imunológicos

Sempre que você tem uma doença ou recebe imunização, seu corpo desenvolve imunidade contra essa doença. Isso significa que algumas células especiais ficam sensíveis a um tipo específico de vírus ou bactéria. A próxima vez que um certo organismo invadir seu corpo, este estará preparado para combatê-lo. Se a imunidade for forte o suficiente, talvez você nunca mais contraia essa doença.

Esse é o princípio das imunizações de doenças como caxumba, sarampo e coqueluche. Uma vacina contém bactérias ou vírus inativos. Seu corpo acredita que existe uma infecção e desenvolve uma imunidade contra os vírus ou bactérias inativas, que também funciona contra a forma ativa.

Ao amamentar seu bebê no seio, boa parte dessa imunidade que você desenvolveu passa para ele através dos anticorpos presentes no leite. Muitos estudos mostram que os bebês que mamam no seio têm menos doenças, ou têm doenças mais leves e menos hospitalizações.

A amamentação não garante que seu filho nunca ficará doente, mas certamente diminui os riscos. Muitas mães notam que quando param de amamentar, os bebês parecem ter mais resfriados, coriza, e assim por diante. Isso pode acontecer devido à perda da proteção que o bebê recebia do leite materno.

Benefícios para a mamãe

A maioria das mães diz que a amamentação desenvolve um sentimento de proximidade com o bebê.
2006 Publications International, Ltda.
A maioria das mães diz que a amamentação desenvolve
um sentimento de proximidade com o bebê

Parte do peso que você ganhou na gravidez foi um tipo especial de gordura com alto teor de energia. Com a amamentação, você tende a queimar essa gordura extra primeiro. Isso não significa que amamentando você perderá todo o peso que ganhou. Mas ajuda. A amamentação também ajuda na proteção contra o câncer de mama e a osteoporose.

Muitas mães acham que desenvolvem certa proximidade com o bebê quando amamentam. É muito mais do que simplesmente segurar e alimentar o bebê. O sentimento parece surgir com a consciência que elas têm de que são a fonte de nutrição de seus bebezinhos.

Infelizmente, o pai pode se sentir excluído quando a mãe amamenta, pois ele não tem a oportunidade de alimentar seu bebê. Você pode contornar esse problema tirando o leite do seio, de vez em quando, e colocando na mamadeira para que ele dê ao filho.

O leite materno é muito mais barato e prático do que o leite em pó - menos mamadeiras para esterilizar, nada para preparar, nada de ir à cozinha de madrugada para esquentar o leite.

Se você decidiu que quer amamentar o bebê por seus benefícios à saúde, talvez ainda não saiba direito como o processo funciona. Na próxima seção, ensinaremos a amamentar.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltda., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde. ­