Alergias de pele

Autor: 
Linnea Lundgren
Alergias de pele

A pele é o maior órgão do corpo humano e é uma importante defesa contra invasores. Ela é constantemente bombardeada e normalmente se defende de problemas com muito sucesso. Algumas vezes, no entanto, alérgenos vencem a pele causando uma reação. Este artigo explora as alergias de pele e as reações que elas causam.

Sintomas da alergia de pele

Cuidados no frio

As regiões Sul e Sudeste do país devem se preparar para um inverno típico a partir deste mês. Especialistas dão dicas para minimizar os males do frio e da poluição.

Leia mais em VEJA.com

Os sintomas podem ser brotoejas ou urticárias, inchação, coceira (que os médicos chamam de prurido) e rachaduras da pele. As mãos, os braços, o pescoço e a face entram em contato com tantas substâncias todos os dias que se tornam os lugares mais comuns para uma reação alérgica na pele, mas nenhuma parte do corpo está imune. Uma reação da pele resultante de contato com um alérgeno é chamada de dermatite alérgica de contato (em contraposição, uma reação de pele causada por contato com substâncias irritantes ou cáusticas é chamada de dermatite de contato irritante e não envolve alergias ou o sistema imunológico).

O que causa a dermatite de contato?

Brotoeja

A dermatite atópica (brotoeja) é a condição de pele mais comum em crianças com menos de 11 anos. O percentual de crianças com esse diagnóstico aumentou de 3% nos anos 60 para 10% nos anos 90.

O Instituto Nacional de Saúde dos EUA atualmente estima que 20% dos bebês e crianças exibem sintomas de dermatite atópica.

Alérgenos existem em todos os lugares. Muitos podem ser encontrados no armário do banheiro: níquel/cromo nas jóias e fechos; borracha encontrada em preservativos, luvas de borracha, bandagens e elásticos; produtos químicos nos cosméticos, produtos de toalete e perfumes; produtos para o cabelo, incluindo as tinturas; detergentes para lavagem de roupas e amaciantes de tecidos. Os ambientes externos abrigam potenciais vilões como carvalhos, sumagres e heras venenosos.

A identificação da causa exata da dermatite alérgica de contato pode ser difícil porque a pele entra em contato com centenas de substâncias e partículas todos os dias e as primeiras reações podem ocorrer horas ou dias depois do contato inicial. Em alguns casos a reação não acontece antes de semanas ou meses de uso prolongado. Por sorte, a dermatite de contato não recebe esse nome sem motivos. Muitos alérgenos deixam uma espécie de rastro. A localização da brotoeja, da urticária ou da coceira ajudará a alinhar as suspeitas. Por exemplo, vamos supor que suas orelhas cocem. O que entra em contato com elas? Tampões para ouvidos, fones de ouvido, brincos, perfumes, produtos para os cabelos e loções podem ser os principais causadores.

Você sabia?

As urticárias e a inchação de camadas mais profundas da pele afetam aproximadamente 15% da população dos EUA todo ano.

O que dizer de erupções que se desenvolvem sob os braços? As possíveis causas podem ser loções, desodorantes anti-transpirantes, tiras de elástico nas roupas, sutiãs, novos tecidos, etc.

Apontar com exatidão o causador da alergia e evitar o contato com alérgenos é o principal tratamento para a dermatite alérgica de contato. No entanto, se a erupção se espalhar ou se você desenvolver urticária ou experimentar coceira incontrolável e a pele ficar vermelha, sensível e escarificada, procure seu médico.

Explorando o eczema

O perfume pode causar alergias?

Você leu a lista de ingredientes no verso do frasco da sua fragrância favorita? Provavelmente não, porque essa lista não existe. O FDA (Food and Drug Administration, o órgão responsável por aprovar medicamentos nos EUA) não exige que os fabricantes listem os ingredientes ou fórmulas dos perfumes nas etiquetas. Você pode estar agradavelmente perfumada, mas sua pele pode sofrer em conseqüência de produtos químicos potencialmente irritantes. Se você desenvolver uma urticária de causa desconhecida, uma das primeiras substâncias das quais você deve suspeitar - e parar de usar - é o perfume.

O eczema, também chamado de dermatite atópica, é um tipo de alergia de pele, mas ele tem origem misteriosa.

Os sintomas incluem manchas vermelhas, secas e descamativas que coçam, mais freqüentemente na face, braços, pernas e couro cabeludo. Bebês e crianças são particularmente suscetíveis ao eczema, mas a grande maioria das crianças que têm eczema, livra-se dele. É claro que há uma conexão entre o eczema e as alergias, já que 70% das pessoas com eczema têm um histórico familiar de alergias ou de asma. E 1/3 daqueles que têm eczema eventualmente desenvolverão rinite ou asma.

Não há cura para o eczema. As melhores medidas preventivas são umedecer a pele de forma que ela não resseque totalmente; e identificar e evitar substâncias que parecem irritá-la e desencadear a erupção. Adicionalmente, medicações tópicas contendo esteróides e anti-histamínicos orais podem ajudar a controlar a coceira.

A pele está sempre sendo exposta a potenciais alérgenos. As dermatites alérgicas de contato e o eczema são dois tipos diferentes de alergias de pele. Identificá-los e tratá-los é uma questão de informação.

Coceira, irritação, coceira: um ciclo irritante

As coceiras acontecem quando a pele está irritada. A reação comum a uma coceira é a irritação. O que vem depois é conseqüência. Quanto mais você coça, mais você danifica sua pele e os nervos logo abaixo da superfície da pele. A pele e os nervos se tornam progressivamente inflamados, o que só resulta em mais coceira. A melhor maneira de parar uma coceira é o autocontrole.